Archive for » Dezembro, 2009 «

comi a minha tia em casa da minha avó

Ola eu sou o Júlio, sou de Portugal, vivo na cidade do Porto.
Venho aqui contar uma historia que aconteceu há 10 atrás. Eu agora tenho 32 anos e na altura tinha 22.
Tenho uma tia que vive na França e todos os Verões vem passar férias a Portugal.
Ela agora tem 59 anos na altura tinha 49… Ela ainda é muito gostosa, mas na altura era de dar água na boca só de olhar!
Bem, vou contar o que aconteceu:
Uma certa noite eu fui jantar a casa da minha avó e estava lá a minha tia.
Começamos a jantar e eu comecei a beber um vinho que a minha avó tinha lá em casa. A minha tia também começou a beber e a jantar.
Estávamos à mesa a falar sobre o vinho, e enquanto a minha tia falava que o vinho era bom, bem melhor que o de França eu já estava a ficar um bocado animado…
O vinho era forte e enquanto ela fala eu comecei a apreciar o corpo dela…
Seios grandes, cochas grossas e morena… era uma delicia! Comecei a ficar excitado só de a apreciar… então com o vinho que bebi comecei a ganhar coragem e passei a mao por debaixo da mesa e apalpei a cocha dela.

Ela estava de vestido… vi que se assustou e olhou para mim… ficou surpresa com o que eu fiz mas não disse nada. Continuou a falar com a minha avó.
Entao eu vi que ela não se importou com o que eu fiz e voltei a passar a mão na cocha suavemente e ela ao sentir abriu as pernas e continuava a falar com a minha avó como se nada se passa-se… E eu claro que continuei passando a mão até apalpar a cona dela… Era carnuda, estava bem quente. Fiquei logo de pau feito morto de vontade de a foder.
Então comecei a acariciar a cona dela e afastei as cuecas dela com os dedos para o lado e quando lhe enfiei 2 dedos na cona
, ela deu um suspiro e minha avó perguntou:
– O que tens Arminda???
Ela disfarçou, disse:comi a minha tia em casa da minha avó
– Estou um pouco cansada mas é só isso…
E a minha avó respondeu:
– Se quiseres podes ir descansar, eu arrumo a cozinha…
Ela olhou para mim e respondeu a minha avó:
– Está bem mãe, eu vou-me deitar…. E tu Julio não vais sair???
Eu disse sim e ao levantarmos-nos ela sorriu para mim e eu disse:
– Avó ate amanha, obrigado pelo jantar…
Dei um beijo na minha avó e a minha tia disse-me que me acompanhava à porta…
Mas no corredor ela puxou-me contra a parede e beijou-me na boca com uma vontade que fiquei todo excitado… encostou-se a mim e viu que eu estava com a piroca dura de tesão. Acariciou-a por cima das calças…
Depois descemos para a cave da casa, onde a minha avó tinha os vinhos e as pipas… Encostei a minha tia a uma pipa e comecei acariciar os seios dela e beijando-a ao mesmo tempo… desci mais para baixo e comecei a chupar a cona dela que já estava bem húmida.
Ela tinha o clitóris duro, gemia de vontade, e disse-me:
– Vou-te chupar a piroca. Desce as calças!!!
Quando eu desci as calças ela agarrou-se à minha piroca. Meu deus!!! Foi o melhor broche que me fizeram até à data!!! Não demorei 5 minutos que me esporrei todo na boca dela. Ela engoliu tudo e disse-me:
– Agora fode-me Julio… estou com a cona a arder…
Eu, quando enfiei a piroca na cona dela foi uma maravilha, que delicia… foi uma sensação maravilhosa uma cona tão húmida.
Comecei a bombar na cona dela e ela a gemer como uma louca e eu a adorar foder a minha tia…

Passado um pouco a minha avó começou a chamar a minha tia enquanto ela continuava a gemer… então eu comecei a vir-me e fiz com que ela gozasse também…
A minha avó começou a descer as escadas para a cave. Nós começamos-nos a vestir à pressa… quando a minha avó acabou de descer as escadas já estávamos praticamente vestidos.
Ela perguntou-nos o que estávamos ali a fazer e eu disfarcei… disse que não estávamos a fazer nada, que só tínhamos ido ver o vinho…
A minha avó ficou desconfiada mas depois eu contínuo a historia.
A minha tia sorriu para mim e fiquei a ser o sobrinho preferido dela.
Foi assim que comi a minha tia em casa da minha avó!
Um abraço e se quiserem saber mais add julio.aop@hotmail.com
Comentem. Um abraço.

Meu tio quer-me foder (terceira parte)

Pois é, a Coelhinha esteve de férias de Natal, e agora bem fresquinha (ou não) vim aqui contar a terceira parte da minha aventura com o meu tio… Se ainda se lembram, na segunda parte do meu conto “Meu tio quer-me foder“, a Coelhinha encontrava-se semi-nua na sala, quando o Sr. M.O. me fez uma espécie de ultimato, e a Coelhinha assim desafiada não podia voltar atrás…
Ao sair da sala disse ao meu tio:
– Tu bem me queres saltar tio, só não sabes é se podes… Pois bem, se vieres atrás de mim eu tenho um desafio para ti…
Logo o Sr. M.O. se levantou e me seguiu sem questionar mais nada, subiu as escadas atrás de mim para o piso superior e seguiu-me até ao quarto dos meus pais, é que este tinha uma varanda para a parte da frente da casa e assim dava facilmente para ver quando alguém estava a chegar…
Encostei-me à janela, o meu tio olhava-me à entrada da porta sem saber o que fazer… Baixei as alças da minha camisolinha… pus as maminhas a descoberto e colei-as no vidro da janela que começou a ficar embaciado…
Os meus biquinhos ficavam duros com o frio… Depois virei-me e disse ao meu tio:
– Tens medo??? Para quem já me “ameaçou” tantas vezes, estás a revelar-te um autêntico medricas…
Ri-me dele, e ele ficou embaraçado… veio ter comigo todo sem jeito. 😉
Pousou as mãos no meu rabo, agarrou-me nas ancas e começou a subir até aos meus seios, passava ao de leve as mãos pelos meus biquinhos duros e puxava-mos… depois encostou-me de novo na janela e meteu a mão no meu reguinho, fazia movimentos de vai vem, desde o rabinho até à minha coninha… a minha tanga começava a ficar molhadinha!!!!
De repente disse-me:
Tenho uma vontade enorme de te beijar, mas não posso, parece uma traição beijar a minha sobrinha… mas vou comer esta ratinha quentinha que tenho entre as mãos… e vais pedir mais e mais e mais… vou roçar o meu caralho pelas paredes húmidas e quentes dessa coninha nova… vou sentir-te todinha até bem ao fundo… e no fim vais-te vir como uma uma putinha doida, vais berrar como uma cabrita esfolada!!!
Voltei a rir-me dele, virei-me e colei as minhas maminhas à sua camisola.
Fiz deslizar as mãos para omeu tio quer-me foder volume de caralho que já se fazia notar fora das calças…
Senti-me tentada a pedir-lhe que me fodesse brutamente ali encostada à janela, mas não o fiz…
Comecei antes a palpar-lhe aquele volume, desapertei as calças e baixei-lhas, ele acabou por se despir por completo. Tinha um corpo bem conservado ainda, mas no que eu mais reparei foi naquele mastro já erguido, e com uma acentuada inclinação para o lado esquerdo, enfim era um grande, grosso e torto caralho… as veias notavam-se bastante, imaginei-me a sentir aquele cacete a entrar de rompante na minha coninha e a sentir cada veia a deslizar sobre as minhas paredes apertadinhas… tinha noção que me ia partir todinha, que ia deixar a minha coninha bem arrombada… 😳
Nessa altura propus-lhe:
– Hó tio, só vais comer esta coninha rapada se aguentares mais de 3 minutos o teu caralho na minha boquinha sem te vires!!! Se me sujares com a tua porra não me fodes nem hoje nem nunca mais…
Ele aceitou, começou a rir, e disse-me que o caralho que tinha nas mãos já tinha sido bem chupado por muita cabra e que não era uma pita de 15 aninhos que o ia fazer vir assim num abrir e fechar de olhos…
A Coelhinha, na verdade, esperava mesmo que ele se aguentasse, porque a minha coninha latejava, toda molhadinha quase implorava para ser comida por aquele cacete torto…
Baixei-me e comecei a massagá-lo… o tamanho aumentou ainda mais, passei com a minha língua naquela cabeçorra de piça e depois deslizei até ás bolinhas…
O Sr. M.O. começou a gemer, eu agarrei-lhe o caralho com uma mão e com a outra massajava-lhe o saco, depois enterrei-o na minha boca bem ao de leve, fazia-o deslizar até ao fundo da minha garganta, apesar de ter noção que uma grande quantidade de mangalho ainda ficava de fora…
Aumentei o ritmo das chupadas, ao mesmo tempo que o ponhetava que nem uma louca, rapidamente o vi a hurrar, agarrou no meu cabelo ainda molhado e puxava-me de encontro à sua barriga tentando meter por completo a piçorra na minha boquinha, quando o vi assim louco acelerei ainda mais e massajava mais fortemente o seu saco… cuspi-lhe na cabeça da gaita e toca a come-la de novo, depois tirei-a fora e comecei a bater-lhe uma punheta bem forte…
Nessa altura disse-lhe:
– Dá-me o teu leitinho quente na minha boca, fode-me a boquinha e deixa-me engolir essa porra boa…
Assim que o aboquei de novo, ele veio-se num jacto de leitinho abundante, gemendo e cravando as mãos nas minhas mamas…
A Coelhinha, com a boca cheia de leite ainda a escorrer pelos lábios, acabou por cuspir-lho todinho em cima da piça que ainda se mantinha erguida. hahaha
Depois levantei-me, olhei para ele e disse-lhe:
Hó tio, como vês não vais comer-me, és um porco que não resiste a uma boquinha de menina nova, vieste-te em menos de 3 minutos que nem um maluco…
Despi a tanguinha na frente dele, passei as mãos na minha ratinha e disse-lhe:
– Vês esta coninha quase virgem??? Perdes-te a aposta, vai ser comida por outro caralho qualquer…
E nisto saí do quarto a correr e a dar risadinhas… 😉
O Sr. M.O. não aguentou, veio atrás de mim, a reclamar:
– Podemos fazer outro acordo, não fujas!!!! Sabes que dava tudo para te comer essa ratinha!!! Não podes mostrar-me assim a coninha e depois não ma dares a comer!!! Desci as escadas entrei na cozinha, bebi um copo de sumo, só com a camisolinha de alças vestida, o meu tio veio até mim e começou a inventar mil e uma maneiras de me dar a volta, e de me convencer a deixar-me ser fodida…
Não liguei muito ao que ele disse, nem o saberia já relatar aqui, pois eu sabia perfeitamente que queria ser comida por ele, e mais cedo ou mais tarde ía deixar isso acontecer…
Subi de novo para o andar de cima, ele segui-me e foi pegar a roupa para se vestir ao quarto dos meus pais.
A Coelhinha foi tomar banhinho, depois vesti uns colans de rede tipo cinto de liga (que tinha mandado vir junto com a menina C. de uma revista). Fui deitar-me na cama dos meus pais, e tratei de chamar o meu tio:
– Tio, vens cá acima??? Tenho uma prendinha de Natal antecipada para ti!!!
Não sei como chegou tão rápido à porta do quarto!!! Olhou para mim deitada em cima da cama com aquele rede a cobrir as pernas mas a deixar a ratinha toda à mostra… Então perguntou-me:
– Vais dar a tua coninha de prenda ao tio???
E a Coelhinha deu, foi uma foda bem atribulada mas apetitosa que vou contar na quarta parte desta aventura… 😉
incontri online

Sexo Quente

Mais um Relato erótico do Sr. A.
Kizomba, não sabia o que era e não sabia dançar, ainda agora sei!!!
Um dia sai do barco e fui a um bar de música africana, estava no meu cantinho a falar de pesca a beber o meu copo, e chega-se o meu lado uma menina cabo-verdiana, amiga dos marinheiros com quem eu andava no Barco, e convida-me para dançar.
Eu como não sabia fiquei incomodado, mas depois da insistência dela e dos marinheiros que quase me empurraram lá fui.
Primeiro a apanhar o ritmo, que é bem simples, como ela dizia “dois para um lado um para o outro”, e de facto é assim mesmo!
Só que teve um problema, que foi termos de dançar agarrados, quase sem mexer os pés, o mais que se fazia era roçar os órgãos sexuais.

Ela era uma pessoa morena cabelos bem pretos (em Portugal se chama cabrita), um corpo perfeito, seios médios e umas coxas de deixar qualquer homem de rastos, além de um rosto lindo demais, e uma voz extremamente sensual…sexo quente
Durante a dança, mesmo comigo desajeitado, o calor começou a despertar, porque alem dos atributos físicos, ela tinha um perfume divinal.
Com aquele roço todo eu já não via bem, e falar com ela estava a ficar complicado.

Eu estava extremamente excitado, e é claro que ela notou! Era impossível não acontecer…
Disse-me ao ouvido:
– Queres ficar por aqui ou queres ir usar o que estou a sentir no meio das tuas pernas?
Limitei-me a sorrir e a olhar, com aquele olhar que simplesmente dizia tudo…
Saímos do bar, com as piadas dos marinheiros claro, e fomos passear na avenida ao lado do mar.
A noite estava quente, e o cheiro a mar mais me excitava…
Descobrimos uma entrada para o meio das rochas, ela puxou-me literalmente, e embrenhamos-nos no meio daquelas rochas negras até um ponto em que existia areia. O aspecto era de um castelo medieval, um pátio no meio e rodeados de rochas.
Ela encostou-se a mim e começou a esfrega-lo com as mãos divinais que tinha, é que eu ainda nem tinha conseguido baixa-lo sequer!
Só o toque dela durante o caminho, e a imaginação a voar deixavam-me num fogo brutal.
Beijamos-nos na boca com as línguas bem enroladas, como se nos quiséssemos sufocar um ao outro num simples beijo.
As minhas mãos apalpavam as nádegas firmes dela, o meu peito estava colado ao dela, senti-lhe os seios rijos, os bicos enrijecidos pela excitação.
Ela desapertou-me a camisa bem devagar ao mesmo tempo que eu desapertava blusa dela. Assim que ficamos semi-nus, ela beijava-me o peito segurava as minhas nádegas e apertava-me contra ela, eu ia mexendo naquele cabelo, sedoso e negro, ela foi descendo e desapertou-me o cinto, os botões das calças e beijou em volta dele fazendo um suspance, que me deixava terrivelmente desejoso que ela o metesse na boca.
E de repente ela tirou-o fora e meteu-o todo na boca, engoliu-o de uma vez só, isso provocou-me um arrepio, e ela sugou e sugou.
Ai foi subindo sempre a me beijar, a passar a língua na barriga no meu peito. Eu decidi retribuir, e fui descendo a beija-la toda a lamber os seios a chupa-los, a lamber a barriga…

Ela tinha uma saiinha curta, eu levantei-a e ela segurou-a com as mãos, desci-lhe as cuecas e comecei a chupar e a lamber aquele grelo duro, a lamber-lhe o interior das coxas, notei que isso a deixava doida, e assim fui chupando.
Dobrei a língua em V, para a tornar mais rija, e fui-a enfiando naquela greta, em suma fodendo-a com a língua, ela segurava na minha cabeça e pressionava-a contra ela.
Subi da mesma forma que desci a lambe-la e a chupa-la, quando cheguei à boca dela olhamo-nos nos olhos…
Os dois sabíamos que chegara a hora de eu lha enfiar toda. Ela abriu as pernas, e colocou uma delas numa saliência ali ao lado, encostada as rochas (ela segurava a saiinha dela e eu com as calças no fundo das pernas sobre os sapatos), enfie-lho todo de uma vez só.
Ela deu um suspiro mais forte, a coninha dela foi sem duvida nehuma a coninha mais quente que algum dia já fodi!!! Tinha uma temperatura completamente fora do vulgar, parecia que tinha uma fogueira dentro, uma delicia…
Fomos fodendo e fodendo, os gemidos dela e os meus suspiros misturavam-se com o barulho das ondas de um lado, e os carros a passar na avenida do outro.
Enquanto nós fodia-mos ia-mos esfregando os corpos um no outro, beijando, chupando as línguas…

De repente senti-a agarrar-se com mais força e a gemer mais intensamente… sabia que estava quase a acelerei o ritmo, e juntos chegamos ao clímax. Ela libertou liquido como eu nunca tinha sentido pois eu sentia-o a escorrer, quente, pelo meu caralho a baixo a inundar-me os sacos.
Foi uma sensação divinal, ficamos ali colados a sentir os corações acelerados, a olhamos para o lado para ver como nos podíamos limpar, vimos um charco de água salgada e foi o que serviu naquele momento!!! Secamo-nos com lenços de papel…
Subimos para a estrada e voltamos ao bar, pedimos umas bebidas e ficamos até de manha na conversa…
Foi uma das grandes noites, daquela ilha… uma noite de sexo quente… Voltamos a estar juntos mais umas quantas vezes e sempre foi a foda mais quente e húmida que já mandei!!!
incontri online

Sexo ao ar livre é proibido? Não sei como tive coragem!!!

Aqui fica uma bela sessão de sexo ao ar livre e não só!!! Para alimentar as nossas fantasias, e incentivar a mais umas quantas!!! A Coelhinha Adorou! 😉

Nunca Pensei que tivesse coragem…
Era uma quarta-feira, estava muito calor e eu sem sono…
Ai o meu marido me convidou para sairmos e tirarmos umas fotos sexy pelas praças da cidade. Achei divertido e então falei para ele esperar eu trocar de roupa.
Entrei no quarto de banho e tomei um duche, raspei a minha xaninha e coloquei uma micro calcinha preta e um vestidinho de alça branco transparente que o meu maridão achava uma tesão pois quando soltava as alcinhas os meus seios quase amostravam os bicos.
Calcei uma sandália branca de salto bem alto e com tiras de brilhantes para compensar os meus 1,50 mts pois sou baixinha e peso 48 kgs e tenho 300ml de silicone nos meus seios.
Fiz uma maquilhagem bem pesada que fiquei irreconhecível, parecia uma putinha, rs.

Quando sai do quarto o meu marido ficou de boca aberta e disse:
– nossa amor como você está gostosa, pegou a câmara e saímos.
Passamos num bar e compramos uma cervejinha gelada e quando íamos saindo os olhos dos homens me comiam dentro daquele vestidinho curtinho transparente mostrando as minhas coxas, minhas curvas e a calcinha preta e eu rebolava toda fresca.
Saímos do bar rindo e passamos da meia noite tirando fotos de todos ângulos com e sem roupa,teve uma hora que eu estava peladinha numa praça quando nos surpreendemos com um carro vindo em nossa direcção. O meu marido falou para eu não me apavorar, entrei no carro e ele disse para que eu não me debruçasse na janela do carro. Depois ele entrou também e quando o carro se aproximou eu fiquei gelada e os dois rapazes do carro passaram e me chamaram de tesão e gostosa.
Nossa a adrenalina foi a mil e quase gozei de medo e excitação toda peladinha na rua.O meu marido falou que eles me confundiram com um travesti ou uma putinha… eu ri e até gostei.
Dentro do carro, coloquei a roupa tremendo, tomei uns goles de cerveja e a esta altura eu estava toda molhadinha e quente.Demos umas voltas e já passado da 1:00h da manhã achamos um bar e snoker aberto. Entramos para tomar uma cervejinha,notei que tinha um jovem de mais ou menos 24 anos e um senhor grisalho alto e forte de uns 45 anos jogando snoker e um barman de uns 20 anos. Quando os homens me viram chegaram a parar de jogar,depois disfarçaram e continuaram, mas não tiravam os olhos das minhas pernas morena clara,bem torneadas ,com as coxas de fora devido ao vestidinho ser muito curto mesmo. Meu marido notou que eu estava me exibindo para os caras sentada com as pernas cruzadas acho até que dava para ver o fundinho da minha calcinha e sorriu como se estivesse gostando.
Conversamos um pouco e bebemos e aquele clima e olhares foi mexendo com o meu ego e vaidade.Eu já estava meia alegrinha devido a cerveja quando meu Marido perguntou se eu teria coragem de tirar fotos nua ali. Fiquei vermelha e excitada mas mexeu com meu orgulho e perguntei:
– você deve estar brincando? Pois, fizemos 30 anos de casados e eu já estou com mais de 45 anos mas tudo em cima é claro.
Ele respondeu se eu me garantia e eu de imediato disse que sim. Mas achei que fosse tudo brincadeira pois nunca fizemos nada além de tirar fotos e brincar,quando para minha surpresa ele se levantou e foi conversar com o barman em separado e vi quando o mesmo acenou com a cabeça como se dissesse sim, ele olhou para mim sorrindo e foi até a mesa de snoker e conversou com os dois homens e os mesmos também fizeram o mesmo sinal.
O meu marido me pegou pela mão e me apresentou como Jenifer para cada um deles e perguntou na minha frente se eles manteriam a palavra de não fazer nada que me constrangesse ou contra a minha vontade,eles juraram que não fariam nada e isto me deixou super segura mas vermelha de vergonha e medo. Tomei mais um gole de cerveja e meu marido me mandou simular uma tacada com o bumbum empinado e como nunca peguei um taco, o homem mais velho de nome Júlio encostou por trás e pegou a minha mão e me ensinou…
Nisto o meu marido começou a fotografar ,quando o Júlio encostou em mim senti a saliva descer seca de medo e tesão. Depois fiz varias poses e como o meu vestidinho era curto cada tacada que eu dava as bochechinhas redondinhas da minha bundinha ficavam à amostra e os homens ficavam cada vez mais excitados e sorriam directo.
Foi quando o meu marido pediu para o barman se não podia fechar a porta e ele concordou pois já era tarde. Quando fechou a porta eu fiquei mais segura e solta…
Meu marido pediu para ele se tinha um pano para por na mesa, imediatamente o barman pegou uma napa vermelha e cobriu parte da mesa.
Em seguida me colocaram sobre a mesa onde eu fiz várias poses sensuais inclusive ficar de quatro mostrando a mini calcinha para aqueles homens que nem falavam mais nada.
Toda hora esfregavam a mão ajeitando os seus membros que não escondiam mais os volumes acentuados me deixando toda vaidosa. Ai me desceram da mesa e tiramos varias fotos por mais de 30 min.
Eu fui ficando intima e relaxada com os três. Então meu marido mandou eu pegar o taco e encostar de frente na mesa e passar o giz e coxixou com o Júlio e o mais novo de nome Luiz e eles chegaram do meu lado e enquanto batíamos as fotos o Júlio baixou a alcinha do meu vestido que ficou quase aparecendo o bico do seio.
Continuamos a bater as fotos, o Luiz me ofereceu um gole de cerveja e quando coloquei o copo na boca ele abaixou a outra alcinha. Fiquei vermelha de vergonha e ao mesmo tempo cheia de tesão não sei como explicar mas eu estava adorando tudo, me pegaram e colocaram sobre a mesa e colocaram uma musica black bem lenta e gostosa e me pediram para dançar… olhei para o meu marido e ele concordou.
Eu já bem fresca e me sentindo a gostosa, comecei meia sem graça e dura a fazer alguns movimentos acompanhando a batida daquela musica e começou a subir um calor no corpo todo com os seios quase de fora e toda arrepiada e eles começaram a pedir para abaixar o vestidinho…
Eu comecei a rebolar e bem devagarzinho fui baixando e quando meus seios ficaram à amostra eles ficaram doidos e eu adorei ver os olhos deles me chupando os seios como se me devorassem.
Eu fui ficando cada vez mais excitada e toda meladinha desci lentamente todo vestido e comecei a rebolar como uma fresca só de calcinha e com os seios de fora… me senti deliciosa e eles pedindo:
Mais, mais, mais, tira tudo gostosinha linda!!!!
Olhei pro meu marido e ele balançou os ombros dando sinal verde…
Comecei a baixar a calcinha depois levantava-a de novo, pois faltava coragem e eles suspiravam cada vez que eu ameaçava tirar a calcinha que a esta altura já estava toda enfiada na minha xaninha…
Eu já estava louca para me mostrar mas tive medo diante daqueles homens temendo que eles perdessem a cabeça… aí o barman me deu um copo de cerveja e eu olhava para eles… eles mordiam e passavam a língua nos lábios como desejando me tocar. Me chamavam de gostosinha, tesão, delícia e eu fui tomando gosto…
Me virei de costa para eles e fui descendo a calcinha lentamente… eles ficaram mais loucos vendo a minha bundinha toda de fora e fui tirando tudo e fiquei peladinha rebolando bem gostosa.sexo ao ar livre
Me virei de frente com a xaninha rapadinha toda à amostra e comecei a passar as mãos no meio das pernas e esfregava-as na minha bundinha… fui esquentando, não sei como tive coragem, fui passando os dedos acariciando a minha xaninha feito uma taradinha e me achava deliciosa assim rebolando toda meladinha diante daqueles três homens estranhos até acabar a musica.
Eles me aplaudiram e elogiavam, e eu sentia-me uma rainha.
Então meu marido mandou deitar na mesa e me fotografou em vários ângulos, mas o mais difícil foi quando fiquei de quatro com a bundinha arrebitada virada para eles com a minha bucetinha arrerganhadinha, me arrepiei inteira, senti descer um líquido na minha xaninha.
Depois de varias fotos, inclusive sentada, nos colinhos deles coloquei o meu vestidinho e o meu marido guardou a minha calcinha no bolso. Estava pronta para sair dali quando o meu marido agradeceu o cavalheirismo deles e conversou baixinho com eles… Eu fiquei curiosa pois não consegui escutar.
Quando estávamos para sair o Luiz me pediu uma coisa para guardar de lembrança devido ao respeito que eles tiveram por mim. Eu respondi que dependia do pedido e ele pediu:
– Posso dar um beijinho na sua xaninha???

Eu me arrepiei toda e fiquei cheia de tesão. Olhei para o meu marido e ele falou que se eu me garantisse estava tudo bem, eu louca e curiosa para sentir aquela boca na minha xaninha e vaidosa concordei.
Nossa que loucura que eu fiz, o Luiz chegou perto de mim e eu levantei o vestidinho, separei um pouquinho as minhas pernas e o meu marido fotografando tudo, ele se abaixou e beijou bem no meu grelinho… Soltei um gemido de tanta tesão e ele aproveitou e enfiou toda a língua na minha xaninha e me chupou que parecia que ia me engolir e eu gozei fácil pois estava toda molhadinha!!!!
Com muito esforço arranquei a cabeça dele do meio das minhas pernas, sorri e disse que o acordo era só para beijar.
Chegou a vez do barman, o mais novinho se baixou e beijou a minha xaninha e se aproveitou e chupou como um louquinho e eu gozei de novo…. até empurrei a xaninha para a frente, segurando a cabeça dele com as mãos e sem muitas forças afastei a xaninha daquela boquinha deliciosa, aquela linguinha gostosa de dentro de mim gemendo de tesão…
Depois eu quis desistir mas o Júlio pediu por favor…. disse que não se aproveitaria da minha fraqueza… e como eu já não me controlava mais…. concordei e olhei para o meu marido que sorriu pois estava excitado com as fotos.
Foi quando levantei outra vez o meu vestinho e o Júlio me agarrou nas bochechas da minha bundinha cravando as unhas e colocou aquela linguona na minha xana, quase desmaiei e ele começou a chupar com força foi quando os outros dois excitados vieram e começaram a me chupar… Tiraram o meu vestidinho de novo me deixando nua e totalmente entregue ao prazer, um ficou atrás acariciando a minha bundinha, o Luiz me xupando os seios e o Júlio engolindo a minha xaninha toda!!!
Comecei a gozar alucinada e quase sem perceber, o barman me pegou pela cintura elogiou o meu bumbum, desceu as calças colocou a camisinha e começou a me penetrar no meu cuzinho enquanto o Júlio me chupava a xaninha….
Eu louca tentava empinar a minha bundinha bem para trás, mas não queria perder aquela língua dentro da minha xaninha… Quase não aguentava mais quando, o barman gozou no meu rabinho!!!
Nessa altura, o Luiz de 25 anos começou dizendo que nunca tinha visto um cuzinho tão pequenininho e lindo…. Pegou aquele talo grosso e começou a comer também o meu cuzinho… parecia que ia me rasgar toda com aquele talo dentro de mim inteirinho!!!
Como eu e meu marido não somos muito chegados a sexo anal, eu não aguentei e comecei a mexer com força e a rebolar de tesão com as mãos dele agarradas nas minhas bochechinhas redondinhas e abrindo o meu reguinho empinado facilitando a penetração… Depois ele gozou todinho no meu rabinho esgaçado.
Eu já estava com as pernas bambas quando o Júlio se levantou, largando a minha xaninha e desceu a calça e a cueca…
Quando vi aquela vara enorme e dura me assustei, aí ele me agarrou pela cintura e eu quis desistir mas, já toda molhadinha e dominada, abri as pernas e ele enfiou aquela vara toda na minha bucetinha… Dei um grito de dor e tesão e ele me pendurou no colo contra a parede, mexia com muita força e me fez gozar que nem uma cachorra engatada…
Então, eu, rebolando louca de tesão gozei inteirinha no colo daquele homem grandão, quando senti aquela vara jorrar um litro dentro de mim, senti até o calor!!!
Quando tirou aquele tarugo de dentro da minha xana melou toda as minhas pernas e eles sorriam e continuaram os elogios…
Eu pedi um pano e limpei as pernas, vesti o meu vestidinho todo amassado e toda satisfeita dei um beijinho em cada um. Peguei uma cerveja e saí junto com meu marido.
Eu mal conseguia andar com as pernas bambas.
Meu marido olhou para mim e disse:
– Ainda não acabou!!! Falta a minha vez amor…
E eu respondi:
– Peça o que quiser que a tua putinha realiza com todo prazer…

Ele ligou o carro e no meio de uma rua semi deserta parou e disse:
– Tira o teu vestidinho minha putinha gostosa!!!
Eu obedeci. Ele mandou eu andar nua pela calçada…
Os carros passavam e me chamavam de putinha, gostosa e de louca. Eu escondia o rosto com medo e fui novamente ficando excitada toda peladinha à mostra na rua.
Ele botou uma musica bem gostosa e mandou eu rebolar na frente dos faróis para ele… e assim eu fiz. Fui dançando com as pernas abertas me oferecendo e rebolando gostosa…
Fui começando a ficar toda meladinha e louca para ser comida de novo, quando ele me jogou no capô do carro e enfiou aquele pausão gostoso todo na minha xana e eu fiquei metade no capô e metade pendurada na vara dele… Gozei varias vezes até que ele também gozou…
Nos beijamos loucamente, pelados na rua.
Vestimos as roupas e fomos para casa.
Já se passaram três anos, isto foi em 2006 eu nunca mais tive coragem de fazer esta loucura de novo, mesmo às vezes me masturbando só de pensar .Mesmo o meu marido me motivando,até aqui eu não tive coragem de fazer mais.
Não sei de onde tirei coragem para fazer tudo isto.Tenho medo de fazer e não aguentar mais ficar sem aqueles beijos na minha xaninha, mas se eu fizer outra loucura vocês saberão.
Beijos a todos.
incontri online

Contos Eróticos em Portugal – Foda no Bosque

A Coelhinha reclamou por contos eróticos em Portugal e em Português, e este menino querido, o Sr. L. teve o prazer de me contemplar com um!!! 🙂 Obrigada.
Já agora, aviso que corrigi a tua escrita, que como tu mesmo disses-te era típica de quem passa a vida no msn. 😉
Espero que não leves a mal e vás continuando a partilhar connosco. Beijo Gostoso da Coelhinha... 😉

Bem, visto que a nossa coelhinha se queixa que não havia contos portugueses cá vai um :)….
chamo-me Sr.L., sou um puto novo mas já com algumas aventuras… e se gostarem desta contarei mais de certeza, visto que sou um fã aqui da nossa Coelhinha, mas vamos ao que interessa…

Na altura andava a comer a menina F., os nossos encontros baseavam-se quando ela saía do emprego ate ser horas de ir para casa… É que, eu era descomprometido mas ela tinha alguém. E eu era o gaijo que enfeitava a cabeça do homem, junto com a menina L., a gaija dele!!!
Isto é quase como na guerra… antes ele que eu!!! 😉

Numa dessas saídas, nós tínhamos um local para nos encontrarmos, cada um levava o seu carro e assim dificilmente alguém descobriria…
O local: era uma propriedade abandonada cheia de árvores, sebes, enfim, tudo o que existe num bosque. Era utilizado por muita gente ao fim-de-semana para fazer churrascos, etc, só que durante a semana nada de gente só nós 🙂 o que era ideal para poder comer aquele avião…contos eróticos em portugal foda no bosque
Ela era morena, 1,57m, olhos verdes, mamas pequeninas… mas um rabão meu deus!!!! Compreendia-se que só um homem não lhe chegava… era muita areia para um só camião!!!
Num desses encontros resolvemos dar uma passeata pelo tal bosque, era verão, estava um calor desgraçado, ela de vestido bem fininho eu de calções e de t-shirt de manga cavada.
Nós tínhamos as nossas brincadeiras como dois putos adolescentes… mas o sexo era a coisa mais discutida, era tudo o que tínhamos…. e porra que rico sexo!!!
Ela ao meu lado riu-se e eu perguntei-lhe:
– Que foi L.?
Ela respondeu-me:
– Não trago nada por baixo do vestido…
Quando me disse aquilo olhei para aquela cara de safada e espeto-lhe um beijo, depois, as minhas mão começaram a trabalhar sozinhas…. desceram por aquela cintura fininha ate aquele rabo grandao e finquei os dedos puxando-o para mim… levantando-a para o meu colo.
Ficamos um pouco por ali aos beijos enquanto ela estava sentada no meu colo, eu agarrava naquele rabão imenso!!! Depois sentei-a num tronco de uma árvore partido, baixei-me, levantei-lhe aquele vestido e chupei-lhe aquela ratinha quente e húmida, enquanto ela me puxava o cabelo e gemia de tesão… 🙂
Depois comecei a enfiar-lhe um dedinho, depois outro e mais outro… quando acabei já tinha lá 4 dedos e ela gritava, gemia, contorcia-se de prazer…
De repente, puxou-me a cabeça com muita força contra a coninha e veio-se para a minha boquinha, gemendo e trincando os próprios lábios, aqueles lábios apetitosos… Quando acabou começou a dizer para a comer com força:
– Anda!!! Tira a picha para fora e fode-me que quero mais!!! Anda fode-me!!!

Dizia isto como se não quisesse mais nada na vida….
Tirei o caralho para fora, que aquela hora já estava tão teso que quase me vinha só de a ouvir a pedir…. 🙂 Enfiei-lho de uma só vez sem dó nem piedade…
Ela ficou agarrada ao meu cabelo e gritava feito doida enquanto eu lhe chupava as mamas… Fodia-a bem gostoso num vai-vem delicioso…
Não tardou muito a ela se vir de novo… Depois disse-me que queria chupar o meu caralho, que queria o leitinho todo na boca dela… mas, eu ainda queria aquele cu (algo que ela ainda não me tinha deixado comer porque dizia que não gostava)…
Virei-a contra uma árvore e comecei a fode-la à canzana com aquele cu a piscar para mim… ela gemia e trincava os lábios. Enquanto eu a comia ela enfiava os dedos na ratinha, ela estava a delirar com aquilo e eu que só olhava para aquele cu e quase não aguentava mais de tesão!!!!
virei-a e esporrei-me todo na boquinha dela, ela lambeu tudo e engolia enquanto me limpava o caralho… foi uma foda muito boa mesmo…
🙂

Bem desculpem 3 pequenas coisas…
a 1ª palavras mal escritas com erros pk é assim que se escreve no msn e e difixil perder o vixio xP
a 2ª se fui mt directo ou nem por isso… não sei, mas e difixil escrever qd nos lembramos de situaxoes que foram muito boas xP
a 3ª sou novato disto por isso todas as criticas construtivas são bem vindas. Quero que vejam que tudo o que contei e o que poderei contar é tudo real e não fantasia, abaxos e um beijinhu pa coelhinha, espero que gostem 😉