Archive for » Janeiro, 2012 «

Estrupada por policiais

Outro dia peguei uma estrada e fui para o interior de Sampa com minha esposa.
Estacionei o carro debaixo de uma arvore e falei para a ela:
– Amor eu te amo, adoro ser casado com você, me da gostoso aqui no mato.
Ela ficou constrangida de ter relações sexuais no meio de uma estradinha.
Eu a tranqüilizei.
Ela acabou topando com muito custo e dizendo ser mulher direita.
Tirei a parte de baixo da roupa dela.
Ela apoiou-se num tronco.
Eu abri comecei a forçar aquela bucetinha bem devagar.
Enfiando aos poucos.
Até entrar tudo.
ela começar a rebolar no meu pau, dizendo ser só minha, e que me amava.
Ela já estava totalmente solta e a vontade.
Jogava-se contra meu pau rebolando.
Um camburão da policia apareceu na entrada da estrada.
Não dava para nos ver por causa de alguns arbustos.
Como minha esposa não percebeu.
Segurei-a pela cintura enterrei meu pau e parei de movimentar-me.
Com uma das mãos, tapei a boca dela com força.
Com a outra apontei para o camburão e fiz sinal de silêncio.
Os policiais ao passarem por meu carro.
Pararam!
Foram verificar o carro.
Meu carro estava aberto. Eles olharam tudo.
Olharam em volta e já estavam para ir embora. Quando…
Um deles se virou e veio em nossa direção.
Parou atrás de uma arvore e começou a mijar.
Minha esposa deu uma rebolada em minha rola e soltou um gritinho abafado.
Chacoalhando a pica o policial acabou nos vendo, e veio em nossa direção, sem nem mesmo fechar o zíper, apontou seu revolver pra nos, mandou ficarmos parados.
Ficamos ali parados. Estrupada por policiais
A cena.
Eu dentro de minha esposa na frente de um policial.

Ele chamou os outros quatro.
Eles nos olharam rindo e mandaram a gente se separar.
Quando fizemos menção de pegar nossas roupas. Eles mandaram ficar do jeito que estávamos.
Rodeando-nos ficaram olhando e fazendo comentários sobre minha esposinha gostosa.
Pegaram todos os nossos documentos nas roupas.
Deram uma olhada.
Nos dois pelados.
Minha esposa estava a mercê.
Eles fizeram tantos comentários e piadinhas sobre a nudez dela.
Derrepente!
Um deles nos perguntou o que estávamos fazendo ali.
Minha esposa olhou pra baixo.
Eu não sabia o que dizer.
Um outro olhando pra bunda da minha esposa falou rindo pros outros:
– Parece que ele estava comendo ela, não acham.

Outro gargalhando falou:
– Eles vão acabar na delegacia levando uma comida de rabo do delegado.
Minha esposa nervosa gritou que pra delegacia não íamos de jeito nenhum.
Nessa hora me veio a cabeça a idéia de comprá-los.
Ofereci dinheiro.
Eles falaram que não tinha jeito.
Minha esposa implorou a eles, dizendo pro meu espanto, que faria tudo que eles quisessem.
Fiquei pasmo.
Sem ação.
Perplexo.
Era a senha que eles estavam esperando.
A proposta de fazer qualquer coisa partia de minha esposinha.
Um deles olhou pra mim e falou:
– Você gosta de comer sua esposa no mato, então nos vamos comer também.
Outro rindo falou pra minha esposa:
– Vamos botar cinco chifres no corno do seu marido.

Ele tirou o pau pra fora e disse:
– CHUPA VADIA!!
Minha esposa olhou pra mim.
Olhou pros outros guardas.
A essa altura todos iam tirando o pau pra fora.
Minha esposaajoelhou-se, olhou pra mim com o pau na boca disse-me.
– Amor eu te amo muito, só estou mamando essa rola pra resolver nosso problema.
O policial começou a socar a boquinha da minha esposa, com força, abafando, sua frase dita a mim.
Outro guarda aproximou da minha esposa por trás e começou a passar as mãos em seus seios.
Olhando pra mim, minha esposa chupava o caralho do PM com sofreguidão e dizia de boca cheia:
– Amor to fazendo isso por nos dois.
E continuou dando um belo trato na pica do PM.
Ele não aguentou e gozou na boca dela rindo.

Ela engoliu tudo olhando pra mim.
Escorreu um pouco de porra pelo canto da boca dela, ela pegou com os dedos e os chupou melados de porra olhando pra mim e disse:
– Melhor não desperdiçar nada, vai que eles mudam de idéia amorzinho.
A gargalhada foi geral.
Após minha esposa chupar e engolir tudinho, outro PM, fez ela se apoiar num tronco de arvore e enfiou de uma só vez o caralho na boceta da minha esposa, arrancando dela um grito. Outro se aproximou e colocou na boca dela.
Enquanto um a fodia na xota e ela mamava outro, olhei pra ela percebi que ela dominava a situação rebolando em um caralho e chupando o outro.
Ela mexia tão gostoso e chupava com tanta gula que eles não aguentaram por muito tempo e gozaram os dois na cara dela.
Outro PM falou que ia experimentar o cuzinho dela.
Ele começou a passar a mão na bunda da minha esposa, e enfiar o dedo no seu cu.
Olhei mais uma vez pra ela.
Ela ali, com a cara toda gozada, tendo já feito três picas gozarem e se empenhando na quarta.
Minha esposa pediu pra ele chupar o cu dela.
Ele deu um tapão na cara dela e falou que não chupava cu de puta.
Ela então virou para mim e falou:
– Chupa o meu cu que eu quero mais porra.

Ela já não mentia mais, se deliciava com a sacanagem.
Não sei o que deu em mim.
Parti pra cima dela e comecei a chupar o seu cu.
O PM rindo da minha cara e me chamando de corno disse:
– Vou comer o cuzinho da sua esposa seu otário.
Ele foi empurrando até atolar tudo.
Começou a enfiar e tirar num vai e vem frenético.
O PM bombava o cu da minha esposinha.
Ela ia gemendo e rebolando no pau dele.
O único PM que ainda não a tinha tocado deu sua pica pra ela chupar.
O outro foi aumentando o ritmo das estocadas no cu da minha esposa, que gemia abafado chupando o pau do outro, até não aguentar e explodir em gozo.
O PM que estava comendo seu cu tirou o pau e gozou na cara dela, enchendo minha esposa de porra.
Nisso o que ela estava chupando, já estava-lhe socando o cu com força e me chamando de corno otário.
Ele encheu o cu dela de porra.
Outros dois PMs, que já haviam se recuperado falaram que iam fazer uma dupla penetração em minha esposinha.
Os outros botando suas pirocas pra dentro da calça, falaram pra eles terminarem logo, pois a qualquer momento o rádio podia chamar, e eles não podiam ficar dando bandeira.
Dito isso, minha esposa sentou de boceta na pica de um, enquanto o outro forçava no cuzinho dela.
Ela começou a gemer com os dois caralhos a penetrando.

Eles socavam com força, fazendo ela gemer.
Socaram por um tempo, e trocaram de posição, e ficaram socando e bombando a boceta e o cu da minha esposa até explodirem em gozo.
Após se recomporem, eles rindo muito da minha cara, agradeceram a foda com minha esposa.
antes de eles irem embora, minha mulher me supreendeu novamente, pedindo mais uma rodada de porra.
Eles disseram que não, que tinham hora e em tom de gozação falaram com para tomarmos cuidado. Pois assim pelados no meio do mato, alguém poderia querer se aproveitar.
Como só eu tinha me vestido.
Minha mulher continuava nua.
Toda gozada.
Languida de tesão.
Eles perguntaram se não iríamos embora.
Minha esposa falou de beicinho:
– Já que vocês não querem me dar mais uma rodada de porra, vou terminar chupando a pica do meu corninho aqui.
dito isso ela tirou meu pau pra fora e chupou com vontade dizendo de boca cheia e me olhando os olhos:
– Você gostou NE corninho, só pode ter gostado, ta com a pica latejando.
Não agüentei e enchia a boca da minha mulher de porra.

Quando olhei em volta eles estavam rindo de mim e falndo:
– Tu é muito corno mermo!
E foram embora.
Botei a pica pra dentro, minha se vestiu, e voltamos pra São Paulo.
No caminho minha esposa falou que foi ótimo ser “estrupada” por policiais.
Eu nada respondi.

O meu conto real – a minha musa da internet

Sou um garoto de 17 anos, me chamo Rodrigo, tenho 64 quilos e 1,76 de altura. Pratico ténis, meu corpo é bem trabalhado. Mas não sou o cara mais esportista possível, passo quase metade dos meus dias no computador. Enfim, vamos à história que ocorreu comigo.
Todos já ficaram excitados em situações inesperadas; uma consulta no hospital, na praia, no cinema… e consequentemente, todos nós temos alguma fantasia sexual em um local desses.
No meu caso, a tal fantasia começou pela internet. Conheci uma garota chamada Lenita, pelo twitter. Ela sempre era muito espontânea no que ‘twittava’, e quando mandava fotos, me deixava louco. Ela era linda. Filha de pais ricos, sempre se cuidou muito. Era alta, possuía por volta de 1,70, coxas bem trabalhadas e seios de bom tamanho para uma garota de 16 anos. Com o tempo, fui me aproximando da tal garota. Conversamos pelo msn, e mais tarde já estávamos nos vendo pela webcam… Ela morava em Chapecó, cidade catarinense. eu moro no Pará.O meu conto real - a minha musa da internet
Eis que, nas férias de julho, ela marca uma viajem pra Belém, que fica perto da minha cidade. Ansioso, esperei ela chegar, e no dia de sua chegada fui até o aeroporto. Estava MUITO quente, e quando vi ela chegando com a mala… Não sabia o que dizer. Ela era a mulher mais linda que já havia visto. Seus cabelos castanhos, lisos e longos contrastavam seu rosto lindo, com lábios carnudos e olhos grandes. Demos um abraço caloroso, e ela comentou o quanto estava feliz em me ver. Como ela estava morrendo de fome, partimos para o shopping.
Lá mesmo almoçamos, depois vimos um filme no cinema… E acabamos indo para meu apartamento, numa cidade perto de Belém. Minha irmã tem 25 anos, se chama Rafaela e mora comigo. Rafaela também era amiga da Lenita, e o encontro em Belém foi combinado por nós 3. Ficamos conversando em grupo, e minha irmã foi dormir para trabalhar no outro dia de manhã. Enquanto isso, Lenita e eu ficamos conversando, tínhamos tanto para contar… fomos dormir, cada um em seu quarto. Enquanto isso, eu pensava o quanto ela era gostosa. Um mulherão, eu tinha que aproveitar a chance para comer ela. Esperei até amanhã e fui dormir.
No outro dia, Rafa já tinha ido trabalhar. Acordei e fui pra sala, e encontrei Lenita. Tomei a iniciativa; disse que ela era mais linda pessoalmente. Ela falou, com uma cara sexy, que eu era mais gato pessoalmente, também. Falei algumas coisas no ouvido dela, e ela me deu um beijo no pescoço, tudo bem devagar… Estávamos no sofá, nos pegando. Ela tirou uma camisinha do bolso, e botou no meu. com um sorrisinho, levantou e falou que ia se preparar pra mim… Não conseguia me segurar de tesão, minha pica estava duríssima. Ela chegou com uma camisola transparente, deixando mostrar seu sutiã e calcinha pretos, bem visíveis em contraste com sua pele branca.
Ela me empurrou para o sofá, e começou a tirar minha roupa, enquanto a gente se beijava. depois, tirei a camisola dela, e ela mandou eu fazer ela ser minha escrava. Joguei ela no sofá, e a chamei de safada. tirei a minha cueca, abaixei um pouco sua calcinha, e comecei a lambe-la de quatro… depois coloquei ela deitada de barriga pra cima e segui fazendo um oral nela. Depois ela partiu pra ofensiva e me chupou, enquando eu apalpava seus seios.
Era o momento perfeito, estávamos muito excitados. Ela colocou a camisinha em mim com a boca (Que habilidade!) e falou ‘me come, gostoso!’ apoiei ela de quatro no sofá e meti no cu dela, fazendo ela gemer muito. Por mais incrível que pareca, ela não era mais virgem com 16 anos. Meti forte, ela aguentava muito bem, enquanto se masturbava. Mudamos de posição; deu deitei no sofá, e ela ficou por cima de mim, com as pernas abertas.
Cavalgou muito gostoso, com força, e desfrutou do meu pinto, todos os 19 cm. sua buceta era depilada, com apenas um triângulo em cima do clitóris. Metemos muito, deixei ela louca.
Quando ela teve um orgasmo, se deitou do meu lado e suspirou. Chupei ela mais um pouco, enquanto meti o dedo na sua buceta. Ela ficou louca, e esguichou mais uma vez. Depois, comecei a meter nela de novo, e em pouco tempo gozei na barriga e peitos dela, foi perfeito. Fomos para o banho, e lá ela me fez juras de amor.
Nos três dias seguintes, nos divertimos mais ainda… Depois ela foi embora.
Nossa amizade virtual continuou grande. Pretendo a encontrar novamente, porque com uma musa dessas, não preciso de mais nada… 
* O conto é verídico. Os nomes foram substituídos para preservar nossas identidades.
** Não é uma história de sexo quente e sacanagem o tempo todo, mas me esforcei para escrevê-la, e algumas amigas minhas que leram acharam excitante, portanto, resolvi postá-la.

Nossa fantasia se realizou

Sou casada com um homem maravilhoso me satisfaz em tudo principalmente na cama, casamos muito cedo e ele foi o primeiro e único homem que conheci, somos muito safados no sexo,fantasiamos muita coisa mas nunca tivemos coragem de fazer.Nossa fantasia se realizou
Este mês resolvemos passarmos um fim de semana em Angra dos Reis,foram três dias lindos, no ultimo meu, marido precisou ir ate um banco no centro da cidade e eu pedi para ele me deixar na praia pois queria aproveitar o sol, estava deitada na areia me bronzeando, quando de repente apareceu um lindo rapaz e, sentou-se ao meu lado não pude deixar de observar aquele lindo corpo e o volume que tinha em sua sunga, fiquei preocupada com a reacção do meu marido quando visse eu conversando com outro homem,eu estava com um fio dental branco e o rapaz não tirava os olhos da minha bunda morena ,meu marido me surpreendeu chegou se apresentou para o cara e começaram a conversar o tempo estava fechando anunciando muita chuva e resolvemos ir embora, meu marido chamou o rapaz para ir connosco.
Chegando em casa fui tomar banho e como já estava imaginando mil coisas coloquei um shortinho de lycra que deixava minha bucetinha bem volumosa e fui para a sala onde eles estavam, os dois ficaram de boca aberta quando me viram meu marido me chamou na cozinha e falou que sabia que eu estava doida pra dar pro cara e que podiamos aproveitar a oportunidade pois íamos embora de manha e ali ninguém nos conhecia, fiquei tremula só em pensar que teria outra pica que sentiria outro homem, meu marido contou para o rapaz nossa fantasia e ele não perdeu tempo começou a me elogiar passando a mão nas minhas pernas eu estava alucinada de tanto tesão e o agarrei beijei seus peito sua barriga e senti aquela coisa dura no meu rosto tirei da sunga e meti a boca como por impulso.
Ficamos uns dez minutos nos agarrando ele me deitou no sofá abriu minhas pernas e meteu a língua no meu grelo gozei na hora, pedi para ele me penetra pois não aguentava mas a curiosidade de sentir como era outra rola na buceta ele deitou-se sobre mim e foi colocando aquela tora pra dentro parecia um sonho, meu marido apenas olha e batia uma punheta, gozei com nunca,fiquei de quatro ele colocou tudo em mim novamente meu marido deitou-se por baixo de mim e começou a chupar minha buceta eu pensei que ia desmaiar de tanto gozar depois pedi para meu marido deixar eu dar o cuzinho e ele sugeriu uma depois sentei no pau do meu marido arrebitei a bunda e o cara depois de passar bastante gel foi enfiando no meu buraquinho, era uma mistura de dor e prazer tomando conta do meu corpo gozamos os três quase ao mesmo tempo depois ele foi embora e de madruga nós voltamos para nossa cidade nosso casamento ficou ainda melhor do que era, nossa fantasia se realizou e quando tivermos outra oportunidade vamos curtir de novo.