Archive for » Abril, 2010 «

Joana a Virgem

Me chamo Paula e a história que vou contar aconteceu quando eu tinha 18 anos. E tudo aconteceu depois que entrei para a faculdade e conheci a garota mais linda do mundo…..
No verão de 2001 eu estava animada, pois iria ser o meu primeiro ano na faculdade de medicina. Estava louca para conhecer esse novo mundo que se iniciava para mim, mal sabia eu que não apenas a minha vida profissional iria mudar, mas toda a minha vida jamais seria a mesma.
No primeiro dia de aula tivemos o famoso trote, nesse trote eu conheci Joana, uma linda morena. Joana também tinha 18 anos e ao contrário de mim ela era muito tímida, pois acabara de chegar de uma cidadezinha do interior de Goiás para estudar em São Paulo. Tudo aquilo era muito novo para Joana. Eu me aproximei dela para fazer uma amizade a ajuda-la no que fosse preciso.
Como Joana veio de longe ela ficou hospedada no alojamento da faculdade e eu voltei para minha casa. No dia seguinte sentamos próximas para assistir a aula, ali percebemos que tínhamos uma grande afinidade…Joana que tinha lindos cabelos negros, boca rosadinha, um lindo olhar angelical, um sorriso meigo e tímido capaz de cativar todos que passavam a sua volta. A timidez a deixava mais linda ainda.
Nós tínhamos varias coisas em comum, talvez fosse por isso que ficamos tão ligadas. Em meio a todo aquele clima de estudos e novidades, a nossa amizade se tornava cada vez mais forte, já não conseguíamos ficar longe uma da outra. Um dia Joana me confessou que nunca havia transado com ninguém. Eu dei um sorriso e disse que ela não deveria ficar envergonhada, pois eu também era virgem e estava me guardando para o grande amor da minha vida.
Eu e Joana quando não estávamos juntas na faculdade ou em algum outro lugar, passávamos horas no telefone ou no MSN, tínhamos uma necessidade grande de estarmos sempre juntas, não conseguíamos entender, mas também nós nunca paramos para pensar sobre isso, apenas vivemos e fazíamos o que os nossos corações mandavam.
Se parássemos para pensar no que estava acontecendo, talvez iríamos criar conflitos em nós que nunca seriam resolvidos e poderia acabar com a nossa relação. Por isso, deixamos as coisas rolarem.
Tivemos que fazer uma trabalho em grupo, nossos amigos marcaram para ir fazer o trabalho no quarto que Joana estava, ficamos lá durante a tarde toda. No fim da tarde eles foram embora e eu fiquei para ajuda-la a limpar a bagunça que ficou. Naquele momento caiu uma grande chuva, muitos raios e trovões. E Joana me disse que tinha muito medo de raios…Eu disse que ela não ficasse com medo, pois eu não iria deixar que nada de mal acontecesse a ela. Foi então que a abracei bem forte e disse que ela era muito especijoana a virgemal para mim e que não conseguiria imaginar a minha vida sem ela.
Naquele instante senti que o coração dela batia no mesmo compasso que o meu, estamos na mesma sintonia. Aquele foi o melhor abraço de todos. Joana tinha um cheiro tão gostoso, ela cheira a flor, aquelas flores fresquinhas e lindas que acabaram de desabrochar… Ficamos abraçadas por alguns minutos…
A chuva ficou lá fora e nos dentro de casa só conseguíamos escutar os nossos corações. Como se fosse uma valsa, lentamente nos beijamos… Ahhhh que delicia de beijo…que lábios macios que tinha a minha Joana… Eu beijei tanto aquela linda boquinha rosada….Ela também me beijou, ela deu várias mordidinhas nos meus lábios, passava a língua sobre eles, chupava a minha língua com muito desejo. Eu perguntei a ela se ela realmente queria perder a virgindade comigo. Ela me disse que sim, naquele momento era a única coisa que ela queria.
Nós éramos inexperientes sexualmente falando. Mas deixamos que nossos desejos falassem mais alto. Nossos corpos ardiam de tesão, muito embora não soubéssemos fazer certas posições, o nosso desejo era tão grande que não nos importamos com nada. Eu e Joana fomos tirando a roupa uma da outra. Eu tirava a blusa dela, e admirava o lindo corpo que ela tinha, tirei o sutiã, e vi que ela tinha lindos seios.
Ela tirou a minha roupa de deu um sorriso dizendo:
“ você é linda! Quero você para sempre.”
Eu fiquei louca de desejo agarrei ela de comecei a beijá-la por todo corpo, como era gostoso o corpinho dela. Joana delirava de tesão….Eu dava chapadinha nos seios delas e passava as minhas mãos por todo corpinho de Joana….Meu desejo era muito grande, fui obedecendo ao comando o meu desejo, eu não conseguia me controlar. O desejo me controla. Tive uma enorme vontade de chupar a buceta de Joana.
Na mesma hora desci até a buceta dela, quando eu vi a buceta de Joana, como era rosadinha com pelinhos lisinhos… eu cai de boca, lambi delicadamente, chupei todo o grelinho rosadinho dela. Ela tinha um gosto tão bom, era tão gostosa a sensação de estar chupando Joana que eu não precisava que ela fizesse mais nada, eu só queria ficar ali sentindo aquele gosto delicioso. Como é bom sentir o gosto de quem amamos!!!
Eu ia chupando e Joana gozando….com Joana deitadinha, eu abri a perninhas dela e comecei a enfiar meus dedos dentro dela, fui fazendo de forma bem carinhosa, deitei ao lado dela, beijando a sua boa e colocando os meus dedos dentro dela. Tudo de forma carinhosa…
Ela segurava nos lençóis da cama e gemia alto. De inicio ela me disse que estava doendo um pouco, mas que não queria que eu parasse… Eu continuei enfiando, enfiando…. Até que chegou uma hora que Joana não era mais virgem. Joana gozou varias vezes naquela posição. Quando se sentiu casada me pediu para me deitar que ela iria fazer comigo tudo que eu fiz com ela. Ela também tirou a minha virgindade.
Desde aquele ano (2001), eu nunca mais consegui viver sem Joana, a minha virgem. Terminamos a nossa faculdade e ficamos juntas. Porque amores verdadeiros duram para sempre…

Trai o meu marido e gostei

Olá, eu sou a Mariana, tenho 29 anos e sou casada a 8 anos. Esse é o meu primeiro conto.
Todos os anos nas férias da família, viajo com meus filhos para praia, acompanhada por alguns parentes, meu marido nunca vai. E neste ano já sai daqui com a intenção de aprontar, pois sempre fui muito certinha, mas sempre tive muito tesão e meu marido já não me aguenta mais.
Então vou lhes contar como foi que conheci o Edu.
Foi em um domingo a tarde eu havia me afastado um pouco da minha família, e fiquei sozinha sentada nas pedras observando as ondas do mar, foi quando apareceu um homem lindo, moreno, alto, corpo sarado, e queimadinho de sol, e sentou do meu lado, não acreditei no que eu estava vendo. comecei a sentir uma atracão tão forte que quase não podia me conter, percebi que ele também estava sentindo algo, ficamos ali sentados por um bom tempo sem dizermos uma palavra, só nos olhando de forma discreta para ninguém perceber.
Depois de um tempo ele entrou na agua e ficou fazendo gestos me chamando para entrar também, e é claro que eu não resisti e entrei, e na agua marcamos um encontro em um lugar mais reservado, para nos conhecermos melhor. E meia hora mais tarde eu despistei minha família e fui ao encontro dele, foi quando eu descobri que ele também é casado e que sua família também estava ali, nosso encontro foi rápido apenas conversamos um pouco e nos beijamos, trocamos celular, e para minha surpresa ele mora na mesma cidade que eu, ironia do destino saímos da mesma cidade para nos conhecermos no litoral.
Eu não via a hora de minhas férias acabar para voltar para casa e ligar para o Edu.
Logo que retornei liguei para ele e marcamos um encontro, ele me levou directo para um motel (lugar onde eu nunca havia entrado antes), fiquei muito tímida e nervosa, pois era a primeira vez que saia com outro homem, mas ele não me deu nem tempo para pensar.
Foi logo me beijando me tocando, me jogou na cama, deitou em cima de mim esfregando aquele pau enorme no meu corpo, e me dizia que era muito gostosa,tirou a minha blusa e ficou admirando os meus seios pequenos e durinhos e dizia que eu parecia uma menininha, chupou meu peito com tanta vontade que me enlouquecia de tanto tesão, ele tirou minha calcinha e efiou o dedo na minha buceta que já estava toda molhada… ficou me fodendo com o dedo com a outra mao acariciava meu seio e me beijava, foi tanto prazer que eu gozei rapidinho gritando de tesão.
Ele disse:
– Já gozou gostosa?
E abaixou para me chupar dizendo que queria sentir o meu gosto, me chupou até eu gozar de novo ai que delicia.
Ele se colocou de pé e disse agora é minha vez e colocou aquele enorme pau na minha boca, nossa que cacete gostoso chupei feito uma louca depravada até ele gozar me lambusando de porra. trai o meu marido e gostei
Por um momento fiquei frustrada pensei que não iria sentir aquele pau dentro da minha buceta, porque com meu marido gozou acabou.
Mas para minha felicidade o pau dele nem balançou, permaneceu firme e foi logo enfiando a pica dentro da minha buceta e socava bem rápido e forte me levando a loucura, gozei varias vezes, e toda vez que eu gozava ele tirava a pica de dentro de mim e me chupava.
Nunca havia sentido algo parecido, ele me pegou de 4 subiu em cima de mim, e eu gemia de prazer e ele dizia:
– Grita gostosa, mostra pro seu macho o que você tá sentindo…
Apertava minha bunda e me chamava de ninfeta safada, e foi me socando com muita força que eu já não me aguentava mais, ai eu resolvi tomar conta da situação, pedi para ele deitar, sentei em cima dele e fiquei rebolando e cavalgando naquele enorme pau até que ele não aguentou mais e gozou gritando como um louco:
– Toma porra gostosa… toma….

Nossa que homem é esse… quase me matou de tanto tesão.
Ficamos quietos cansados e calados por um tempo, até que ele me disse que eu era muito gostosa e que queria me foder de novo, ai eu pensei eu não aguento mais, mas ele me pegou no colo e me levou para banheira do motel, ai daquele sexo selvagem, passou para um sexo com carinho, ele me beijava e fodia ao mesmo tempo me acariciava e sussurrava no meu ouvido, que nunca havia comido uma mulher tão gostosa…
Eu nunca havia sentido tanto prazer na minha vida, fizemos amor na banheira de todas as formas possíveis até que gozamos juntos, foi simplesmente maravilhoso, trai o meu marido e gostei, depois disso é claro que virou meu amante, e já faz 4 meses que transamos como loucos. há e meu marido nem imagina.

Primeira vez a foder o meu amigo

O que vou contar aqui aconteceu quando eu tinha 17 anos, com o melhor amigo do meu marido.
Meu nome é Duda, tenho 22 aninhos e estou casada com o meu marido que vou chamar RO. O amigo dele, o DU, olhava-me com muita vontade de me comer, ele realmente me comia só com os olhos. Um dia, numa noitada a gente saiu, eu e o RO mais o DU e a esposa dele que vou chamar de PA.
Nesse dia eu estava linda, como sempre ele me comendo com os olhos, a gente bebeu muito e o DU ficava sempre me dando muita bebida para me deixar louca já com segundas intenções.
Eu ia bebendo tudo até que a gente foi embora, fomos passear juntos pela noite, alugamos um filme erótico e ficamos ali os 4 assistindo ao filme. Estava sendo uma noite perfeita e eu já estava louca de tesão até que o DU com a sua esposa começaram a transar ao nosso lado. Daí como já estávamos todos excitados, eu e o RO começamos a fazer amor ali do lado deles também.
Nessa noite não aconteceu nada demais, apenas eu passava a mão pelo meu corpo e o marido dela ficava me comendo com os olhos, o meu marido também olhava para ela mas nada aconteceu, até que terminamos a foda e pegamos no sono. Aliás eles pegaram no sono, porque eu não conseguia dormir.
Estávamos deitados num colchão de casal e um de solteiro juntos, estávamos lado a lado, e eu não conseguia pegar no sono, estava eléctrica, até que comecei a imaginar eu ali ao lado do Du, podendo tocar ele, fazendo mil loucuras, só mais tarde adormeci.
Acordei ainda cedo, estava claro, quando olhei para trás vi o meu marido dormindo no sofá e o Du ao meu lado, de rosto virado para mim… era tudo o que eu precisava…
Comecei a roçar a minha perna na perna dele, eu estava só de camiseta e calcinha e não estava aguentando mais. Tinha vontade de acariciar o pau dele, quando por fim ele abriu os olhos, acordou e eu fiquei com imensa vergonha. Aí fechei meus olhos dando a entender que também estava dormindo e sonhando, mas pra minha alegria quem estava agora me acariciando era ele…
Eu já não me continha mais, foi quando ele me agarrou e eu abri os olhos, ele com a sua mulher atrás das suas costas dormindo, não se conteve também e passou a mão pela minha buceta que já estava encharcada.
Ele disse que me queria chupar todinha, sentir aquele melado da minha buceta na boca dele, foi aí onde marcamos nosso primeiro encontro de foda, e foi a primeira vez que eu traí o meu marido.
Combinamos que seria naquele dia mesmo, e naquele mesmo lugar, iríamos despistar os nossos parceiros para matarmos a nossa sede de sexo…
Eu estava louca por ele, esperava ansiosa no ponto onde marcamos. Quando ele chegou me levou para casa dele como combinado. Ao descer do carro ele começou logo a me beijar, a me chupar, me apertava, passava a mão entre as minhas pernas… Eu estava de saia curta deixando à mostra as minhas lindas coxas, e os meus seios com uma blusinha decotada.
Estava linda, era um Domingo à tarde, ensolarado, ele veio me pegar de uma forma que eu não conseguia pedir para ele parar, ele me levou para a sala onde tudo começou e disse que tiraria a minha virgindade, coisa que o meu namorado da época não soube tirar… Ele dizia que havia batido várias punhetas pra mim, a pensar em mim, no meu corpo, mas que agora tinha chegado a hora e ele ia me comer todinha. Daí ele tirou toda a minha roupa, me deixando só de salto alto e foi chupando a minha bucetinha e descendo a língua até ao meu cuzinho.
Até ao momento eu era virgem daí eu disse a ele que nunca tinha sido enrrabada, então ele me disse:
– Então vai ser hoje que tiro a sua virgindade por inteiro…primeira vez a foder o meu amigo
Começou a tirar a sua roupa e com o pau já duro enfiou na minha boca, nossa eu chupei tão gostoso que ele não se conteve e explodiu num gozo só enchendo minha boquinha de porra com seu leite quente, daí o pau dele nem amoleceu, permaneceu duro e me pôs de 4 e me fodeu de uma forma na minha bucetinha, ele metia com uma força que estava me deixando louca, cada vez mais e mais, mas de repente ele parou de meter e caiu de boca na minha bucetinha encharcada e começou a lamber também o meu cuzinho, foi quando ele introduziu um dedo e eu dei um gemido de dor, mas ele disse para eu relaxar que assim não iria doer. Então eu me deixei ir levando, quando o meu cuzinho já estava se acostumando com os seus dois dedos dentro dele, ele vem com aquele pinto grosso e começa a tirar a virgindade dele, e confesso que a dor estava misturada com o prazer, aí fui-me deixando levar e foi quando ele de uma só vez enfiou tudo me tirando um grito de dor… Mas ele não parou, foi continuando me socando, aí eu fui habituando e comecei também a gritar de tesão, ele metia tão gostoso que nem dor eu via mais, foi quando ele tirou do cuzinho e pôs na bucetinha, quando me dei conta estava gozando, e ele anunciando o gozo também, gozou muito na minha bucetinha.
Quando ele tirou aquela pica de dentro de mim eu percebi que tinha um pouquinho de sangue e ele disse:
– Agora sim, você não é mais virgem, tirei o cabacinho direito agora…
Nossa foi uma tarde inesquecível, fodemos muito, aquele dia fui embora já era noite… Ia toda ardendo, toda rebentada e quando cheguei em casa ainda tive de dar pro meu marido…
Ele esse dia me disse que a minha bucetinha estava uma delicia. Foi aí que eu conclui que o homem gosta do cheiro de outro homem Rssss Ele não percebeu nada, eu naquele dia estava exausta e acabei dormindo toda suja de porra do meu marido, o trouxa.
Até hoje, às vezes, saio com o DU, eu adoro foder com ele, ele diz que sou a putinha louca dele, que sou inesquecível e que dei o meu cuzinho pra ele de uma forma que nenhuma outra deu.
Eu e o Du fazemos muitas loucuras, já saímos com um casal e mais um amigo dele e a mulher. Mas essas loucuras conto em outra história.
Espero que gostem dessa história, beijos. DUDA.

Contos reais – Do Chat para sexo real

Olá, chamo-me Pedro, tenho 31 anos e sou casado do norte de Portugal.
O meu conto é totalmente real aconteceu no principio de Abri.
Era uma quarta feira, entrei numa sala de chat e logo depois comecei a teclar com uma “Ana” trocamos os nossos msn e fomos falar mais há vontade, logo me disse que era divorciada, 37 anos 1 filho! Que era muito simpática e atrevida e que não tinha qualquer tabu e adorava viver aventuras ou mesmo loucura,eu respondi que também adorava loucuras principalmente de sexo desde virtual a real!Contos reais Do Chat para sexo real
Passado pouco tempo já tínhamos as nossa câmaras ligadas e pode ver que ela era muito bonita, um pouco forte mas linda! Senti de imediato uma enorme tesão, falamos de todo um pouco sobre sexo,do que já tínhamos feito e o que gostávamos de ainda fazer. Não aguentamos de tanta excitação e acabamos por nos masturbar um para o outro em frente há web,de muitas mulheres que já vive esta experiência foi uma das melhores sessões de sexo virtual que tive!!!
Logo marcamos para nos encontrar pessoalmente pois apenas uma distancia de 50 km nos separava,esperamos pela sexta feira e foi ter a casa dela pois não tinha com quem deixar o filhote!
Cheguei lá por volta das 21 horas, falamos um pouco das nossas vidas ,mas a tesão que sentíamos era muito forte que mal falava-mos só nos beijava-nos,ela disse “anda vou te mostrar a casa “eu respondi:”começa pelo teu quarto”…
Mal entramos no quarto beijamos-nos loucamente tiramos nossas roupas ficamos completamente nus,pode ver a sua vagina totalmente lisinha,caí de boca e língua e chupei-a com tanto prazer que ela logo se veio na minha boca, trocamos e ela me chupou tão bem que tive que fazer uns esforço para não me vir na boca dela,de seguida ela vem para cima de mim e aponta o meu pau duro e enorme na entrada da sua gruta húmida e quente, deixando entrar lentamente cm a cm ate aos tomates…
Fodemos como loucos durante uma hora!!Foi maravilhoso !!!
Para as mulheres que queiram conversar no msn amigo.moreno.simpatico@hotmail.com

Dei meu cu e gostei

Antes de mais nada quero dizer que este conto é totalmente verdadeiro, apenas usarei nomes fictícios para não comprometer ninguém.
Bom, vivi minha infância no interior do ceará, onde morávamos numa cidade relativamente pequena, num bairro de periferia, numa rua onde fiz amizades com muitos coleguinhas. Estudava pela manha e à tarde me juntava aos meus coleguinhas para brincar, cuja brincadeira predilecta era de “esconde-esconde”.
Na época eu tinha apenas 11 anos, não sabia nada de sexo e nem tão pouco tinha nenhuma maldade. Nesse dia fomos brincar numas matas perto de casa, onde tinha duas casas abandonadas. Começamos a brincar de se esconder e Júlio, meu amiguinho que morava de frente a casa em que eu morava, fomos para uma dessas casa, fui no banheiro, subi pela porta e entrei na caixa dágua, nisso, Júlio vendo que eu estava bem escondido, quis também ficar junto comigo, ficamos de pé apenas com a cabeça de fora, olhando por cima o beiral da caixa.
Lá em baixo tinha um casal de jumentos pastando, vimos que o jumento estava com o pau duro querendo subir na jumenta, aquela cena mexeu connosco. Percebia que Júlio se encostava por trás de mim e sentia seu pau duro forçar a minha bunda, mesmo vestidos. Procurei empurra-lo e ele pediu calma dizendo:
– Olha como meu pau está duro!!!! colocando-o para fora do calção.
Fiquei admirado com seu pau que apesar de sua pouca idade, entre 13 para os 14 anos, era grande e grosso, a cabeça avermelhado e bem empinado. Eu era tão ingénuo que disse:
– É grande, é maior que o meu…
Ele então continuou:
” Pega, vai…
E eu peguei ficando um pouco excitado, era macio e duro ao mesmo tempo.
Ele disse:
– Balança vai!
E continuou:
– Assim não!
E me ensinou, eu então fiquei masturbando-o.
Em seguida ele disse:
– Baixa o teu calção e deixa eu comer teu cu?
Eu ingenuamente baixei o calção e disse:
– Come… sem entender o que seria aquilo.
Ele então me virou de costas, abriu minha bunda, colocou seu pau na entrada do meu cu e forçou. Sentir uma dor tremenda e o empurrei, dizendo:
– Não, está doendo! dei meu cu e gostei
Mas ele disse para eu ter calma:
– Deixa eu fazer de novo que eu coloco bem devagarzinho, deixa que eu deixo você comer o meu também.

Aquilo tudo me atraia, estava excitado e achava que era normal até porque vi o jumento enfiando o pau todo na jumenta e achei que ele estava comento o cu dela.
Ele insistiu dizendo:
– Vamos… Eu deixo você ficar no comando você mesmo vai empurrando conforme você aguentar, se doer você para.
Então eu me virei, peguei seu pau e ele disse:
– Espera, deixa eu passar cuspe que fica melhor…
Lubrificou todo seu pau, passou um pouco no meu cu e com a ponta do seu dedo ficou massajando meu cuzinho, enfiava a pontinha do dedo e tirava, fiquei excitado, com o pau duro e peguei novamente seu pau e coloquei no meu cu, forçando um pouco, doía muito, mas ele disse que era só no início, depois passava e eu me acostumaria.
Ele abria minha bunda para facilitar e eu ia forçando minha bunda para traz até que senti a cabeça romper as pregas, doeu um pouco, mas ele disse:
– Só dói a cabeça, depois que ela passar o resto não dói mais!
E fui acreditando no que ele dizia, até que foi entrando e eu gostando, seu pau estava quase todo dentro, sentia meu cu sendo preenchido por aquela rola grossa e grande, minha pregrinhas iam se rompendo, mas era gostoso.
Meu pau também estava duro, ele mandava que eu me curvasse e abrisse mais minhas pernas, ficando todo arreganhado. Por baixo de minha barriga ele pegava no meu pau e ficava me masturbando.
Era gostoso, sentia uma sensação muito boa, sentia seu pau inchar dentro de mim, ele fazia movimentos de “vai e vem” me deixando louco de prazer, nunca havia gozado e ali estava já para explodir dando meu cu sentindo-me uma putinha.
De repente comecei a sentir uns espasmos dentro de mim, ao mesmo tempo em que Júlio dizia:
– hum…vou gozar, hum, hum… vai goza também…
E aumentou o ritmo dos movimentos tanto do meu pau me masturbando quando do seu no meu cu arregaçando com força, diminuiu um pouco e soltou um gemido: haaaaa…
Sentia uma coisa quente invadindo-me por dentro ao mesmo tempo em que eu também gozava, numa das vezes retirou seu pau deixando escorrer um líquido por entre as minhas pernas, tornando a colocar seu pau no meu cu novamente e dizia:
– Ai que gostoso…

Depois perguntou-me:
– Você gostou?
Claro que eu tinha gostado, mas fiquei calado, encabulado e preocupado que ele pudesse dizer aos outros meninos, no que eles pudessem pensar, então disse:
– Júlio, não conta para ninguém, se não eles vão pensar que eu sou viado…
Ele me tranquilizou dizendo:
– Não se preocupe, esse é nosso segredo.
Em seguida vestimos-nos e saímos.
Ao chegar, nossos colegas indagaram:
– Onde vocês estavam?
E respondemos:
– Estávamos bem escondidos e como não conseguiram nos encontrar, resolvemos voltar.
Os dias foram passando e sempre que brincávamos dessa brincadeira Julio me comia, até que viajei para Fortaleza.
Depois aconteceram outras experiências, mas fica para outro conto.
tchat incontri