Broche ao vivo

Boazona

Sou uma Coelhinha que gosta de ser fodida ao ar livre! Sinto-me solta, e verdade seja dita, que gosto de ser comida por trás e as fodas fora de quatro paredes costumam limitar-nos mais a essas posições, principalmente quando se corre o risco de sermos surpreendidos por alguém… ;)
Quando andava com o Sr.T, menino de muitas aventuras, costumávamos desfrutar de sexo ao ar livre muitas vezes… Fazíamos de tudo um pouco.:)
Uma bela tarde, em fins de Maio o Sr.T pegou-me no liceu,e toca de nos aventurarmos a descobrir um local onde pudéssemos foder ao ar livre exactamente como havíamos vindo ao mundo… ;)
Descobrimos o acesso a um rio, um caminho já quase imperceptível. Sorte a nossa, de jipe vai-se quase a todo o lado, menos á lua!!! (aí só um belo de um membro poderoso e teso me consegue levar)
Parados na margem, começamos a inspeccionar o local. Até que era um sitio óptimo, mas…. e se alguém nos vê do outro lado? É que mesmo em frente a nós na outra margem do rio, havia uma aldeia com casas e casinhas, com a estradinha onde de quando em quando passavam os carros… Mesmo assim, achamos que estavamos seguros… até podiam perceber que duas pessoas andavam nuas mas, nunca saberiam quem eram, e assim, toca de esconder o jipe debaixo das ramagens das árvores…
Lembro-me que estava feliz, corria nua por aquela imensidão de erva, apenas com uns ténis calçados, o Sr. T já nú perseguia-me…
Via aquele caralho a abanar atrás de mim enquanto o Sr. T me tentava apanhar… Mas, quem o apanhou fui eu! Baixei-me ao nível da sua cintura e chupei-o de uma vez só até me tocar na garganta. Adorava aquele torpedo, crescia rapidamente e era mais duro que uma rocha, gostava de o esfregar nas minhas maminhas, de o roçar nos meus bicos e de o lambuzar como se fosse um chupa-chupa.
Fazia deslizar a minha língua por ele acima e acabava naquela cabeça grossa a dar mordiscadas leves, agarrava as suas bolinhas e fazias investidas, eram sugadas como se as fosse engolir… O Sr.T gemia quando lhe fazia um bom broche, passava-me as mãos no cabelo, agarrava-o em rabo-de-cavalo e socava-me a boquinha enquanto repetia vezes sem fim: A tua boquinha é boa para o Broche, e esses lábios divinais…
Acabei por apanhar na coninha logo ali, e podia gritar e berrar o quanto quisesse, não havia ponte que nos unisse à aldeia, portanto ninguém para me salvar ;) Era assim fodida primitivamente, á força, de pulsos agarrados atrás das costas, com socadas valentes, as minhas mamas agitadas ao sol, de quando em vez apalpadas ao acaso pelas mãos do Sr. T….
O que eu e o Sr.T não esperávamos era que dias mais tarde, o priminho dele andasse a apregoar aos sete ventos, que ao virem do liceu, e ao passarem na estrada, observaram do autocarro, na outra margem do rio XX uns “gaijos a foderem completamente nus”!!!! E disse-nos ele, que só tinha pena não saber quem eram: “só munido de binóculos!!!!” :)
A Coelhinha acabou por se rir e responder: Bebes-te demais essa tarde!!! Mas… para mim pensei: Ainda bem que este caralho não tinha binóculos!!!! ;)

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>