Archive for » Maio, 2012 «

Meu Querido Professor!

Olá, Meu nome é Manuela, tenho 15 anos, 1,70 de altura, branquinha, cabelos loiros lisos e longos, olhos castanhos e um corpo bem legal! Moro numa cidade do interior de um estado nordestino.
Há 2 anos atrás, comecei a cursar o ensino Médio em uma escola pública da cidade.
E no primeiro dia de aula, sou recepcionada por Paulo, professor de matemática, 1,80, uns 44 anos, casado, olhos castanhos, corpo nem malhado e nem gordo, perfeito.
Naquela hora, eu me encantei por ele: super educado, muito legal e inteligente.
Comecei então a comentar com algumas colegas o quão lindo era aquele professor. Eu sabia que ele era casado, mas não conseguia desviar o olhar para outro ponto que não fosse ele!
Eu estava apaixonada por ele! Passei mais de 1 ano e meio nessas olhadas nunca tive a coragem de chegar nele, nem ele em mim, mas eu sentia que ele me achava atraente, ás vezes me encarava também, e tinha ciúmes dos meus namoradinhos da escola.
Há algumas semanas, briguei com minha mãe, e fui para a escola com o meu emocional abalado.
Ele percebeu que eu estava triste, e resolveu me dar uma levantada: me disse uma mensagem linda, e deu-me um sorriso belo e sincero! Nessa manhã, estávamos preparando uma festinha na escola, ele me chamou para ir rever os últimos preparativos numa loja do centro da cidade, e eu sem nem pensar, fui com ele! Meu Querido Professor!
Entramos em seu carro, ele me deu um sorriso novamente, eu sorri de volta!! No meio do caminho, ele desviou o caminho, como se fosse em direcção a barragem da cidade, eu perguntei a ele: -para onde estamos indo? Ele me respondeu: -vamos conversar, em um lugar bem tranquilo.
Tô sentindo você muito triste, e e não quero te ver assim! Eu fiz sinal positivo com a cabeça, ora, eu estava adorando aquilo! Chegando no local, ele me ajudou a descer do carro. Do lado de fora, olhando aquela linda paisagem, a brisa fria da água, o tempinho nublado, gostoso…
Ele me perguntou o que estava acontecendo comigo, eu respondi: -Eu tive uma discussão com a minha mãe hoje de manhã por que terminei o meu namoro, e ela não quer aceitar! Ele me perguntou: -Mas porque você terminou seu namoro?
Eu respondi: – eu tô apaixonada por outra pessoa que nunca vai poder me corresponder, ele é casado!

Disse isso olhando permanentemente em seus olhos. Ele me disse: -Nem um homem no mundo, por mais compromissado que seja, resiste a esse seu olhar, tão doce e ao mesmo tempo tão implicante! Disse isso me olhando de uma forma que me deixou completamnete molhada e exitada, ele se aproximou de mim, pegou na minha cintura, me deu um abraço e sussurrou no meu ouvido: -Esse homem por acaso sou eu?”
Eu tremendo de tanto desejo, respondi: -é, é você, eu tô louca por você!! Ele me olhou, me pegou de um jeito e me deu um beijo tão intenso, que eu até achei que estivesse sonhando! Ele começou a passar a mão pelo meu corpo, me deixando mais louca ainda!
Eu dei um gemidinho, bem baixinho, e aquilo o deixou mais louco ainda, eu sentia o seu desejo por mim através de suas calças, ele me dava cada sarrada!
Ali perto, existia um Motel, ele me chamou e eu topei, então fomos até o motel!
Chegando lá, ele tirou a minha blusa, com uma delicadeza total, depois, afastou um pouco o meu sutiã, começou a lamber e chupar meus seios, eu estava prestes a enlouquecer de tanto tesão!
Eu tirei a sua camisa, passando a mão sobre aquele peito cabeludo, que eu tanto imaginei, agora era de verdade! Depois tirei a sua calça, ele dava umas gemidinhas que me exitavam mais ainda!
Tirei sua cueca, chupei aquele pau, delicadamente, ele dava cada suspiro! Depois de alguns minutos, ele tirou a minha calça jeans, tirou a a minha calcinha de renda, me lambeu de um jeito!!
Depois, transamos de todas as posições possíveis, e pela primeira vez, eu tive um orgasmo! Ele gozou em seguida. Naquela manhã, passamos o resto do dia ali, deitados juntinhos, um do lado do outro, eu não poderia querer nada além daquilo. Mas eis que o celular dele toca, era a sua esposa, estava preocupada.
Então, tivémos que parar por ali.

Eu estava apaixonada por ele sim, mas não queria ver a esposa e os filhos sofrendo por causa disso.
Portanto, naquela tarde a gente conversou bastante, e decidimos que tudo aquilo foi muito bom, mas que não iria se repetir novamente.
Fomos embora, ele me deixou numa rua próxima a minha casa, e foi embora.
Desde esse dia, eu sempre olhava pra ele nas aulas, com uma sensação de desejo realizado, e ele também!
Detalhe: os organizadores da festinha da escola até hoje não sabem o que aconteceu para deixarmos de levar o restante dos preparativos!!

Minha primeira vez com um casal: foi demais.

Bom amigos estou aqui de novo para contar como foi minha primeira vez com um casal.
Eu sou musico e toquei por muito tempo na noite,porem sempre quando os sábados a noite não me cansava muito eu tocava aos domingos em churrascos etc…
Numa dessas vezes eu fui contratado para tocar numa chacara aqui da minha cidade numa festinha de 10 anos de vida conjugal de um casal muito conhecido por aqui.
Cheguei la por volta das duas da tarde e la já estavam muitos convidados..detalhe..fui sozinho sem banda só com meu violão.
Durante todo churrasco eu percebia o carinho do casal comigo e por muitas vezes a regiane vinha me servir e sempre tirava uma casquinha..as vezes sentando na minha perna e as outras vezes passando a mão no meu peito suado.
Quando foi por volta das 10:00 da noite todos já tinham ido..foi quando de repente o marido da regiane me disse se eu não queria tomar um banho pois eu estava muito exausto e suado..eu precisava mesmo e aceitei.
Foi quando ele me levou até o banheiro que ficava no seu quarto e me disse para ficar a vontade…que agua deliciosa..bom demais.Minha primeira vez com um casal foi demais.
De repente a porta se abre e la vem a regiane vestida apenas com um biquini branco e me disse:nossa você toca muito bem só queria ver se você toca bem um violão como o meu…deslizando as mãos pelo corpo me disse…vem…toca..vem.
Eu já estava nu de pau duro não pensei duas vezes e cai de boca naquela loura…ha..ela é uma loura de cabelos até os ombros de mais ou menos 1,68 de altura e com uns 56 kg…
Foi quando eu a abracei e lhe dei um beijo na boca..que delicia que corpo quente..desci minhas mãos e tirei seu sutiã e comecei a mamar naqueles peitinhos pontudos e rosados…

Escorreguei minha boca beijando sua barriga e com os dentes tirei sua calçinha e meti minha língua naquele clítoris que já saltava fora da rachinha depilada.
Ela colocou uma das pernas no vaso e com as mãos abriu bem a racha e mandou eu chupar..não me fiz de rogado…meti a língua que a tive que segurar a outra perna dela que se apoiava no chão porque ela estava perdendo o equilíbrio.
Fiquei de pé na sua frente e encostei meu pau na entrada daquela grutinha molhada e num golpe só enfiei tudo até o saco bombando muito forte.
Foi quando percebi que ao nosso lado olhando tudo de pertinho estava seu marido que também estava nu e de pau duro.
Como ele já devia estar nos observando a algum tempo nem me importei com a presença dele e continuei bombando com mais força na buceta daquela tarada que a essas alturas dizia:vai mete tudo mete na buceta da sua putinha vai mete…e olhando para o marido dizia..ta vendo que putinha você tem..ta olha como ele fode a buceta da sua mulher olha viado olha vou gozar no pau dele vou gozar aiaiaiaiaia gozeiiiiiii gostou viadinho.

Depois dela gozar sentou-se no vaso e disse:vem cachorro goza na minha boca goza…eu comecei a meter na boca daquela mulher como se estivesse fudendo uma buceta..e com a ajuda das mãozinhas dela foi só porra que entrou garganta adentro daquela putinha.
Para minha surpresa o marido dela se ajoelhou na minha frente e começou a mamar no meu caralho também até deixar ele sem nenhum vestígio de esperma .
Depois fomos pro chuveiro onde o marido não tirava o meu pau da boca…
Eu fiquei brincando com meus dedos no cuzinho da re até ver que ele tava prontinho para levar vara..foi quando o maridinho disse não….vamos pra cama.
Fomos os três para a cama onde eu deitei e a re veio por cima encaixando bem seu corpinho quente no meu..quanto isso o maridinho ficava chupando meu pau e passando no buraquinho do cuzinho da esposa puta.

Ela já não estava aguentando mais e disse: vai seu corno viado deixa eu sentar nessa piroca..vai põe na porta desse rabo de puta põe..o corninho obedeceu e incaixou bem na entrada..ela foi se sentando até ele desaparecer.e ai ficava num sobe e desce como uma femea no cio.
Seu maridinho ficava observando a mulher levar vara no cu enquanto ele ficava passando a língua no meu saco…hum que delicia aquilo!!!
Ela começou a gritar como uma louca e anunciou seu gozo que veio logo e cheio de calor…..ela saciada caiu no meu peito,e olhando para o marido dizia …obrigado amor por esse momento ta eu te amo…mais o corninho para mostrar que aprovava tudo pegou o meu mastro ainda duro e fez um dos melhores boquetes que já tive até hoje..aiaiaiaiaiiaia acabei gozando na boca daquele homem generoso…..que gostoso se sentir desejado pelo casal lindo e maravilhoso…temos muita amizade até hoje mais não repetimos a mesma loucura que eles só fizeram uma vez..foi um acordo entre eles que respeito e muito..pois se for para o bem de um casal eu estarei sempre aqui e prometo sigilo total..
Tenho mais algumas passagens assim como a de um amigo que me deu de presente para a noiva as vésperas do casamento ..mais isso eu conto outra hora..bem amores beijos e até mais..quem quiser pode me adicionar pois sou educado e não faço mais do que o casal permitir.. meu msn pftom@hotmail.com tenho web cam tchau

A chantagem

olá! meu nome é laerde e na época em que aconteceu essa historia tinha apenas 17 anos. morava em belem-pa, junto com meus pais e meu irmão de 30 anos, mas sempre recebiamos visitas de parentes distantes, como por exemplo, o meu tio herbert que mora em rio branco-ac.
Sempre a cada 6 meses ele ia visitar-nos e sempre saía com muitas mulheres e tinha fama de garanhao. Meu tio era bonito, alto, em forma (tipo atlético), e muito ”machão”. por mais que eu soubesse que ele saíra com inúmeras mulheres, sempre tive suspeitas que ele era gay, pois ele olhava de outras formas pra mim sem que eu percebesse mas, eu sempre percebia e só me fazia de desentendido. A chantagem
Todo mundo achava que ele era hétero, só que um dia eu tinha acabado de chegar da casa de um amigo as 10 da noite e todo mundo tinha saído, menos ele, que estava no banheiro sem dar um pio. eu percebi que nesse mato tinha coelho e fui de ponta de pé no banheiro e abri a porta devagar.
Mas, olha o susto: ele estava chupando o pau do meu irmão.
Na hora fiquei perplexo mas depois fui me acalmando (pois nunca tinha visto uma cena igual aquela) e sem dar uma só palavra, peguei a camera que estava encima da tv e comecei a filmar e tirar fotos. passei 3 minutos tirando fotos e filmando tudo.

No dia seguinte, revelei todas as fotos e gravei um dvd com os vídeos armazenados na camera. ao chegar em casa, todo mundo saiu pra trabalhar e só ficou ele: o meu tio ”machão”. fiquei fazendo algumas perguntas bobas pra ele, tais como: ‘você gosta daqui, de belem?’, você tem alguma namorada fixa?’. ele sempre respondia e passava um ano pra explicar, e eu fui ficando sem paciência para tanta explicação e direto ao ponto, mostrei as fotos pra ele.
Ele ficou louco; sem acçao!
Ele perguntando o que era aquilo e eu respondendo com um tom irónico: isso são provas de que o senhor é biba, titio! Ele, sem rumo, olhou pra mim e me disse para não contar a ninguém, só que eu já estava com tudo arquitectado na cabeça.
Eu dizia que só não iria mostrar a ninguém se ele me chupasse da mesma forma que ele chupou o meu irmão.
Ele ficou sem jeito e me falou que iria atender à minha chantagem se logo em seguida eu destruísse as provas e eu respondi que sim.
Então ele começou a chupar tudo como um bebé morrendo de fome à procura do peito da mãe.
Depois que ele chupou tudo, fomos tomar banho e em seguida, queimei as fotos. assim, ele ficou despreocupado e 3 dias depois ele foi embora.
Eu acabei com as fotos mas, ainda tinha os vídeos, e assim fiquei chantageando o meu irmão ate hoje!!!

até mais…

Dei para meu amigo

Ola eu sou o david e essa historia se passou quando eu e meu amigo fernando tinhamos 14 anos.
Um dia meu amigo foi dormir na minha casa, e eu já tinha bolado tudo, na hora de ir dormir nos fiquemos conversando umas duas horas nada sobre sexo, ate que resolvemos dormir, era um colchão de casal.
Na hora que deitamos parecia que um leu o pensamento do outro eu deitei com a bunda para o lado dele ele percebeu e eu disse boa noite ele também.Dei para meu amigo
Não deu uns dois minutos ele começou a tocar com as pontas dos dedos em minha bunda eu senti e deixei só para ver o que ele fazia, ele começou a tirar minha cueca, pois eu só durmo de cueca, e eu deixei então senti a ponta de seu pinto encostando em minha bunda, ele já foi se virando e me cochando, já viu que eu tinha deixado…
Eu sentindo aquela pica gostosa encostar na minha bunda fiquei so esperando ele enfiar, mas ele não conseguia, seu pau estava inchado e meu cu estava seco até que eu me virei e comecei a chupar seu pau.
Chupei por uns cinco minutos e virei de novo, ele já foi tentando colocar mas não conseguiu até que ele passou cuspo e tentou de novo, desta vez entrou e colocou e entrou tão gostoso e ele me comeu de lado uns cinco minutos até que decidimos que eu ficaria de quatro…
Ele me comeu muito e no final ficou grudado igual a um cachorro em mim, ele gozou eu senti ele enchendo meu cu de porra…
Eu inocente perguntei para ele o que ele tava fazendo e ele falou nada e tirou o pau de dentro de mim,eu virei mas não sabia que ele tinha gozado até que senti uma coisa quente saindo do meu cu arregaçado e sujou um pouco o lençol mas eu lambi e chupei mais um pouco o pau dele e fomos dormir.
No dia seguinte estávamos agindo como se nada tivesse acontecido, agora todas as vezes que eu viajo para a casa dele nos fazemos isso.

Um amor de cunhada

Tenho 44 anos e sou casado, por sinal muito bem casado.
Minha mulher tem 29 anos, 47 kg,155, tipo mion, muito bonita e pra falar a verdade, muito gostosa, sabe como ninguém toda a arte do sexo. Adora chupar meu cacete, assim como eu sou apaixonado em fazer um sexo oral naquela xana que chega ser doce de tão gostosa.
Mesmo com todo este tesão por ela, não consigo desgrudar o olho da minha cunhada, que assim como ela, apesar de ser um pouco mais alta, tem quase o mesmo corpo e feições. É uma gata de 23 anos, cabelos lisos e loiros, bundinha arrebitada e peitos pequenos. Gosta muito de me abraçar e conversar comigo quando sua irmã não esta por perto. Trocamos e-mails direto e nunca contou pra minha mulher, e isto me intrigou um pouco, pois eu as vezes me passava um pouco, mania de homem, não pode ver um rabo que já esta em cima, e acabei ficando curioso, mas o medo sempre me impediu de chegar e perguntar o por que disto.
Não precisou….Dia destes eu estava em casa assistindo televisão sozinho, minha mulher tinha ido a uma cidade vizinha fazer algumas compras e eu fiquei sem nada pra fazer a não ser me divertir com a tela.
De repente me surpreendi com a minha cunhada entrando pela porta e perguntando por sua irmã, respondi que tinha saído e que demoraria um pouco.
Estava com um vestidinho inteiro,soltinho e curto, deixando a mostra aquele par de pernas, branquinhas, vestido que não escondia o desenho da calcinha asa delta, rosa, sem sutiãs, pois seus seios pequenos quase não precisam deste utensílio, isto me deixa mais louco ainda.
Ela então girou sobre os calcanhares e já ia saindo quando eu perguntei, com segundas intenções é claro, se ela não queria espera-la, enquanto isto eu faria um suco pra nós. Ela me olhou de cima abaixo, como se me estudasse e com uma cara de safada, respondeu que sim, sentou-se no sofá e ao colocar uma perna por sobre a outra para ficar inteira sobre o móvel, vislumbrei aquela bucetinha escondida em baixo da calcinha, que de tão pequena, chegava a repartir os lábios, parecendo que pedia para ser chupada, até o cuzinho…
Levantei, e como estava de calção foi difícil esconder a exitação, fiz o suco na cozinha e voltei com a camisa por sobre o calção para tentar esconder o volume do meu cacete, quase saindo pra fora do calção. Não foi o suficiente, quando entreguei-lhe o copo, ela com um ar de mais pura sacanagem no rosto, brincou: “Nossa parece que a mana andou deixando alguém na mão esta noite!”, assustado e com medo fiquei meio sem saber o que dizer num primeiro momento, mas arrisquei: “Não é bem isso pois como você mesma sabe sua irmã, não deixaria nunca isto acontecer….o meu problema não é bem a sua irmã.Um amor de cunhada
Ela se fazendo de desentendida e agora forçando para que eu saísse da casca pergunta: O que é isso então? De pé na frente dela e agora sem medo, arrumei coragem, do calcanhar para isso, respondi que a muito tempo eu já não podia vê-la por perto que ficava assim, extremamente agitado e com o cacete quase explodindo de tanta tesão.
Ela na maior sem-cerimônia e sem dizer uma palavra,virou de frente pra mim e sentada no sofá, agora com as pernas abertas de forma a ficar mais a vontade, me puxou pela cintura e com uma das mãos foi retirando de dentro do calção o meu cacete, que naquele momento estava em ponto de jorrar na sua cara. Abaixando um pouco mais o short começou a me masturbar lentamente, verificou bem com seu olhar e devagarinho foi levando a boca, primeiro com lambidinhas em volta da cabeça, fazendo movimentos circulares com a língua, depois colocando o corpo bem lentamente dentro da boca, até ficar com mais da metade escondido dentre aqueles lábios maravilhosos. Neste meio tempo eu já não sabia mais o que estava fazendo, agarrado a seus cabelos sentia a sua língua passear pelo meu cacete, estava delirando. Quando senti que era inevitável a gozada, tirei de sua boca e beijei-a loucamente, como se fosse a primeira namorada.
Me abaixei e de joelhos fui tirando lentamente aquelas calcinhas, deixando a mostra uma bucetinha rosada, com poucos cabelos e naquele instante já molhada de tanta vontade de ser fudida. Levei minha língua até seu clitóris e ela gemendo puxou minha cabeça contra aquela bucetinha que assim como a da minha mulher tinha um sabor especial, lambi muito sua xana, enfiando a língua dentro daqela fenda e virando ela de quatro, segurando-se no sofá, chupava com volúpia sua bucetinha e o seu cuzinho, que também estava rosadinho, bem limpinho tinha o sabor de uma trepada inesquecível.
Deitei no chão em cima do tapete e ela como se estivesse a meses sem trepar abocanhou novamente meu pênis e eu virei-a de forma a poder continuar com a língua dentro daquela coisa gostosa, não demorou muito e senti o seu corpo se retorcendo e em instantes um orgasmo ecoa dentro dela, fazendo com que aperte minha cabeça entre suas coxas, e eu mais ainda mexo e remexo minha língua dentro daquele rabo, ao que ela tenta sair pois sente pequenos choques ao sentir minha língua lambendo seu clitóris.
Segurei o máximo que eu pude minha gozada e ficamos parados por alguns minutos, refeita, me dizia: “Agora sei por que minha irmã não te deixa, o único problema agora é que eu quero ao menos dividir com ela as vezes”, peguei-a pela cintura e ajudei com que levantasse, sentado no sofá, puxei ela pra cima de mim, meu cacete não aguentava mais e queria gozar. Ela ajeitou-se e de frente pra mim foi sentando no meu colo, com a sua mão direccionou meu pénis para a porta de entrada e foi descendo devagar. Senti cada milímetro em que entrava dentro dela, bem devagarinho cheguei até onde podia e ela começou a rebolar lentamente em cima de mim. Creio que foram no maximo 5 movimentos de vai-e-vem e….jorrei violentamente dentro dela, explodi como se fosse um vulcão.
Ao sentir aquele jato quente ela ficou mais excitada e freneticamente começou a rebolar, em poucos segundos agarrou-se a mim e de tanto prazer chegava a tremer o corpo. Gostaria de nunca ter que terminar aquela tarde, mas minha esposa chegaria em poucas horas e a gente não podia deixar rastros. Ficamos um tempo curtindo aquele momento e aquela loucura, eu ainda estava dentro dela, meu pau tinha dado uma relaxada, mas estava novamente voltando a erecção completa.
Ela levantou-se, foi até o banheiro e limpou seu lindo rabinho, voltou e me pediu para colocar por trás, para colocar em seu cuzinho. Não hesitei pois estava de novo de pau duro, lubrifiquei bem aquele cuzinho rosado e devagarinho fui colocando.

Massajando seu clitóris e colocando devagar.Ela quase chorava, num misto de dor e prazer. Primeiro a cabeça ,ela quase desistiu neste momento, depois o resto sem forçar, até o final, sem mexer. Quando senti que ela já estava melhor e que a dor estava se transformando em puro prazer, comecei a estocar com todo o carinho e sempre massajando seu rabinho. Não demorou muito pra ela se soltar e começar a pedir que eu fizesse com força, ela começou a rebolar e com movimentos rápidos quase arrancava o meu pau de dentro do seu cuzinho, eu com o dedo enfiado na sua xana, estava nas nuvens, quando senti que o seu corpo começava a se retorcer e tão rápido quanto começou , chegava novamente ao orgasmo, continuei a estocar e gozei dentro daquele cuzinho como se fosse para deixar marcado o território. Despencamos os dois no tapete e quase sem forças quase dormimos ali mesmo. Assustamos levantamos, ela foi ao banheiro e se vestiu, saindo la de casa da mesma forma que entrou, calmamente. Nunca conversamos sobre o acontecido e até hoje de vez em quando ainda nos encontramos em algum motel.
Sem culpas e sem remorsos, amo minha mulher e se tudo correr bem ainda trepo com as duas juntas. São muito deliciosas!