Archive for » Dezembro, 2011 «

Foda de sonho

O amor sempre existiu, da minha parte… uma vontade enorme de saber se resultaria…cada vez que ela estava presente um tesão, uma curiosidade como seria na cama um imaginar de posições, de sexo a bruta de sexo suave…mas ela era casada, intocável…
Um dia estávamos numa casa vazia sem mobílias, simplesmente uma carpete no chão… por algum motivo o marido tinha saído uns dias… eu sabia que ela não o queria trair, eu mesmo não me sentia confortável com a situação…mas resolvemos ir passar esses dias como bons amigos que sempre fomos, numa região que sempre nos fascinou pelas belezas naturais…
Estava um dia cinzento, frio… daqueles que apetecia estar em casa embrulhados num cobertor…das poucas coisas que existia naquela casa.
Estávamos deitados na carpete a falar das nossas vidas, embrulhados no cobertor, vestidinhos… de repente ficamos um pouco calados e vejo-a a meter-se debaixo do cobertor… achei que seria uma brincadeira para me picar…de repente sinto-a a beijar o meu pau por fora das calças… ainda incrédulo e na expectativa, pesei vamos ver o que vai dar…sentia o meu caralho a latejar… a crescer debaixo das calças…
Ela desapertou os botões e tirou-o para fora e começou a suga-lo, a passar a língua na cabecinha (ela sabia que eu nunca me tinha conseguido vir com um broche) tirou o cobertor de cima de nós e começou a chupa-lo e a olhar nos meu olhos, eu sabia que ela queria ser a primeira a conseguir, chupou mais um pouco e eu esporei-me todo na boca dela, parece que o mundo tinha desabado… ela engoliu a esporra, olhou com aquele ar de vitoria eu consegui…eu não falei sabia que era isso que pensava…foda de sonho
Ela dirigiu-se a janela eu fiquei ainda incrédulo a olhara, a gozar o momento… ela apesar do frio estava com uma sainha de dormir, abriu a janela e debruçou-se, dava para ver o papo da cona, com o fio dental no rego do cu, e da cona… eu só olhava…até ela dizer “vai ficar ai a olhar ou vais-me comer” ao mesmo tempo que levanta a saia e desviava o fio dental deixando ver os buracos abertos… enquanto esfregava o grelo…
Aproximei-me ainda com ele murcho e molhado do broche… o coração batia a mil, eu achava que de tanta ansiedade ele não ia levantar, mas bastou encostar a calor que saia dela e lá estava ele de novo teso… enfiei-o com ela dobrada a ver a paisagem inicialmente de uma forma lenta depois a bombear… ate ela me dizer há mais um buraco que me podias encher…
Não precisava dizer mais nada, dobrou-se mais um pouco e comecei a mete-lo no cu, senti a cabeça a entrar até ao ponto em que era preciso empurrar mais, vi que ela se agarrava com mais força a janela sabia que lhe estava a doer, deixei que ela se fosse empurrando contra mim…até sentir que já tinha passado a fase critica, já estava todo dentro sentia os colhões encostados as nádegas dela… bombei devagar até sentir que ele estava bem aberto… depois enfiai-lho no cu e na cona a vez enquanto ela olhava para trás com ar de quem estava a delirar…
O frio começava a incomodar, ela fechou a janela e foi-me empurrando, “deita-te” deitei-me de costas na carpete e ele continuou por cima de mim a enfia-lo no cu e na cona, até começar a gemer de uma forma intensa sabia que era agora tentei controlar-me para me vir em simultâneo com ela…
Ela apercebeu-se controlou o ritmo dela e veio-se, eu fiquei desconcertado, até ela me dizer quero que acabes a bater uma para me encher as mamas de leite, quero ver o leite a sair… assim foi a olhar para a cara dela, a ver o jacto a sair a esbarrar nas teta delas enquanto ela as esfregava, e lambia os lábios…foi a melhor foda que já tive…nada foi falado, amigos para sempre…aconteceu ficara para sempre… um foda de sonho…

Aula de sexo e de puro tesão!

Ela, a aluna, sedenta de conhecimento! Seios rosados, cintura fina e barriguinha linda… que faziam o seu professor morrer de tesão! Pele morena clara, cabelos pretos, lisos e compridos…. macios e sedosos, que ele também adorava! Uma bucetinha de pêlos curtinhos e gostosos, iniciante em matéria de sexo!… Jeito de menina, mas extremamente sensual… que o provocava! Ele, o professor, sedento de desejo!… Experiente… e isso a excitava muito! Ela delirava, só de imaginar o que ele conhecia desse universo do sexo e do prazer e poderia lhe ensinar! Pele morena clara também, cabelos castanhos, olhos fortes e penetrantes! Sorriso lindo e enlouquecedor…. Barba por fazer… que ela adorava quando roçava seu rosto, arranhando seu corpo inteiro, fazendo-a perder a razão! Peito largo, um bumbum delicioso e um pau gostoso de fazer enlouquecer qualquer aluna… Era mais um dia comprido, estudo e trabalho rotineiros para os dois! Mais um dia se passara e era hora de ir pra casa! Mas a noite seria recompensadora!
Quando ela saiu da faculdade, seu professor gostosão preferido estava lá! Encostado no carro dela, com um sorriso malicioso e um olhar intimador! Ela sabia que ele podia aparecer a qualquer hora… ele devia algumas aulinhas para sua aluna! Mas ele fazia jogo duro, tática para aumentar ainda mais o desejo… Ela ficou surpresa e sorriu com o mesmo sorriso malicioso e foi ao seu encontro. Aproximou-se do seu professor, sentindo o cheiro provocante do macho que a excitava e cochichou ao seu ouvido com uma voz doce e sexy: ‘Sentiu saudades da sua aluna?’ Ele, sorrindo, calou e consentiu!
Saíram no carro dela, ele foi dirigindo. E o destino? Só ele sabia! O mais óbvio era se destinarem a um motel próximo dali, como nas últimas aulas! Mas, não entendendo o rumo tomado, após passar pela rodovia, por vários motéis, ela perguntou: ‘Para onde estamos indo?’ Ele sem responder jogou o carro em uma estradinha vicinal… Aula de sexo e de puro tesão
Tem lugar mais excitante pra estrear o carro novo dela? Ela já conhecia uma dessas estradas… mas na outra oportunidade, não aproveitaram o quanto poderiam! Dessa vez, seria uma aula inédita e casual! Passado uns 2 min ele parou o carro rapidamente e lhe deu um beijo ardente…. à medida que as línguas se entrelaçaram ele começou a palpá-la pelo corpo todo… logo ele tirou sua calcinha e continuou a conduzir o carro… uma das mãos no volante e a outra entre as pernas da sua aluna gostosa. Ele ia a bolinando e ela manipulando seus dedos, mostrando como queria, como gostava… e o melhor, ela estava a vontade e disposta para todos os viajantes verem…
Ela não se importava, aliás o tesão estava acima de tudo naquele momento! Então, em um mata-burro, ele parou o carro novamente, e bruscamente, deitou o banco do passageiro e se deslocou rapidamente até a sua buceta, que aliás, estava bem meladinha… Foram 10 min de muito sexo oral… delicioso, tanto que ele não agüentou e a puxou repentinamente e a colocou para chupar o seu pau, latejante de tanto tesão… mais 5 min de puro tesão!
Loucos para consumarem o ato, ele tocou o carro para frente e o estacionou debaixo de uma Aroeira… lá o bicho pegou! Banco da frente, de trás, capô… Foram muitas posições em um curto espaço de tempo, com uma sede voraz, de quem não se via, a tempos! Professor e aluna, cheios de saudade e muito tesão! Logo os dois gozaram…. as pernas estavam bambas, quando avistaram um outro carro vindo no sentido deles. Adrenalina a mil por hora! Sorriram e se recomporam para tomar o rumo de casa….. mas, ainda na rodovia de acesso a cidade, ele mal sabia o que ela tinha em mente ainda! Ele, como gentil cavalheiro e motorista, tbm foi dirigindo de volta…. e ela sem muito o que fazer no caminho, resolveu continuar na sua preferida ocupação: provocar o seu professor! Começou a atiçá-lo novamente…. a passar a mão na nuca dele, a acariciar os cabelos, a colocar a mão dentro da sua camisa e, atrevida, como ele a havia ensinado a ser, foi logo verificar se ele já estava preparado para saciar a sua aluna novamente… E como estava!
Ela abriu o zíper e deixou o seu pau, já durinho e latejante a sua mercê novamente…. é claro que o carro dela ainda não tinha filme nos vidros! Ele que se cuidasse e não parasse do lado de um ônibus ou caminhão…. pq, definitivamente, ela não ia parar! Ela ainda tinha sede dele…. do seu pau gostoso e queria mais! Suas mãos e sua boca deliciosamente quentes e sedentas, começaram a acariciá-lo, a beijá-lo, a lambê-lo, a sugá-lo de novo…. de forma torturante! O tesão foi tanto que ele resolveu então, ir para um drive-in (outro lugar excitante para fechar a noite da estréia do carro novo) e começou ali mesmo, no meio da rodovia a tirar a calcinha dela novamente…
Ainda dirigindo ao seu novo destino, ele não sabia se puxava os seus cabelos para olhar nos seus olhos ou se a empurrava com mais força de encontro ao seu pau… ou se continuava a esfregar a sua bucetinha gostosa e a enfiar os seus dedos atrevidos dentro dela. E, como exímio motorista,… ele dirigia e fazia tudo isso ao mesmo tempo, com perfeição! Nem ele se importava com mais nada…. O perigo de serem vistos era excitante! Ela usava as mãos, a língua, os lábios, chupava e se deliciava…. jamais havia imaginado que sentiria tanto prazer em fazer aquilo… e como sentia! Logo chegaram ao seu destino! Assim que entraram no box, ela, de saia e sem calcinha, partiu para o banco dele! O colocou bem gostoso dentro dela e começou a rebolar em cima do seu pau, fazendo-o entrar e sair a sua vontade…. gemendo e se deliciando de prazer! Ele logo tirou sua blusa, seu sutiã e começou a chupar e a lamber seus seios… Ela arranhava suas costas, tirou tbm a sua blusa e se beijavam com desejo!
Ela mordia a sua boca, sua orelha, seu queixo….. Ela cavalgava sobre ele…. e ele a ajudava com suas mãos segurando sua bundinha, sua cintura gostosa….. Trocaram de posição e com o banco do motorista abaixado, ele a deitou de costas e a penetrou com força, bem fundo! Puxava os seus cabelos e ela pedia mais…. seu pau todo dentro dela! Os vidros do carro já estavam embaçados… os gemidos e palavras indecifráveis dos boxes vizinhos completavam o cenário pecaminoso e excitante de um drive-in em noite de aula de puro tesão! Desceram do carro… ela, somente de saia e sandálias…. ele a colocou no capô do carro e beijava cada centímetro do seu corpo… tirou a sua saia e a deixou somente de saltos altos! Ele de novo retribuiu o sexo oral que ela havia lhe dado…. e ele, divinamente, com a boca e a língua mais gostosa e safada do mundo, começou a sugá-la e a lamber e a chupar todo o seu mel….
E como ela pedia mais e mais e mais! O seu corpo estremecia… e ela pedia por ele dentro dela! ‘Mete gostoso esse pau todo na sua aluninha, vai!’ Ele atendeu prontamente, apoiou as pernas dela nos seus ombros, segurando o seu peso e começou a penetrá-la com desejo de saciar as curiosidades e o tesão da sua aluna naquela noite! Ele então a virou de costas e a possuiu em mais uma nova posição… metia seu pau delicioso bem fundo, bem gostoso…. as mãos dela suadas, escorregavam pelo capô do carro, ele puxava os cabelos dela já suados e grudados no seu corpo, e ela adorava quando ele fazia isso a chamando de gostosa, de safada! A aula acabou com ela sentada dirigindo sentada no colo dele, no pau dele…. ela de costas, segurando o volante…. ele mordendo sua nuca, sua orelha, segurando seus cabelos, acariciando seus seios, susurrando cada palavrão pecaminoso ‘toma safada, gostosa, vou te comer todinha’, entrando e saindo da sua buceta quente, úmida, macia, apertadinha e deliciosa….
Ela respondia ‘que delíciiiia, me come todinha professor!’ e segurava o volante e dirigia gostoso seu corpo na direção do dele, do seu pau duro, quente e igualmente delicioso… ao invés do câmbio do carro era o seu pau duro e latejante que ela precisava segurar, apertar, acariciar… ela o queria na milésima marcha, a mil por hora dentro dela! Ela perguntava para onde ele queria que a aluna motorista o levasse e ele respondia bem ao pé do ouvido, que ele queria ir ao Paraíso! Ele abraçava a sua cintura, apertava seus seios, acariciava a sua bucetinha, seu clitóris e a fazia gozar…. que aula de direção! Que aula de sexo e de puro tesão!

Fazendo a coroa gozar

Sempre tive atracão por mulheres mais velhas do que eu, no meu caso como tenho 40 anos sempre procurei mulheres na faixa etária acima da minha idade.
Em Julho do ano passado (2010) conheci através da internet (melhor coisa que já inventaram para conhecer pessoas) uma mulher (vamos chamá-la de Sandra) de 52 anos, branca, educada e atraente e que estava em pleno processo de divorcio.
Após um mês de conversa e aproveitando uma folga no trabalho eu a convidei para sair para nos conhecermos pessoalmente e bater um papo, de cara ela aceitou sem fazer muitas perguntas.
Quando a vi pessoalmente dei uma geral nela com os olhos e fiquei interessado em saber mais, depois de andarmos de carro por alguns minutos chegamos a um parque afastado do centro da cidade com pouco movimento, conversa vai, conversa vem ela deixou escapar que seu ex já estava há 6 meses fora de casa morando sozinho em outro estado, e por causa disso ela pediu o divorcio.
Segundo ela houve uma grande discussão onde cara havia dito muitas besteiras, uma delas e que “ela estava velha demais e que estava fria na cama”, continuamos a conversa quando de súbito dei-lhe um beijo na boca e ela aceitou de pronto, nos beijamos por alguns instantes e parti para o ataque fazendo varias caricias nela, ela e claro dizendo não mas com jeito fui vencendo as barreiras quando de repente abri o zíper da calça deixando amostra meu pênis já duro como uma pedra, ela não se fez de rogada e caiu de boca, foi um boquete divino onde depois de alguns minutos não consegui segurar, eu a avisei que iria gozar e ela nem ligou e gozei dentro da boca dela sem menor constrangimento.
Nos arrumamos e fomos embora, duas semanas depois fui a casa dela, mau entrei e já fui lhe dando um beijo de língua para deixá-la ciente do que vinha pela frente, como dois loucos começamos a nos despir, ela toda branca com seios médios, com tudo depilado até o anus, Sandra ficou me olhando por alguns segundos então disse, “será que dou conta”, pois ela com seus 1,60 aproximadamente e eu com 1,78 de altura e com 19cm de pica muito grossa ficou ali parada por alguns segundos, peguei-a no colo e fomos para a cama e já cai de boa chupando com muita voracidade sua buceta e seu ânus ela se retorcia toda e eu não parava de chupá-la e massagear seu clítoris, não demorou muito para que ela soltasse um grito que até os vizinhos devem ter ouvido, ela havia gozado depois de quase 10 meses sem sexo…Fazendo a coroa gozar
Não dei tempo para ela aproveitei que estava bem lubrificada, coloquei a camisinha que ajuda a retardar a ejaculação e mandei toda a minha pica para dentro daquela buceta melada e quente, ela me pediu para ir devagar mas não dei ouvidos e a penetrei com uma certa dose de força e não parei mais dar estocadas violentas nela, chupava-lhe os seios com muita força e ao mesmo tempo as estocadas aumentavam, aproveitei meu tamanho e força e a subjuguei eu a colocava de todas as posições possíveis.
Em dado momento me deitei e ela veio por cima, ficando de costas para mim eu a apoiava com minhas mãos nas costas dela e num ritmo alucinante dava-lhe varias estocadas quando ela soltou outro grito ainda mais alucinante, ela gozava pela segunda vez e aproveitando o embalo aumentei o ritmo e quando estava prestes a gozar tirei a camisinha e a coloquei para chupar e gozei logo em seguida soltando 2 jatos longos de esperma dentro de sua boca, ela engoliu e em seguida me deu um beijo de língua.
Ficamos por um tempo deitados e fomos tomar um banho, durante o banho comecei a acariciá-la novamente, ela se ajoelhou e começo a me chupar, fiquei de pau ereto novamente e voltamos para a cama e fizemos um 69 por um bom tempo, eu chupava seu ânus e massageava também, ela sabia que seria fodida por trás e me pediu para ter cuidado, com um gel e usando os dedos massageei bem seu rabo.
Ela ficou de quatro e então comecei a penetração, tive que ir devagar pois ela estava bem apertada mesmo, quase desisti pois ela reclamava muito mas disse para não parar, enfim consegui enfiar meus 19cm de pica roliça dentro daquele cu rosadinho, aos poucos aumentei ritmo e comecei dar estocadas cada vez fortes, vendo que seu rabo já estava bem dilatado, coloquei-a de quatro novamente e dei uma sessão de estocadas fortíssimas quando ela gritou novamente e caiu na cama desfalecida pelo terceiro orgasmo da noite.
Depois de um tempo ela me chupou ate eu gozar novamente em sua boca.
Quando estava de saída ela me disse que precisava ter aquela noite de sexo para saber se ainda era capaz de sentir e dar prazer, eu agradeci a oportunidade e hoje, mais de um ano depois continuamos a sair e para transar muito, nossa ultima aventura foi uma suruba com um casal amigo dela, essa aventura fica para a próxima.
Beto, 41 anos.
Mulheres com idade entre 46 a 60 interessadas podem me contatar pelo endereço (lenningrado@hotmail.com)

Chupei o cuzinho da japinha enquanto ela dormia

Tudo aconteceu num fim de semana que fui beber na casa de um amigo da época de escola.
É uma casa grande de dois andares, bem legal pra fica bêbado… só tinha duas mulheres na casa.
A Fernanda, uma puta safada que é só tirar o pau pra fora que ela mama sem frescura, há, a Fernanda é irmã de um conhecido meu e a outra uma japinha magrinha de que usava um shortinho bem curtinho peitinho bem redondinho
uns 18 anos tesãozinho…
Mas ela e já deixou bem claro que não ia ficar com ninguém porque estava esperando o namorado e tal… bebemos a noite inteira e o namorado dela não veio.
Já eram umas 5:30 da manha e fomos dormir todo mundo na sala a Fernanda estava deitada do meu lado e viu tudo a japinha deitou um pouco longe e dormiu rápido.
Eu fiquei olhando aquela bundinha linda, shortinho virada pra mim, ai eu não aguentei e fui bem devagarinho e puxei o shortinho dela de lado eu fui da uma olhada quando olhei não acreditei ela estava sem calcinha!
Eu bem devagarinho abri a bundinha dela, dei uma cheirado no cuzinho que delicia era bem certinho e cheiroso comecei a passar pontinha da lingua no seu cu… ela começou a dar umas piscadinhas de tesão.chupei o cuzinho da japinha enquanto ela dormia
Aproveitei e abri a buceta dela e deu pra ver que a japinha tava ficando com a buceta meladinha… já meti a língua na buceta dela que era perfeita, raspadinha, uma delicia pra passa a língua.
Ai ela começou a empinar a bundinha quando eu pensei em por meu pau de 17.5 naquela japonezinha linda ela me acordou e ficou meio brava comigo e falou que o namorado dela ia chegar e tal..
Mas ela gostou porque quando eu estava chupando seu cu a perninha dela até tremeu e não adianta nem reclama porque dormiu bêbada, de shortinho sem calcinha…
Eu fiquei meio esperto pensando que ela ia falar pro cara mas que nada, eu fui embora só pensando naquele cuzinho delicioso mas não deu nada.
Depois de um tempo, eu encontrei ela com o otario ela me comprimentou com um beijo no rosto na frente dele, que putinha safada!!!
Sou loiro tenho 27 anos 90 kg.1.77cm de altura 17.5cm de pau meio fortinho se você é gatinha cheirosa e quiser que eu chupe seu cuzinho também . (019)93544661 há na prox. conto como fodemos uma putinha la da facu em dois.

Comi as duas Empregadas que mais queria!

Este é mais um conto que se passou entre mim e duas muheres a Eugénia e a Matilde, então era mais uma quinta feira de trabalho nas terras, e estava novamente sozinho em casa da minha avó 7:00h da manhã já eu estava fora da cama com as minhas habituais calças de fato de treino e a minha t-shirt, enquanto tomava o pequeno-almoço bateram à porta era a Eugénia e a Matilde, duas mulheres que me excitavam muito.
Eugénia como já referi noutro conto era uma mulher na casa dos 60, cuzinho redondinho e firme, estatura média e umas mamas grandes e firmes, e Matilde uma mulher na casa dos 40 e tais anos, um pouco a puxar ao gorda mas não muito, umas mamas enormes e um cu também bem avantajado, ambas vinham de calças por dentro das belas galochas dunlop azuis e com umas batas que eu adorava… Comi as duas Empregadas que mais queria!
Então terminei a refeição e fui calçar as minhas galochas, fomos buscar as sacholas e lá fomos nós para a eira começar o trabalho, elas trabalhavam que nem cavalos já suadas e cansadas e eu também, até que chegou a hora da bucha e elas foram merendar enquanto eu ainda fiquei na terra, parei por momentos e olhei para elas, comecei-me a imaginar em cima delas e foi ai que a minha gaita começou a inchar a inchar ,fiquei mesmo muito excitado, a Eugénia já sabia que ia comer pois já era habitual à quinta feira mas a Matilde nunca tinha comido e também só tinha batido umas punhetadas até então.
Larguei a sachola e fui ter com elas ao palheiro, estava todo suado e cansado, e comecei a merendar até que a Eugénia disse que ia acomedar os porcos, e aí a Matilde disse: “Ouvi dizer que tinhas um dom entre essas pernas, é verdade?”, fiquei logo excitado e respondi imediatamente “Deve ser, queres experimentar?” e ela se dizer nada baixou-se e enquanto eu merendava ela começou um belo de um broche, cima abaixo, cima abaixo as mãos dela apertavam as minhas galochas sujas de terra e eu delirava, depois como que adivinha-se começou uma bela espanholada, entre aquelas mamas enormes que eu adorava, depois chegou a hora de penetra-la, não custou nada pois ela já tinha tido uma carrada de filhos e foi sempre ali a martelar…
As nossas galochas roçavam, os nossos suores eram trocados e eu dava-lhe com cada vez mais força até que me vim e vim e vim, mas não parei continuei pois tinha de aproveitar vim-me mais duas vezes, por aquelas pernas escorria já esporra quente e espessa, até que parámos e voltámos ao trabalho, chegou a hora de almoço e éramos só os três a almoçar, passou-se com normalidade, até que depois fiquei sozinho com Eugénia na cozinha…
Ela estava a lavar a loiça e eu não resisti e fui lá baixei-lhe um pouquinho das calças até que o cu ficasse à mostra, e espetei-lhe a piça lá para dentro, eu estava a satisfazer-me e ela continuava normalmente a lavar a loiça, acabei por me vir… compus-lhe as calças e saí.
Voltámos para as terras e agora era a vez da Matilde, só lhe disse anda cá, e levei-a para o curral dos porcos onde lhe baixei as calças e comi-lhe outra vez aquela rata, as minhas mãos não largavam as galochas dela e quando largavam era para lhe ir ás mamas, dava-lhe com toda a força e ela soltava berros de prazer, vim-me duas vezes e depois voltámos ao trabalho, depois no final do dia foi mais uma pinadela para a Eugénia no palheiro e depois acabou o dia de trabalho e acabou também o dia de sexo, e arranjei duas ali duas mulas para poder satisfazer-me sem me ter de preocupar com mais nada…