Minha namorada e as amigas foderam o meu cuzinho

Conheci Silvana na praia. Eu tinha tirado um dia de folga do trabalho no meio da semana durante as férias de minhas duas filhas pré adolescentes e resolvi leva-las a praia. Estava um dia lindo, de sol forte, mas não haviam muitas pessoas na praia naquela hora e minhas filhas começaram a brincar com outra menina perto da água. De repente minhas filhas vieram correndo e pediram dinheiro para comprar sorvete e eu dei a quantia para comprar três, incluindo a amiguinha delas. Só então eu percebi que a pessoa que estava sentada um pouco atrás de mim tinha levantado e estava ao meu lado.
“ Minha filha, toma aqui o dinheiro” – disse ela.
Era a mãe da menina que vendo que eu estava pagando pelos tres sorvetes resolveu pagar o da filha ela mesma.
“Ah, não precisa….” – disse eu
“Não, não, que isso……..eu faço questão” – disse a moça.
Só nesse instante eu olhei para ela, e fiquei encantado. Era uma moça lindíssima, com um corpo escultural, pele branca um pouco bronzeada, cabelos negros e uns olhos verdes maravilhosos. Estava usando um biquíni vermelho bem pequenininho e quando se virou para entregar o dinheiro a filha percebi que o biquíni só tinha um triangulozinho mínimo atrás, deixando a moça com o bumbum quase que totalmente de fora. Começamos a conversar ali mesmo e fiquei sabendo que ela era bem mais nova que eu, tinha só 29 anos, e tinha se separado do marido havia 2 anos. Bem, para encurtar a história, só digo que alguns dias depois começamos um tórrido romance.
Para mim nao poderia ter acontecido coisa melhor. Eu havia me separado de minha mulher havia um ano e desde então estava sozinho. Não que me importasse muito com isso, mas conhecer a Silvana me despertou para a vida novamente. Ela era uma mulher muito alegre, muito activa, estava sempre querendo fazer coisas, se divertir, e tínhamos uma vida muito movimentada. Na cama ela era absolutamente sensacional, fazia completamente de tudo sem a menor inibição e estava sempre disposta a transar a qualquer momento. Eu estava tao encantado por ela que até passei a me comportar de forma um pouco diferente pois na verdade sou um homem um pouco formal e mesmo tímido. O que quero dizer é que eu passei a fazer vista grossa a alguns aspectos do comportamento de Silvana, mais especificamente a maneira ousada que ela se vestia, sempre usando minisaias ou minivestidos curtinhos, as vezes sem soutien, biquínis quase sem nada atrás, essas coisas, e nunca deixei que ela percebesse que aquilo me deixava um pouco inquieto, encabulado, nem que eu me irritava com as constantes piadinhas que alguns caras sempre faziam ao vê-la passando.
Bem, os meses foram passando e tudo continuava as mil maravilhas até que um belo dia tudo se transformou por completo em um instante. Nós dois estávamos na casa da Silvana sozinhos, já que sua filha tinha ido passar o fim de semana com o pai, e durante o jantar ela disse que tinha uma surpresa para mim. Perguntei o que era mas ela não quis revelar, dizendo apenas que mais tarde ela iria me mostrar. Assim, terminamos o jantar, assistimos um pouco de televisão e então fomos para o quarto. Silvana então foi tomar um banho e quando terminou saiu do banheiro e avisou de uma forma alegre e entusiasmada:
“Meu bem, olha aqui a surpresa que tenho para você…..”
Eu estava deitado na cama distraído e quando voltei meu olhar para a Silvana deparei-me com a seguinte cena: ela nuazinha em pêlo mas usando uma espécie de cinta com um pénis artificial acoplado. Olhei para ela por uns 5 segundos meio espantado, sem falar nada, até que respondi:
“Que esquisitice é essa Silvana?”
“Esquisitice nada….rsrsrsrs…..eu estou preparada para te comer meu amor……quero comer tua bundinha….”
Eu sou homem, e nunca tinha sequer pensado nesse tipo de coisas. Nunca havia passado pela minha cabeça concordar em ser penetrado analmente e esse assunto estava completamente fora de questão.
“Que doideira é essa Silvana” – respondí – “Eu sou homem e não faço esse tipo de coisas”
“Por que não querido…???…você não come a minha bunda?…então….bunda é igual para homem e mulher….se você come a minha eu também posso comer a sua”
“Mas você é mulher, é diferente. Mulher é comida e homem come. Homem que dá a bunda é viado, não importa se ele dá para mulher ou para homem” – falei de forma decisiva.
“Ah, deixa de ser babaca Marcelo, deixa de ser preconceituoso. Abre um pouco a sua cabeça vai…..vamos fazer uma coisa diferente….uma sacanagem mais legal….”
“Silvana, não tem nem conversa. Eu sou homem e não admito esse tipo de coisas.”
Minha resposta foi num tom de quem não admitia contestações e creio que aquilo surpreendeu bastante a Silvana. Até então nunca tinha dito um não para ela, tinha aceito todas as suas ousadias de comportamento sem pestanejar, até ir em praia de nudismo com ela eu tinha aceito na hora, mas aquilo não. Percebi que ela ficou completamente desapontada com a minha atitude pois passou o resto da noite emburrada sem falar comigo.
Nas semanas subsequentes Silvana voltou a mencionar várias vezes que queria me comer e também passou a comentar que eu tinha mudado com ela, que não era mais o cara legal que sempre tinha sido. Aquilo me deixava super inseguro, pois a verdade é que eu estava absolutamente apaixonado e encantado com ela, não querendo decepciona-la por nada desse mundo. Eu tentei compensar sendo mais e mais atencioso, romântico, essas coisas, mas não adiantou, ela continuou mencionando que queria comer a minha bunda e dizendo que estava profundamente decepcionada comigo porque eu não deixava, até que um dia, duas semanas depois daquela noite, Silvana terminou comigo por telefone. Ela ligou e disse simplesmente que se eu não tinha a cabeça aberta o suficiente para aceitar as ideias dela não havia motivos de nós continuarmos juntos. Ela disse isso secamente e bateu o telefone na minha cara. Estava tudo terminado. Eu fiquei completamente arrasado com o ocorrido e tentei desesperadamente uma reconciliação. Liguei para ela dezenas de vezes mas ela não atendia. Deixei várias mensagens mas ela não respondia. Tentei encontra-la em seu apartamento umas 5 ou 6 vezes mas o porteiro tinha ordens de não abrir o portão para mim. Era desesperador.
Um mês se passou mas meu desespero por te-la perdido só aumentava. Emagreci, não conseguia me concentrar no escritório, não dava a atenção devida as minha filhas, chorava muito a noite, enfim, eu estava um trapo. Até que em uma certa noite de solidão comecei a considerar a possibilidade de aceitar o que a Silvana tinha proposto. Lentamente com o passar dos dias minhas ideias foram mudando e comecei a raciocinar sobre o que definia masculinidade e heterossexualidade. Comecei a ponderar que um homem heterossexual gosta apenas de se relacionar com mulheres e esse era exactamente o meu caso. Isso não iria mudar caso eu concordasse em ser comido pela Silvana, afinal de contas eu estaria me relacionando com uma mulher, embora de forma invertida. Quando essa ideia assentou na minha cabeça foi como se uma tonelada de peso tivesse sido tirada de cima de meus ombros. Eu agora tinha uma chance de voltar para ela! Então liguei imediatamente mas…..quando Silvana ouviu minha voz bateu o telefone não me dando chance alguma de explicar que tinha mudado de ideia. Tive então a ideia de comunicar-me com uma amiga sua que morava bem perto de mim. Silvana tinha muitas amigas e me apresentou a várias, mas eu tinha o telefone de apenas essa. Liguei para ela pedindo que ligasse para Silvana explicando que eu tinha concordado com um pedido seu e que queria falar com ela. Deu certo pois no dia seguinte ela atendeu o telefone. Vocês não podem imaginar a alegria que eu senti quando ela atendeu e falou com o tom de antes, como se nada tivesse acontecido:
“Oi meu amor…!!!…que bom que ligou!!!”
Expliquei para Silvana que tinha pensado no assunto e reconsiderado, portanto estava disposto a fazer aquela pequena vontade dela. Silvana, safada como sempre, se fez de desentendida e pediu para eu explicar direitinho sobre o que eu estava falando. Eu engoli a minha vergonha e falei com todas as letras:
“Eu topo dar a bunda para você”
Ela ficou extremamente contente com a minha decisão e imediatamente combinamos nos encontrar num restaurante para reatarmos o namoro e foi com uma alegria indescritível que a vi chegar, linda como sempre. Começamos a bater um papo descontraído até que eu resolvi confirmar o que tinha dito pelo telefone para que finalmente nós reatássemos o nosso namoro. Cheguei bem pertinho dela abraçando-a com carinho e, abaixando o tom de voz falei-lhe ao ouvido:
“Sabe Silvana…….aquela proposta que você me fez……..eu topo……eu topo dar a bunda para você para que a gente reate nosso namoro…!!!”
Silvana então fez uma carinha bem sapeca, estampou um sorrizinho bem safado e falou com um ar de inocência::
“Ah meu amor….isso agora não é mais suficiente nao…….você vai ter que fazer mais…..beeeeem mais para provar que me ama de verdade…!!!”
Ao ouvir isso senti um frio percorrer minha espinha……O que é que a Silvana iria querer mais?
“Sim meu amor….o que é que você quer que eu faça?” – perguntei forçando um ar de naturalidade
“Sabe o que é…???” – começou Silvana com aquele ar safado de quem vai fazer arte – “Para voltar para mim você vai ter que provar amor total….incondicional…..então agora eu quero que você se deixe comer pelas minhas amigas…….são quatro meninas……eu vou ficar só olhando enquanto você é comido por todas…….. você faz isso por mim?”
Quando eu ouvi aquilo a raiva subiu pelas minhas têmporas. Que mulher era aquela? Uma louca? Uma tarada? Só sei que quase perdi o controle e estive a ponto de dar um berro no meio do restaurante. Felizmente me dominei a tempo e não falei nada. Minha cabeça estava dando voltas incapaz de raciocinar logicamente, eu não sabia o que dizer. Depois de longos segundos de excitação eu olhei nos olhos daquela mulher linda e finalmente cedi respondendo:
“É só isso que você quer….???….claro meu amor, para voltar para você é claro que eu dou a bunda para as suas amigas. Espero que elas gostem de me comer e você de assistir”.
O rosto de Silvana se iluminou num sorriso ao ouvir minha resposta! Ela sentou no meu colo, abraçando-me e dando me um tremendo beijo na boca.
“Ah meu amor….que bom…!!!” falou Silvana exultante de felicidade! – “estava começando a pensar que você fosse um babaca preconceituoso daqueles que acham que vão deixar de ser homem se fizer inversão com mulheres! ”
“Ah Silvana….me desculpa por favor…..é que eu não estava acostumado com essa maneira liberal de você pensar sabe…..aí eu fiquei nervoso e fiz besteira….você me perdoa…???….”
“Perdôo querido……mas só perdôo tudinho depois que você for comido por todas as minhas amigas!”
“Eu faço tudinho que você pedir meu amor…sem restrição alguma!!!”
“Então tá bom. Você se lembra das minhas amigas que lhe apresentei? A Claudia, a Christiane, a Rosa e a Denise?”
“Creio que a não me lembro não meu amor….”
“Entao tá…olha, você agora vai ter que dar a bunda para todas elas na minha presença. Vai ser comido pelas quatro uma atrás da outra quantas vezes elas quiserem e eu vou ficar só olhando e curtindo o espectáculo………. agora, você terá obrigatoriamente que agradar todas elas……vai ter que dar todo contente, curtindo tanto quanto elas….nada de ficar de cara amarrada viu…!!!…no final elas vão te aprovar ou não, e só volto para você se elas te aprovarem. Sei que você é homem o suficiente para aguentar essa parada e vou ficar muito orgulhosa de você depois que passar todas as minhas amigas na cara…..”
Eu estava achando aquela história completamente louca, mas não podia dizer que não, eu estava completamente escravizado aquela mulher e não queria perde-la por nada desse mundo. Concordei com tudo como se fosse a coisa mais natural do mundo.
“Eu topo meu amor……topo sim, só para lhe deixar contente!”
Silvana estava exultante com a minha resposta. Ela passou então a me dar instruções de como eu deveria me preparar para o evento. Eu teria que depilar o corpo inteiro, inclusive os pelos púbicos, o bumbum, e o cuzinho. Depois, um pouco antes de sair de casa, eu teria que fazer um enema para evitar fazer sujeira durante minha enrrabaçao. Eu concordei com tudo pensando que acharia um jeito de consertar a situação depois.Minha namorada e as amigas foderam o meu cuzinho
Logo na manha do dia seguinte entretanto Silvana ligou dizendo que já estava tudo marcado para o próximo domingo. As quatro meninas estariam prontas me esperando e a Silvana iria me pegar em casa de carro. Aquilo me deixou nervoso, inseguro e inquieto, saber a data e a hora da suruba me transmitia uma sensação fatalista. Os dias foram passando devagar e eu não conseguia deixar de pensar no assunto, ficava pensando sobre sobre as minhas filhas….o que elas iriam pensar se soubessem que o pai iria ser comido na bunda por um bando de taradinhas com a namorada olhando tudo? E a minha masculinidade…….será que iria ser afectada…???….Comecei a pesquisar na net e achei vários sites sobre inversão de papeis, passando então a ler tudo sobre o assunto e confesso que com o passar dos dias fui ficando menos nervoso com a ideia, até que finalmente na véspera acabei me convencendo de que não tinha problema algum fazer aquilo. Dar a bunda para mulher não faz o homem virar gay ou perder a masculinidade sabem……tem muito homem fazendo isso sem o menor problema, na boa, e eu seria apenas mais um. Ainda mais a perspectiva de perder Silvana para sempre me assustava tremendamente e se o preço para te-la comigo era o de ser enrabado, então….que fosse!
Passei o dia de sábado com as minhas filhas e depois de deixa-las na casa da minha ex-mulher arregacei as mangas e fiz o serviço completo: me depilei todinho como a Silvana tinha mandado. Não sobrou um fio de cabelo abaixo do pescoço. Depois no domingo de manha comprei o enema e fiz a aplicação de forma que não haveria possibilidade de eu me sujar quando alguém tirasse o dildo do meu cú depois de me comer. Em seguida tomei um bom banho e fiquei a espera de Silvana.
Ela apareceu logo a seguir e estava absolutamente linda, usando um minivestidinho estampado de branco e verde, a pele queimada de sol e aqueles olhos verdes que me deixavam encantado. Saímos logo no carro dela e nos dirigimos ao lugar marcado com as amigas dela, que era um sítio um pouco afastado. Enquanto dirigia Silvana ia me contando as aventuras que ela e as quatro amigas estavam envolvidas. Tudo começou porque uma delas, a Claudia, uma moça já entrada nos 40 mas ainda belíssima e em forma total segundo a Silvana, tinha arrumado um amante bem novinho e começado a fazer inversão de papeis com ele. O garoto tinha topado porque ela pagava a faculdade dele e tinha ameaçado cortar a grana caso ele não concordasse em fazer inversão. Então a Claudia passou a contar tudo o que os dois faziam para as outras quatro até que uma delas perguntou se não podia comer o garoto também. Para encurtar a história, todas as moças começaram a comer o garoto e fizeram um acordo de tentar arrumar namorados que concordasem em participar em surubas organizadas por elas mas só como passivos. Até então elas não haviam conseguido mais homem nenhum, eu iria ser o primeiro.
Depois de cerca de 1 hora e meia de viajem chegamos ao sítio, que era de propriedade da Claudia. Entramos na propriedade e estacionamos o carro em frente a casa. Silvana entrou sozinha para combinar tudo com as meninas enquanto eu esperava no carro. Após quase 20 minutos de espera Silvana aparece e me conduz até uma porta lateral, a qual estava destrancada e então entramos. Aquilo era uma espécie de hall pequeno, o qual tinha uma porta oposta a de entrada e que dava directo para um salao. Silvana bateu na tal porta e poucos segundos depois uma mulher entra no recinto me fazendo ficar imediatamente encantado com ela. Era uma garota bem novinha, aparentando ter uns 18 anos, toda vestida de empregadinha tal qual a gente vê nos filmes. Bem loirinha, magra, alta, com umas sardinhas nas bochechas e um sorriso encantador que permaneceu aceso quando ela começou a falar:
“Oi Silvana, as garotas já estão prontas para a sacanagem com o seu namorado”
Voltando então o olhar para mim, disse num tom um pouco sarcástico e autoritário porém sem desmanchar o sorriso lindo:
“Aí cara…..tira toda a roupa e empilha tudo naquele cantinho alí……quero você todo nuzinho.”
Fiz como ela mandou e me coloquei completamente nuzinho na frente dela. Fiquei com um pouco de vergonha, encabulado, não por estar nu mas sim por estar completamente depilado. Além do que eu já estava bastante adentrado nos 40 e obedecendo ordens de uma menina de no máximo 18 anos. Sempre sarcástica e sorridente a menina então pegou na minha mão e deu mais uma ordem para mim:
“Vamos cara…….vem comigo que eu vou te levar pra conhecer as garotas que vão te enrabar…!!!
A Silvana pega na minha outra mão e seguimos os três até adentrar no salão principal da casa. Sigo andando todo nuzinho de mãos dadas com aquelas duas gatas lindas e sentindo o pinto balançar ao ritmo dos meus passos até que pude visualizar as 4 amigas da Silvana que iriam me comer. Quase morri de tesão quando as avistei. Três delas estavam vestidas de couro preto dos pés a cabeça, uma roupa colante e chamativa, além de estarem usando botas de cano alto vindo até acima do joelho e com salto alto tipo agulha. A quarta estava com um corpete vermelho, cinta liga também vermelha e bota igualzinha a das outras só que vermelha também. Seguí de maos dadas com a empregadinha e a Silvana até que quando cheguei mais próximo reparei uma coisa que me deu um frio na espinha: as quatro moças já estavam equipadas com os seus dildos eretos……cada um bem grossao….!!!….aaaiiii fiquei pensando….. como é que eu iria encarar aquela parada, afinal de contas eu era virgem analmente, o máximo que tinha feito foi fio terra umas poucas ocasiões com a minha ex-mulher, isso mesmo quando eu ainda era bem mais jovem, portanto seria difícil aguentar aqueles dildos enormes pensei. Continuei andando mesmo assim até que chegamos bem pertinho delas. Silvana então sem emitir uma palavra para mim retirou-se para uma poltrona, deixando-me sozinho em frente a elas. Todas as moças estavam me olhando com um sorriso de orelha a orelha, com um ar meio sacana e debochado, e eu estava me sentindo cada vez mais encabulado. A mais velha delas parecia ter pouco mais de 40 anos de idade, mas notava-se claramente sua beleza ainda intensa e seu corpo impecável. Foi ela que começou a quebrar o gelo iniciando um dialogo:
“Olha, eu sou a Claudia………pois é Marcelo…..quer dizer que a Silvana te colocou numa encruzilhada heim…..só volta contigo se você der a bundinha pra gente……rsrsrsr!!”
Eu estava sem graça, sorrindo amarelo, mas como queria agrada-las respondi mesmo sem graça:
“É Claudia, pra ter minha namorada de volta vou ter que dar a bunda……”
“Olha só”, falou a Claudia, “essas aqui sao a Christiane, a Rosa, e a Denise”.
As tres moças me cumprimentaram dando beijinhos na minha face a medida que eram apresentadas, e aquilo me excitou. Em seguida a Claudia me deu um whisky dizendo que eu precisava me soltar um pouco e foi dizendo em seguida:
“Meu amor, vira e mostra essa bundinha pra gente, que eu não quero ficar vendo esse pinto de fora não. Esse pintinho vai ficar de férias hoje, vai descansar, mas a sua bundinha vai trabalhar bastante……rsrsrsrsrs.”

Virei-me de costas então para que elas vissem meu bumbum de fora e fiquei tomando o whisky devagarinho. As meninas começaram a fazer comentários sobre o meu bumbum e a passar a mão. Entao a Christiane, aquela lourinha toda de vermelho, ajoelhou-se atrás de mim e passou a beijar a minha bunda. Ela foi dando cada vez mais beijinhos, depois passou a lamber minha bunda todinha, e em seguida passou a lamber meu cú, enfiando a língua e lambendo todo o meu rabo desde o saco até o fim do rego da bunda em cima. Eu nunca tinha passado por isso e comecei a achar tudo aquilo absolutamente delicioso. Fiquei imediatamente com o pau completamente duro, e as meninas notaram e ficaram comentando. A Claudia pediu para eu começar a rebolar, e como o whisky já estava começando e fazer efeito eu passei a rebolar devagarinho enquanto que a Christiane continuava a trabalhar sua linguinha na minha bunda. Infelizmente essa brincadeira durou pouco pois a Claudia logo pediu para eu ficar de quatro pois a enrabaçao ia começar. Posicionei-me de quatro no tapete e a Claudia entao pediu para eu abrir bem as pernas e arreganhar bem a bunda com as duas maos, enquanto eu ficava apoiado nos ombros e com o rosto apoiado no tapete. Enquanto eu me posicionava corretamente a Claudia chamou aquela menina novinha vestida de empregadinha e a mandou me preparar. Só então fiquei sabendo que o nome dela era Bia. Percebi que a Bia estava lubrificando todinho o pinto da Claudia com alguma coisa. Em seguida a Bia veio por trás e passou a lubrificar meu ânus com os dedos. Primeiro ela passou bastante lubrificante no meu ânus e depois lambuzou o dedo inteirinho e começou a enfiar o dedo no meu cú devagarinho para lubrificar por dentro. Ela foi enfiando e começou a arder cada vez mais, mas eu aguentei firme sem reclamar e deixei a menina enfiar tudinho. A Bia então tirou o dedinho e começou a enfiar de novo bem devagarinho, foi tirando e enfiando, botando mais lubrificante, enfiando de novo, e de repente eu comecei a achar aquilo gostoso apesar da ardência. Acho que a Bia percebeu que eu estava gostando porque aí ela começou a enfiar o dedinho seguidamente bem rápido sem lubrificar mais. Então outra vez eu comecei a ficar de pau duro, meu pinto foi crescendo, crescendo, até ficar rígido e em pé como um mastro. Nessa altura a Bia viu o meu mastro erecto e comentou rindo:
“Olha só…..o Marcelo ficou de pau duro porque está levando dedo no cú…!!!!!…… rsrsrsrsrsrs….!!!!”
Nesse momento a Claudia aparece na minha frente equipada com a cinta com um consolo acoplado e percebo que o consolo é bem mais grosso que o dedinho da Bia. Por mais estranho que possa parecer aquilo me excitou mais ainda e me proporcionou a coragem que estava faltando para que eu enfrentasse a situação pela qual iria passar. Entao vejo a Silvana e percebo mais uma vez como ela está linda e sexy usando aquele mini vestidinho florido. Ela olha para mim com um sorriso lindo e me manda um beijinho com a mao que eu retribuo mandando pra ela um beijinho com os labios. Vendo a cena a Claudia comenta com a Silvana:
“Eu quero que você assista de camarote o seu namorado ser comido. Pega aquela poltrona e coloca aqui bem na frente dele, você e a Bia vao sentar aqui pra assistir.”

Em seguida a Claudia foi posicionar-se atrás de mim e eu nao a ví mais. Fiquei só olhando aquelas duas gatas lindas, a Silvana e a Bia, sentadinhas juntas na poltrona para assistir a mim sendo comido. Eu fiquei vendo as coxas das duas safadinhas sentadas de pernas cruzadas e fiquei pensando qual das duas era a mais gostosa. De repente ouví a Claudia pedindo para eu abrir as pernas. Abrí o máximo que pude e arreganhei bem a bunda com as duas maos como tinha feito antes e sentí logo o consolo dela encostando no meu anus. Entao a Claudia começa a enfiar o consolo na minha bunda bem devagarinho, e eu sentindo aquele consolo entrando cada vez mais, sentindo meu anus se dilatando, abrindo, e o consolo entrando e…..a dor é muito forte, muito mais do que eu esperava, e sem poder me controlar eu solto um grito de dor e surpresa: “AAAAAAIIIIIIIIIIIIII…………!!!!!!!!” e desesperado tiro a bunda da reta e fujo engatinhando.
“Ai Claudia…..dói demais……eu nao vou aguentar dar a bunda nao…!!!”
De repente alguém no fundo da sala solta um berro estridente:
“QUE VIADAGEM E ESSA ……???…..”
Olhei espantado e avistei uma mulher magra, alta, vestida de uma maneira que destoava completamente das outras, pois estava usando apenas uma minissaia de brim, uma camisetinha sem manga e sandalias de dedo. As meninas começaram a rir e eu nao entendí mais nada. Ainda gritando a mulher perguntou:
“COMO E QUE VOCE NAO AGUENTA DAR A BUNDA……???”

Alguém respondeu: “ele é virgem Guiomar, nao está aguentando a parada” . A dona entao dirigiu-se a mim e sempre aos gritos perguntou:
“E VOCE NAO E HOMEM NAO SEU OTARIO…..???…..TEM QUE AGUENTAR QUE NEM HOMEM…!!!”
Eu nao sabia o que fazer e fiquei esperando que alguém me explicasse alguma coisa, até que Silvana, notando meu embaraço comentou: “responde logo a Guiomar meu bem”
“Sabe o que é Guiomar…….é que a Silvana só deixa eu voltar para ela se eu me entregar para as moças, mas está doendo demais e eu nao estou aguentando…..”
“E VOCE PARA COMER ALGUEM PRECISA PASSAR POR ESSA HUMILHACAO DE TOMAR NO CU SEU VIADO BABACA….!!!……VEM AQUI…!!!….VEM QUE EU VOU TE DAR UMA LICAO PRA VOCE DEIXAR DE SER VIADO…!!!
A Guiomar berrava e apontava com a mao que era para eu chegar até em frente dela. Eu fui andando devagarinho, me sentindo o maior babaca enquanto ouvia as madames rindo e fazendo comentarios debochados a meu respeito. Chegei em frente dela e parei, esperando novas ordens, e entao Madame Guiomar sentou-se num sofá que estava bem atrás dela, tirando do pé a sandalia de borracha que usava e falando sempre aos gritos:
“DEITA DE BRUCOS AQUI NO MEU COLO SEU OTARIO!!!!!”
Eu fui e deitei no colo dela. Assim que fiquei com o bumbum na posiçao correta Madame Guiomar continuou com suas ordens:
“EU VOU TE DAR UMA SURRA DE CHINELO NA BUNDA. VOCE PODE GRITAR A VONTADE MAS NAO SE MEXE, NAO TENTA FUGIR QUE VAI SER PIOR, APANHA QUIETINHO…..”
E essa agora…….vou apanhar na bunda pelada pensei…..nao estava esperando por isso….mas nao deu tempo nem de raciocinar direito porque logo em seguida madame Guiomar começou a lascar meu bumbum com vontade, começou a me aplicar uma belíssima surra de sandalia de borracha sem falar nada, só descendo o couro:
VAPT…!!!… VAPT…!!!… VAPT…!!!… VAPT…!!!…

Depois de umas 3 ou 4 chineladas meu bumbum começou a esquentar e a arder demais mas eu continuei apanhando quietinho até que chegou a um ponto que nao deu mais pra segurar calado toda aquela ardência, eu botei a boca no mundo e comecei a berrar a cada palmada:
VAPT…!!!…AAAIII…!!!… VAPT…!!!…UUUIII…!!!… VAPT…!!!…UUUAAAIII…!!!
Apesar da minha gritaria toda Madame Guiomar nao se alterou e se manteve firme nas palmadas e loguinho meu bumbum ficou queimando como se eu estivesse sentado numa churrasqueira. A surra continuava sem parar, me deixando no maior desespero. Eu gritava descontroladamente e comecei a pensar em fugir do colo daquela doida, mas felismente me lembrei de que as meninas é que iriam aprovar minha volta para a Silvana caso eu agradasse a elas e entao resolví continuar de bruços apanhando na bunda pelada, aguentando até o fim. A surra demorou ainda muito tempo e quando acabou minha bunda ardia de uma forma que eu nunca pensei que pudesse arder.
“PRONTO SEU BABACA……..JA APANHOU O SUFICIENTE PRA APRENDER QUE VIADO AQUI TEM QUE AGUENTAR COMO SE FOSSE UM HOMEM. AGORA VAI LA, FICA DE QUATRO NA FRENTE DA CLAUDIA E TOMA NO CU SEM RECLAMAR COMO SE VOCE FOSSE UM HOMEM!!!!”
Fui andando para aonde a Claudia estava me sentindo super humilhado e me posicionei novamente de quatro. Claudia fica me olhando com um sorriso debochado no rosto por uns momentinhos e em seguida exclama rindo: “que surra você levou heim Marcelo…”. Depois ela se coloca atrás de mim e começa a passar a mao na minha bunda. Está tudo ardendo por causa da surra que levei, mas ela passa a mao bem de levinho para me dar uma colhar de chá, e enquanto isso a Bia e a Silvana chegam perto e se sentam na minha frente para assistir o espetáculo. Madame Claudia me diz entao:
– Arreganha tudo meu amor, abre tudo!
Eu abro bem as pernas, arreganho a bunda com as maos e fico esperando. Logo sinto o consolo encostando no meu anus e ouço a Claudia falar no meu ouvido de forma toda gentil:
– Eu sei que teu cuzinho está todo ardendo meu amor, por isso eu vou botar bem devagarinho tá…???!!!
Em seguida sinto o consolo começar a forçar e a abrir meu anus bem devagarinho. Começa logo a arder muito e a medida que o consolo vai entrando devagar a ardencia aumenta demais. Começo a acusar minha afliçao crescente por meio de gritos que emito sem conseguir me controlar:
– AAII…!!!…AAAIII…!!!…AAAAAAIIIIII…!!!…
A ardência fica tao grande que perco o controle completamente e grito desesperado:
– AAAAAAIIIIII…!!!…CLAUDIA……ENFIA ESSA MERDA LOGO PORQUE TA ARDENDO PRA CARALHO…!!!….. AAAAAAIIIIII…!!!

Claudia percebe minha afliçao intensa e força o consolo com bastente vigor, enfiando tudo de uma vez. A dor é muito foda e eu grito impulsivamente:
– AAAAAAIIIIII…!!!… AAAAAAIIIIII…!!!…TA FODA PORRA…..!!!!!….TA DOENDO PRA CARALHO…!!!
Sinto o ventre da Claudia encostar na minha bunda, significando que ela enfiou tudinho, mas ela simplesmente fica com a trolha enterrada no meu anus, sem mexer. Em seguida ela se deita toda sobre minhas costas e começa a falar baixinho no meu ouvido:
– Ai querido, é assim mesmo, nao grita nao que passa logo. Você está aguentando direitinho e logo logo vai achar gostoso……
Em seguida Claudia passa a beijar meu pescoço, a beijar e lamber meus ouvidos e minhas costas. Aquilo vai me acalmando e relaxando e após uns poucos minutinhos já nao sinto uma ardência tao forte no anus. Claudia passa entao a bombar aquela rola devagarzinho e depois vai aumentando o ritmo e a intensidade. Fico alí de quatro sentindo a pica entrar e sair do meu cú até que de repente percebo que estou gostando daquela situaçao e começo a sorrir. Olho para a Silvana e noto que ela está curtindo muito me ver passar por aquilo tudo. Ela sorrí, manda beijinhos, fica falando pra eu aguentar que nem homem, essas coisas. Já a Bia apenas rí muito e faz sinal com a mao dizendo que eu estou fodido. Estranhamente nao sinto vergonha alguma de estar sendo comido com várias mulheres olhando e apesar da dor intensa eu tento sorrir para a Silvana e a Bia. Claudia continua a trabalhar na minha bunda e movimenta o consolo num entra e sai bem ritimado; ela tira quase tudo e enfia tudinho outra vez num ritmo constante. Meu cú está pegando fogo mas aguento bem e isso me deixa contente. Claudia aumenta gradativamente o ritmo do entra e sai até ficar bem rápido e desta forma meu cú começa a arder cada vez mais me deixando aflito e fazendo meu sorriso ficar amarelo. O ritmo agora é bastante forte e a cada estocada o ventre da Claudia bate no meu bumbum ardido da surra mas eu estou decidido a aguentar firme e seguro as pontas como um homem deve fazer. Claudia fica vários minutos me comendo dessa maneira e quando termina e tira meu cú está tao arrombado e pegando fogo que quase peço para chamarem os bombeiros!
Me levando tremendo, com as pernas bambas, suando em profusao e demonstrando claramente a afliçao que sinto por causa do meu cú pegando fogo. As meninas estao todas rindo da minha situaçao, fazendo comentarios debochados, e na falta de outra opçao eu fico alí na frente delas, pelado, raspado e enrabado, sorrindo amarelo que nem um babaca e esperando curioso para saber qual é a próxima que vai me comer. De repente ouço uma vozinha linda falar:
“Marceeelooo…..adivinha quem vai comer essa bundinha agora…???”
Me viro e vejo a Christiane, aquela loirinha sapeca de corpete vermelho. Ela já está equipada de cinta com consolo lambuzado de lubrificante e quando eu olho aquela gata linda eu imediatamente fico de quatro e arreganho a bunda. Ao me ver prontinho ela rí e diz que nao, que nao quer assim, ela me orienta para deitar de costas e colocar os joelhos na altura do rosto, ficando numa posiçao de frango assado. Faço imediatamente o que ela manda, ansioso para agradar aquela loirinha linda, e fico contente ao ver o sorrizo dela ao me ver deitado e todo arreganhado. Ela pega entao, se deita por cima de mim e encosta a pica no meu cú. A diabinha começa logo e forçar a entrada e mais uma vez sinto meu cú se dilatando e queimando. Ela bota bem mais rápido que a Claudia, o que causa uma ardência desesperante. Grito abertamente sem tentar dissimular nada enquanto sou todo arrombado:
“AAAAAAIIIIII…!!!… AAAAAAIIIIII…!!!…CARALHO…!!!…AI MEU CU, PORRA …!!!… AAAAAAIIIIII…!!!… AAAAAAIIIIII…!!!…”

Entra tudo e a diabinha começa a bombar forte. Eu fico tomando no cú quase chorando, falando meio sem controle:
“Aaaiii….aaii menina…..tá foda…!!!…tá foda porra…!!!…aaaiiii…!!!…aaaiii…!!!…
A Christiane entao, num gesto que me pegou completamente de surpresa, olha pra mim e me tasca o maior beijo na boca, daqueles beijos longos, de língua, que me deixa sem respiraçao, ofegante por ar. Ela passa a bombar a pica bem forte num entra e sai infernal, enquanto ao mesmo tempo continua a me beijar na boca e a falar um monte de coisas:
“Ai meu amor…..eu estou te enrabando todo…..te comendo todinho…..fode gostoso….fode bem gostoso sua putinha safada…!!!!”
Aquilo tudo é uma sensaçao tao forte, tao louca, que simplesmente nao sei o que pensar e começo a sentir um prazer intenso. A barriga da lourinha está raspando no meu pau e de repente começo a ter uma ereçao incrível. A Christiane percebe que estou de pau duro e gosta, intensificando ainda mais o entra e sai e me levando quase a loucura. De repente ela tira tudo de uma vez e diz ofegante:
“De quatro…!!!…de quatro meu amor, fica de quatro!!!
Fico imediatamente de quatro e a diabinha enterra tudo de uma vez:
“AAAAAAAAIIIIIIIIIIII….!!!!….” – Berro desesperado enquanto tomo no cú mais uma vez!

A diabinha recomeça o entra e sai mas dessa vez segura a minha pica dura com uma das maos e começa a tocar uma punhetinha. Ela bate umas cinco ou seis vezes, para um pouquinho, bate mais umas quatro ou cinco, para outra vez, certamente para evitar que eu ejacule, enquanto continua a bombar no meu cuzinho arrombado. Sinto um prazer indescritivel, difícil de colocar em palavras. De repente ouço uma voz falar de forma autoritaria:
“O viado……chupa aqui…..chupa a minha pica ô viado…!!!”
Levanto a cabeça e vejo a Rosa, a menos bonita das meninas. Sem raciocinar abocanho o caralhao da moça e começo a chupar tudinho sem parar. A Rosa é meio bruta, nao é nada delicada, e enquanto chupo ela fica falando para a Silvana com uma voz meio grossa”
“ O Silvana……esse teu namorado é o maior viado…!!!…olha só, tá adorando tomar no cú e chupar pica…!!!…o cara é o maior viado mesmo!”
Fico um bom tempo chupando e tomando no cú até que a Christiane tira e a Rosa toma o lugar dela e começa a me comer. Eu já estou tao arrombado e a dor que sinto no cú é tao intensa que ela bota e eu nem grito, sinto o caralho dela entrar e fico na boa. A Rosa começa a bombar forte e a mandar eu mexer pra frente e pra trás no ritmo do caralho dela.

“Mexe a bunda ô viado…!!!…mexe esse rabo fodido pra frente e pra traz na minha pica que nem um viadinho safado”
Eu faço um vai e vem com força e minha bunda se choca com o ventre da Rosa num ritmo compassado. A essa altura minha ereçao já passou e meu pinto está molinho, entao sinto meu pintinho e meu saco balançando pra frente e pra tras bem forte ao ritmo da enrabaçao e acho aquilo super gostoso. Depois de um tempao a Rosa tira e vem entao a Denise. Eu estou completamente banhado em suor e a Denise me diz pra levantar e enchuga meu corpo todo com uma toalha. Ela é uma mulher espetacular, magrinha e alta, com os cabelos negros e a pele muito branca, é a mais jovem de todas. Ela quer fazer uma coisa diferente comigo, e se deita numa espéçie de esteira e diz para eu vir por cima dela, ficando de cócoras e sentando na sua pica. O problema é que a safada está usando um dildo bem mais grosso que os das outras, o que vai fazer a operaçao extremamente difícil para mim. Respiro fundo, tomo coragem, coloco minha bunda em cima da pica da Denise e começo a sentar devagarinho. A coisa começa a entrar e eu vou abaixando com todo o cuidado e deixando entar centímetro por centímetro. Entretanto o caralho é muito grosso e cada sentímetro é um sofrimento. Meu cú vai abrindo mais ainda do que já estava e a queimaçao é tanta que começo a pensar em desistir e tirar o cú da reta, entretanto me lembro bem a tempo de que se fizer isso com certeza vou tomar outra surra na bunda, além do que vou ter que tomar no cú depois de qualquer maneira, entao resolvo ser macho de verdade e num repente decido sentar tudo de uma vez e deixar entrar tudinho. É uma decisao acertada pois depois que o cú abre todo fica mais fácil. Depois que sento, para entrar o restinho que falta eu abro a bunda com as maos e rebolo em cima da pica até entrar tudinho mesmo. Fico todo orgulhoso porque tomei no cú que nem homem e abro um sorriso de satisfaçao.
Denise fica contente também e pede para que eu apoie os pés no chao, ao invés dos joelhos, e comesse a fazer um entra e sai na sua pica. Ela pede para eu começar devagarinho até quase a pica sair todinha do meu cú e depois sentar tudo de novo. Começo o movimento de vai e vem devagarinho e aos poucos ela pede para eu ir aumentando o ritmo e dalí a pouco já está bem rápido e forte. Devido a rapidez, as vezes a pica sai toda do meu cú e entao a Bia tem que segurar o dildo e mirar no meu rabo para que eu possa sentar de novo.
A essa altura meu cú já está tao arrombado que o caralho entra e sai quase sem dificuldade, mas a ardência é incrível fazendo que nao seja mole aguentar aquela parada. Suo em profusao e minha expressao facial acusa claramente a afliçao intensa pela qual estou passando, mas continuo trabalhando firme e forte na minha enrabaçao. As meninas estao todas em volta me incentivando, e poso notar que a Silvana está toda contente e orgulhosa, e ela própria me diz que eu estou saindo bem melhor do que ela esperava.
Finalmente, depois de um tempao, a Denise diz que eu posso parar. Aliviado, tiro meu cú daquela pica grossa e me levanto com as pernas bambas. As meninas me dizem que tenho direito a um descanso e a Bia trás mais um whisky pra mim. Vou me sentar no parapeito de uma janela porque está fresquino e eu estou com o maior calor, enquanto que as meninas vao para outro canto combinar alguma coisa. Depois de uns 10 minutinhos elas voltam rindo, todas alegrinhas, e dizem que já que eu estou me saindo tao bem nada melhor do que me botar de menininha safada. Nao entendo direito o que elas estao pensando, até que noto que uma delas começa a tirar uns apetrechos de uma sacola que trouxe. Vejo que a Bia pega aquilo, noto que é uma cinta-liga, e finalmente entendo que as meninas vao me vestir de mulher. A Bia e a Silvana me botam aquela cinta liga, em seguida me colocam uma meia fina até o alto das cochas que fica presa na cinta-liga. Em seguida me colocam um par de sapatos de salto alto nos meus pés e depois um sutia com enchimento. Em seguida ganho uma peruca linda de cabelos castanhos que vao até a altura dos ombros e depois as meninas me maquiam todinho: baton, sombra, cilios postiços, essas coisas todas. Quando acabam eu fico uma menininha linda, com o pinto e a bunda de fora. Curiosamente nao me sinto envergonhado de estar passando por aquilo, muito pelo contrario, estou curtindo e achando divertido. Fico pensando o que a minha mulher e minhas filhas achariam de me ver naquele estado, todo arrombado e vestido de putinha, e tenho certeza de que elas nao entenderiam direito. Entretanto, nao tenho tempo de refletir muito pois sou logo avisado que vai começar outra seçao de enrabaçao. As meninas entao me comem de todo o jeito, tres ou quatro vezes cada uma, cada vez usando um dildo mais grosso. Tomo no cú de quatro, de costas, sentando na vara; chupo muita pica, elas fazem o que querem de mim. De minha parte eu me esforço o máximo para agrada-las e sinto que estou me saindo bem.
Depois de um longo tempo que nao sei corretamente estimar a seçao finalmente termina. Estamos todos cansados, inclusive as meninas, e eu estou completamente arrombado, com o cú pegando fogo num estado lastimável. Entretanto tenho certesa que agradei muito a todas e nao consigo deixar de ficar excitado pela certesa de que a Silvana vai voltar para mim. Finalmente o veredito: Passei…!!!…Todas as meninas me aprovaram com louvor. Silvana me abraça, me dá um longo beijo na boca e anuncia que estamos namorando de novo. Minha alegria nao tem limites, estou exultante, e posso afirmar com certesa que mesmo vestido de putinha e com o cú todo arrombado nunca me sentí tao homem como naquele momento!
incontri online

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
14 comentários
  1. pauliana diz:

    Nossa!!!!!!!!!!!! to toda molhadinha lendo sua historia, masss adoraria ser fodida por vc…

  2. mari diz:

    Nossa, ri muito com esse conto, muito mesmo e fiquei um pouco excitada também
    parabéns pela sua coragem, parece que vc realmente se divertiu =)
    é isso aí, havendo consentimento, diversão e prazer fazendo as coisas, vale tudo ;D

  3. maria diz:

    tudo bem,aceitar de tudo numa cama.pois em quatro parede vale tudo.mas nao precisa se humilhar,cade seu senso de carater.

  4. anonimo diz:

    É SÓ UM CONTO, E RIDICULO POR SINAL.

  5. Tyna diz:

    Bah meu….tomar na bundinha pela mulher amada….. Bah tu eh foda…deveria ser da minha terra, porto alegre…..kkkkk m add…adorei cara…..tinaaninha@hotmail.com…..bjuuu

  6. Dani diz:

    Se voce quisere me add ou me mandar e-mail para a gente se conhecer melhor ai esta. Daniel_mg@hotmail.com.br

  7. Dani diz:

    Ai Pauliana me add para gente conversar por e-mail
    daniel_mg@hotmail.com.br

  8. Leo diz:

    SE FOSSE COMIGO ENCHERIA A CARA DESTAS PUTAS DE PORRADA ATE DESMAILA-LAS E EM SEGUIDA FODERIA O CU DE UMA POR UMA, ONDE JA SE VIU, ISTO NÃO DEVE SER VERDADE.

  9. edigar diz:

    delicia de conto de ve em quando minha mulher enfia o dedo no meu cuzinho ja enviou tres de uma vez mais a maior vontade que sinto e ela comer meu cuzinho gostoso com um pau de borracha na cintura dela e de chupar um pau e o cara gozar na minha bora e rosto a pena e que o segundo ela nao topa fazer mais se alguma mulher de bauru quiser entre em contato gatinhofolgoso@live.com

  10. falcao diz:

    estou a procura de uma mulher que tire minha virgindade anal , uma mulher que ame a inversão

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>