A terapia

Durante mais de 5 anos fiz psicoterapia com uma psicóloga que vou chamar de Mara (nome fictício). Ela tinha uns 30 anos quando começamos as sessões de terapia sendo que fazíamos duas dessas sessões por semana, sempre pela manhã antes de eu ir trabalhar. Nossas sessões eram terças e quintas-feiras. Mara era uma mulher bonita, morena com pele bem clara, cabelos pretos, seios médios, bunda e quadril na medida certa. Ela também tinha pernas torneadas e pés perfeitos e sempre muito bem cuidados. Suas mãos também eram bonitas.
Eu ficava chateado quando era época de frio porque não podia admirar os lindos pés de Mara sendo que nos dias de calor sempre que possível não perdia a oportunidade de ver seus lindos pés com as unhas pintadas de esmalte claro sempre em sandálias baixas ou médias de tiras finas e delicadas, seus pés me excitavam demais!
Mara atendia numa casa espaçosa localizada no centro da cidade, tinha uma secretária que a ajudava nos agendamentos etc..Apesar da casa onde atendia ser grande Mara trabalhava sozinha e tinha o costume de mudar o ambiente de atendimento vez por outra visto que a casa tinha 3 quartos espaçosos e cada um deles era um consultório com decoração diversa dos demais. Mara atendia das 8 horas da manhã até as 20 horas, a secretária ficava até as 18 horas, após esse horário era Mara quem abria o portão para os pacientes atendidos à noite.
Durante o primeiro ano de terapia Mara se limitou a explorar aspectos básicos do meu cotidiano e personalidade embora algumas vezes questionasse sobre o fato de eu estar sozinho e não ter uma namorada.
Tudo começou a mudar a partir do segundo ano de terapia quando Mara começou a explorar minha sexualidade. Ela começou devagar mas foi se tornando incisiva aos longo das sessões seguintes. Diante da minha resistência em me abrir Mara afirmou que o que eu dissesse ali dentro não sairia dali e que isso era importante para o sucesso da terapia. Mesmo assim não me abri e continuei no meu mundo secreto onde algumas fantasias diferentes povoavam minha mente e compunham o universo dos meus desejos. Mara encerrou a sessão dizendo para eu pensar com carinho em me adrir nas próximas sessões.
Na sessão seguinte como sempre cheguei um pouco antes e fiquei aguardando sentado no sofá da sala de espera. Antes de eu entrar Mara saiu de seu consultório para tratar de algo com a secretária e após me cumprimentar parou ao meu lado. Ela estava usando um vestido estampado que deixava parte de suas belas pernas à mostra e o mais importante era que ela estava usando uma linda sandália baixa de tiras fininhas e delicadas que mostravam seus lindos pés com as unhas pintadas de esmalte bem clarinho. Mara logo voltou para sua sala para finalizar o atendimento e eu seria o próximo.
Logo entrei e mal assentei Mara disse que era “renda”. Disse que não havia entendido e ela falou que o esmalte que estava usando nos pés se chamava “renda” e perguntou se eu havia gostado. Fiquei pasmo! Ela disse para eu ficar tranqüilo e que já havia reparado antes que eu tinha muita fixação por pés femininos porque já havia percebido que eu sempre olhava para os pés dela e isso realmente era verdade.
Mara falou para eu me abrir com ela sobre minhas fantasias sexuais e que o fetiche por pés femininos era apenas a pontinha de um conjunto de fantasias mais completo. Me fiz de desentendido e Mara falou que eu não poderia e nem deveria fugir de uma análise mais profunda de um conjunto de fantasias sexuais que ela tinha certeza que eu tinha. Ela falou ainda que queria e que era dever dela me ajudar, só isso.
Mara perguntou se eu olhava pés de mulher pelas ruas da cidade e eu repondi que fazia isso sempre que possível e que ficava triste quando era época de frio quando quase não se vê mulheres com os pés à mostra. Ela então perguntou se eu tinha vontade de tocar, acariciar e beijar os pés de uma mulher e lhe respondi que isso era o que eu mais sonhava na vida mas nunca havia conseguido fazer. Ela também perguntou se eu tinha preferência por algum tipo de calçado nos pés das mulheres que observava e afirmei que gostava de sandálias baixas ou médias de tiras finas e delicadas mas também gostava de um pé feminino calçando um chinelinho de borracha desses mais delicados.
Mara então resolveu encerrar aquela sessão me garantindo que tudo ficaria entre nós e que eu deveria me abrir mais com ela contando todas as minhas fantasias e que ela sabia que tinha mais coisas para eu contar. Mara então saiu comigo e disse para a secretária marcar duas sessões seguidas para a próxima quinta-feira.
Cheguei para a sessão e Mara já me aguardava. Nesse dia ela usava um sapato fechado apesar do calor. Ela me alfinetou dizendo que eu não poderia ver seus pés para me concentrar no que ela esperava que eu dissesse sobre minhas mais íntimas e secretas fantasias sexuais.
Mara também informou que se eu não me abrisse completamente naquela sessão que ficaria difícil para ela continuar a me atender.
Ela então disse para eu começar a contar o que teria por trás do meu fetiche por pés femininos. Comecei a dizer que morria de vontade de ser dominado por uma mulher, que ela fosse mandona, que me xingasse mas sem ser sem educação. Que me mandasse beijar, acariciar e lamber seus pés. Que me mandasse usar calcinhas e que me comesse com um consolo de borracha mas que tivesse piedade de mim e usasse lubrificante.
Finalmente revelei que tinha o desejo de apanhar na bunda, de cinta, chicote, etc..queria ficar com a bunda bem marcada mesmo, que isso era muito importante para mim.
Contei tudo em detalhes e Mara ficou somente ouvindo minhas revelações.
Não vi o tempo passar e quando me dei conta a sessão dupla havia chegado ao fim. Fui embora mas antes disso Mara disse que seria muito difícil realizar essas minhas fantasias e que eu deveria arrumar uma namorada normal e tentar ser feliz com ela.
Nas sessões seguintes Mara mudou o assunto focando em outras coisas sem mais tocar nas minhas mais loucas fantasias. Reparei também que apesar de ser verão ela não mais usava sandálias, o que me impedia de ver seus lindos pés.
Passaram-se algumas semanas e as sessões transcorriam normalmente até que a secretária de Mara me ligou informando que ela não poderia mais me atender no horário de costume por motivo de força maior e querendo saber se eu teria disponibilidade para fazer sessões nos mesmos dias porém às 20 horas. Não gostei muito pois era um horário ruim apesar de eu ter essa disponibilidade e mesmo assim acabei concordando.
Fizemos então umas 4 ou 5 sessões à noite, era Mara mesmo quem abria e fechava o portão da casa, a secretária ia embora mais cedo.
Cheguei em uma quinta-feira para mais uma sessão noturna. Mara como sempre abriu o portão. Era calor e ela estava usando um vestido e estranhamente seus lindos pés estavam novamente à mostra posto que fazia um tempo que não os via. Ela usava uma sandália média de tiras finas que deixava seus pés bem à mostra.
Mara me conduziu então até o quarto dos fundos da casa, era um consultório também mas nunca havíamos feitos sessões nele, apenas nos outros dois. Nele tinha uma poltrona e um divã, duas janelas que estavam bem fechadas. O chão era de tábua corrida.
Mara disse então que naquele dia faríamos uma sessão prática, diferente. Deu uma calcinha vermelha nas minhas mãos e disse que voltaria em cinco minutos e quando chegasse queria me ver apenas de calcinha e que eu me voltasse para a parede. Ela salientou que era para eu tirar toda a minha roupa inclusive os sapatos. Não acreditei no que estava acontecendo mas fiz o que ela mandou. Logo Mara voltou e me puxou pelos braços, ela então mandou eu me ajoelhar e beijar seus pés. Fiz como ordenado e beijei, acariciei e lambi seus pés, conforme ela mandava e me xingava de putinha e outras coisas. Em certo momento Mara mandou eu parar, Então ela mandou eu me apoiar na poltrona ajoelhado no chão e colocou uma venda de tecido preto em mim. Fiz como ela mandou. Mara então me chamou se sua putinha e delicadamente abaixou a calcinha que eu vestia e disse que ia me fazer sua mulherzinha…logo senti ela lambuzando meu cu com gel e em seguida ela enfiou um e depois dois dedos para abrir caminho para a delícia que viria depois, um consolo de borracha do tamanho e grossura que eu sempre morri de vontade que uma mulher enfiasse em mim. Mara foi colocando devagar até conseguir enfiar tudo e me chamava de sua putinha safada.
Ela fazia movimentos de vai-e-vem aumentando a intensidade até fazer isso de forma frenética. Meu pau estava duríssimo até que não agüentei mais e gozei bastante no chão de tábua corrida. Ela então vendo que eu havia gozado, retirou o consolo e disse que eu precisava de um castigo por gostar dessas coisas, falou que iria me corrigir.
Senti a primeira lambada na minha bunda até que me dei conta de que se tratava de um chicote de couro de múltiplas tiras. Mara batia e me xingava. Não sei quantos golpes ela deu mas senti a dose de dor que eu sempre sonhei. Chegou então o momento que Mara se deu por satisfeita e encerrou o castigo.
Ela mandou eu me vestir e ir embora.
Durante mais de 2 anos alternávamos sessões de terapia com sessões de dominação, até que um dia Mara não mais quis me atender e tudo acabou.

Tenho 44 anos, 1,80m, moreno claro, olhos castanhos e cabelos pretos. Solteiro e sem filhos, nível superior e situação definida, Procuro mulher do Sul de Minas para amizade e realização dessas fantasias com possibilidade de relacionamento sério.
Gentileza escrever para: macalango@yahoo.com.br

Comer as minhas cunhadas

Comer as minhas cunhadas
tudo que vou narrar e totalmente veridico
sou casado a 31 anos com a mesma mulher,sendo ela a mais velha das irmãs,ela tem quarenta e oito ,kátia quarenta e quatro ,casada e luciana quarenta essa separada, bem vamos ao que interessa, apesar de serem bonitas nunca me passou nada pela cabeça ter qualquer tipo de relacionamento com elas,no ultimo carnaval fomos todos para a casa de kátia pois ela mora em rio das ostras,chegamos no sábado pela manhã e eu e hugo esposo de kátia fomos para o mercado fazer compras, fizemos as compras e tal é paramos em um bar para tomar umas cervejinhas e jogar conversa fora,foi quando hugo me falou que seu casamento com kátia estava estremecido ,pois kátia tinha descoberto uma traição dele,ai eu falei pó cara como você deu mole assim,ele falou pó aconteceu e tal,ai bebemos umas 4 cervejas e fomos embora,chegando em casa todos já estavam conversando animadamente colocamos algumas cervejas no gelo e ficamos conversando,quando as cervejas já estavam geladas começamos a beber,pago rolando todo rindo brincando e já meios altos devido as cervejas foi quando hugo puxou minha sogra pra dançar e minha esposa puxou a luciana sendo assim só sobrou eu e kátia ele me pegou pelo braço e começou a dançar comigo,já tinha dançado com ela em outras oportunidades mas sempre de forma normal e dessa vez senti que ela estava mais junto ao meu corpo,eu me afastava e ela me puxava,ai eu pensei essa porra vai dar merda,já que ela uma mulher muito gostosa e estava de bermuda de malha e eu de short tec tel,eu doido para a música terminar para sair daquela situação,foi quando ela falou o primeiro par que parar de dançar vai ter que ir para o fogão fazer mais tira gosto eu falei pronto fudeu a mulher ta de maldade,nisso todos continuavam a dançar e ela começou a esfregar aquela bucetona no meu pau,pronto a barraca armou,ela sentindo isso deu um sorrisinho safado más não falou nada e continuou a roçar em mim,nossa minha rola parecia que ia estourar,nem eu mesmo imaginava que tivesse tanto tesão naquela mulher,foi quando falei baixinho no ouvido dela,kátia para com isso ,vai dar merda a música alta todos dançando e altos também ne, não percebiam a nossa conversa,foi quando ela falou, você não está gostando ?eu falei isso não é certo é ela disse o que é certo,é ser honesta e tomar chifre?sempre tive tesão em você e sempre respeitando a todos e o que eu ganhei chifres,aquilo caiu como uma bomba,meu pau endureceu ainda mais,eu falei aqui e perigoso ,olha a minha situação ,ela disse fica tranquilo eu dou um jeito de ninguém perceber que está de pau duro ai sorrimos,logo apôs ela falou para todos ouvirem nossa to cansada acho que vou parar,foi quando a minha sogra disse ue deu a ideia é vai parar ai ela disse vou fazer os tira gosto ai a mãe falou deixa que eu faço, nisso eu malandramente falei pó já que é assim vou no banheiro não aguento mais e já falei isso correndo para o banheiro ninguém percebeu nada,e isso foi rolando la pelas onze horas hugo completamente bêbado subiu para dormir,luciana,minha esposa e minha sogra falaram que ia tomarem banho que iam dar umas voltas e perguntaram se agente não ia,eu disse que estava cansado e que ia ver tv e kátia disse que ia dar um jeitinho na bagunça e ia ver tv também,pensei pra mim fudeu,ai tomaram banho se arrumaram e saíram, nisso eu entrei tomei meu banho e quando sai kátia já estava de banho tomado, com um vestido soltinho ,sentei nossofá pra ver tv ela da porta da sala falou tem certeza que quer ver tv mesmo,eu falei kátia para com isso o hugo taí já imaginou a merda ela disse ele só acorda amanhã agora,sim mas elas podem chegar e pegar agente, ela poxa to cheia de tesão,aquilo era tortura,gente nisso ela levantou sentou no meu colo e me beijou,não resisti e beijei também é já fui passando a mão nos seios ela rebolando no meu pau,baixei as alças do vestido dela e comecei a beijar morder os bicos dos seios gente a mulher gemia que parecia uma gata,e com as mãos enfiei em baixo do vestido dela alisando as coxas apertando nossa quando passei a mão na bucetinha por cima da calcinha ela tava ensopada,ela. ai flavio que tesao nisso ela pegou na minha rola apertou ,ai que rola dura eu abaixei o short ela segurou apertou e já desceu do meu colo e se ajoelhou e começou a chupar minha rola babando e falando que rola gostosa chupa minha puta chupa ai bate com ela na minha cara bate ai que delícia de pau ai kátia eu vou gozar não as querido me fode nisso ela levantou o vestido puxou a calcinha pro lado e sentou com aquela bucetona encharcada na minha rola ,ai que piroca gostosa fode seu puto fode a puta da sua cunhada fode soca soca e eu socando forte e ela rebolando mexendo ai kátia deixa eu gozar no seu cusinho deixa minha cunhadinha puta deixa ai amor vai doer nunca dei se doer eu tiro deixa eu levantei colequei ela apoiada no sofá pincelei a rola na bucetinha dela e fui empurrando naquele cusinho virgem ela gemendo ai ai ta doendo e só o a cabeça cunhadinha ai ai para para eu segurei nas ancas dela e empurrei ela deu grito abafado e eu com a rola toda socada dentro do cu dela ai seu puto tu me arrombou mexe essa bunda sua puta mexe ai ai ta gostoso fode meu cu seu cachorro fode nossa que visão linda aquele bundao com uma marquinha linda ela rebolando eu socando socando socando socando socando quando falei vou gozar pra minha surpresa ela deu um pulo se virou de frente meteu meu pau na boca não aguentei gozei na.boca na cara nocabelo nossa um banho de porra, continua…

Fodendo a finha novinha do meu vizinho

Fodendo a finha novinha do meu vizinho
Oi bom meu nome é Henrique tenho 30 anos hoje , sempre tive vontade de relatar o que aconteceu conigo e com a minha vizinha . Isso aconteceu há mais ou menos ums 3 anos atrás, o nome dela é bruna e adora ser chamada de bruninha , ela com apenas 13 aninhos ja tinha um par de seios que cabem certinho dentro da boca e uma bundinha empinadinha ela é branquinha e vive trocando a cor do cabelo adora usar roupas bem curtinhas só pra provocar que olha pra ela percebe que ela tem uma carinha de menina ingênua mas de ingênua nao tem nada . Certo dia estava em casa e a bruninha chegou pra conversar com minha mãe como eu ja estava falando com minha mãe nao sai fique sentado vendo ela chegar e sentar em uma cadeira bem na minha frente , como de custume ela estaca com um shortinho bem curtinho que quase dava pra ver a popinha da bunda dela na mesna hora eu ja fiquei de pau duro ela percebendo o volume na minha calça colocou os pés na cadeira abrindo as pernas bem de frente pra min , eu fiquei louco de tesão , dava ate pra ver o cantinho da bucetinha branquinha dela ela olhava pra min e olhava pra baixo e eu olhava pra bucetinha dela e pra minha mãe pra ver se ela estava notando alguma coisa ( ainda bem que minha mãe nao sacou nada). Depois disso fui pro meu quarto barter uma pensando nela . E fiquei ppensando como fazer pra comer aquela bucetinha da bruninha foi quando lembrei que todo domingo de manhã eu fico sozinho em casa e foi então que resolvi chamar a bruninha la pra casa no outro fim de semana só pra conversar ela aceitou quando ela tocou o interfone eu abri o portão e puxei ela pra dentro pra ninguém ver na hora vi que ela estava com outro shortinho mais curtinho ainda do que o da semana anterio e uma camisa bem folgada que dava pra ver seus peitos ja fique de pauduro na hora, ela veii me peperguntando por que tinha puxado ela e o que eu queria , sem falar nada encostei ela no portão e beijei aquela boquinha linda ela relutou um pouco falo que nao podia que tinha namorado e tal , eu não queira nem saber do namoradinho dela que ja estava virando corno , ja fui colocando a mão dela por cima do meu short pra ela sentir meu pau mas mãos e falei pra ela que desde a senama passada estava de pau duro pensando mela e fui beijando ela novamente reparei que ela nao tirou a mão do meu pau e foi acariciando meu pau que ficava latejando na mão dela , levei ela pra dento do meu quarto e fui tirando a roupa dela ela nao quis de imediato mas quando coloquei a minha mão ma bucetinha dela ela deu um genidinho tao gostoso que eu não acreditei que ia comer aquela novinha ela ja estava com a calcinha molhada, joguei ela na minha cama e fui deitando por cima dela como ela também estava louca de tesão ela foi tirando a roupa e com um ato que eu nem esperava ela pegou meu pau e colou na boca eu me senti nas nunuvens a novinha parecia bem experiente ela cupava minha rola e olhava pra min com uma carinha de menina ingênua e eu quase gosando, quando ela parou de mamar no meu pau eu logo cai de boca ma bucetinha dela ela gemia sem para e pedia rola eu coloquei o pau todo naquela bucetinha apertadinha enquanto ela gemia alto , coloque ela de quatro e chupei a bucetinha dela que estava toda molhada enquanto eu enfiava cada ven mais forte ficava pensando como comer o cuzinho dela , tentei colocar o dedo varias vezes ela tirava minha mão dequela bundinha empinadinha , ela de quatro aquele cuzinho rozinha bem ali na minha frente e eu nao podendo comer , quando voltei a chupar sua bucetinha aproveitei e chupei o cuzinho dela também , parece que foi a senha pra entre ela arepiou interinha e dice que estava gostoso mas que nunca avia dado o cu aquilo me encheu mais de tesão eu estava preste a comer um cuzinho novinho zerado ela de quarto deu uma olhadinha pra traz e me falou que me daria o cuzinho mas só se eu colocase só a cabecinha eu prometi que sim e que ia colocar bem devagarinho e se doesse era só ela pedir pra eu parar , ja com o cuzinho dela bem molhado eu aproxime a cabeça do meu pau na portinha do cuzinho rosinha dela , sem eu enfiar ela ja estava com as perninha tremendo , eu fiz como o prometido e coloquei so a cabecinha o cuzinho da bruninha era tal apertadinho que minha rola nao tava cabendo direito mas como a vontade de comer aquele cuzinho era tão grande que eu forcei ate meu pau entra quando a cabeça encaixou ela deu um grito e logo um gemido e começou a rebolar na minha rola , ela rebolava e meu pau entrava cada vez mais fundo eu sentindo aquele cuzinho gostoso metia bem forte e ela rebolava e gemia . Não deu tempo de tirar o pau do cuzinho dela gosei la dentro enchi o cuzinho da novinha de porra deitamos abraçados e ela toda feliz falou que aquela cuzinho era só meu e que o namorado dela nunca tinha nen tentado chegar perto do cuzinho dela e adorou que eu fui o primeiro a chupar e comer o cuzinho dela … continuamos a nos ves todos os fins de senama ate que un dia sem eu saber ela levou uma outra amiga dela pra ver eu comer o cuzinho dela mas isso vai ficar para meu procimo conto

Primeira ves da minha esposa com amigo do Facebook

Ola a todos e meu primeiro conto depois de muito ler contos Comecei a desejar ver a minha esposa tranzando com outro homem falei pora ela ela como todas disse que eu tava louco depois concordo conheseu um homem de rio verde goias marcamos o dia e fomos conbinamos de nos encontrar num bar na entrada da cidade ai ele ficou doido para fude ela ela ficou invergonhada ele mais que de presa vamos para o motel. Chegando eu o marido sentei na cama ele sentou numa cadeira que tinha no quarto ela ficou em pe um silêncio total eu falei senta aqui para eu comesar ela disse vou em bora não consigo ele calma vc ta muito tensa ela pediu que eu saisse do quarto para ela conversa com ele poi ela disse que não conseguiria ai sai escutei quando ele jogou ela na cama ai ela não não vo embora para para de repente silêncio ai escutei ele chupando ela e ela gemendo pensei em entrar mais não queria atrapalhar de repente ele abre a porta e fas sinal mudo para mim eu entro ele esta chupando seios e acariciando a buceta ele vai chupando os seios acariciando a buceta e tirando a roupa dela ai começa a mete dois dedos na buceta com força ela gemendo alto ai ele vai tirando agora a roupa dele com uma mão e metendo os dedos com força na buceta dela e me perguntou se ela chupa eu respondo que sim ele deita tira a cueca o pau dele e grande e torto ela paga com força e engole o pau do cara e fala vem nào aguento mais e deita ele vem pra cima mete os dedos na buceta de novo uns 3 minutos ai eu pensei se lascou o pau dele e grande ela nunca encaro um desse ele tirou os dedos e meteu de uma ves ela toda gosada entrou tudo que sumiu o pau dele ai ele deu umas boas bombadas eu estava atrás dos dois ele falou chama ela para ir embora agora eu disse vamos embora amor ela não quase sem vos gemendo a pica dele grande ele magro ela um pouco acimo do peso ele punha sem do ela quase choava chegava ate a anda na cama os dois ela gozo uma pasta quase 100 ml ai eu fui para a frente e segurei ela ai paro de anda eu ficava acariciando os seios e ele fodia com tanta força qure parecia que tava machucando ela fuderao 4 minutos ai ele pio ela de quatro o pau pego de novo fiquei acariciando os seios e passei a mão no capu da buceta ela gozo que escorreu na minha mão fuderão uns 4 minutos nessa posição ai ele gozo também. Ele tomo banho ela tomo banho também separados foi um de cada vez conversamos ai ela pegou no pau dele e disse nois viemos para conversa ou para fude ai ele pegou ela de quatro fudeu gostozo depois ele pois ela deitada de lado entrou no meio das pernas dela bem abertas sigurou uma pra cima e meteu com toda força achei qure ela chorava drssa vez ela gemia urrava me zunhava todinho eu estava acarisiando e chupando os seios ela delirava de tanta tezão depois ele veio por cima dela e fudeu ata ele gozar também ai ele foi toma banho depois ela foi fomos em bora foi de mais interessados em fude com ela wesleilvr@gmail.com Goiás

Gozando nas calçinhas usadas da prima

O que vou relatar aqui e verídico aconteceu comigo e para mim que tenho fantasias foi a coisa mais gostosa que já me aconteceu me da muito tesão só de lembrar.e curto esse conto . Ttenho uma duas primas gostosas uma e mãe uma coroa com os seus 45 anos morena clara mas com tudo em dia todo o macho que ver essa gostosa vai se acabar numa punheta não tem como evitar, a sua filha então quem ver vai fazer fila para comer a sua boceta e cuzinho.. eu tenho tesão pelas duas ..nunca vou me esquecer o dia que elas ficaram uns 15 dias na praia e deixaram as chaves da casa comigo só que a casa tem cameras pelo lado de fora eu ja sabia só não me disseram que tinham colocado por dentro da casa toda.
Eu como sou tarado por calçinhas usadas gosto do cheiro gostoso de bocetas resolvi procurar pelo cesto de roupas sujas as calçinhas usadas das minhas primas qual foi a minha surpresa achei as calçinhas que as duas gostosas estavam usando durante a semana anterior antes de ir para a praia cheirei bem o forrinho das duas e bati uma boa punheta em homenagem as duas musas gostosas.
Durante esses dias que fiquei cuidando da casa só passava o dia todo sentindo o cheiro de suas bocetas nas calçinhas e gozando muito…gente eu só não sabia que estava sendo filmado tudo que constrangimento eu passei foi quando as minhas primas voltaram da praia e foram ver o que tinha se passado durante esses dias que elas estiveram fora e viram eu cheirando e gozando nas suas calçinhas só que elas gostaram tanto e eu aqui com medo de ser entregue por elas para os seus pais que elas já me pediram para bater uma punheta ao vivo na frente delas nas calçinhas que elas estam vestindo e gozar nelas .