Contos eróticos reais – Foder ao ar livre

Existem contos eróticos que são reais, outros não! Eu sei que ás vezes leio contos eróticos que parecem irreais.
Este meu conto erótico aconteceu de verdade, e se não fosse comigo não sei se acreditava, apesar de ter o nome de conto erótico, ele é bem real e aconteceu-me de verdade!

Estava a fazer exercício físico, numa mata perto de casa, onde habitualmente vou.
Quando ao me aproximar do sítio onde se faz abdominais, vejo um casal na casa dos 30 a passear que, ao ver-me, desvia para um caminho estreito e mais sombrio.
Ele, um tipo de estatura média, com alguma barriga, muito moreno, usava óculos escuros e uns calções e sandálias.
Ela, um pouco gordinha, com um kay-kay que lhe espalmava as mamas que pareciam grandes mas flácidas e umas leggings que lhe apertavam muito o rabo que, com as cuecas, parecia ficar dividido em dois… era também muito morena, com cabelo escuro liso, pelos ombros e não aparentava ser muito bonita.

Não liguei muito e fui fazer os meus abdominais.
Quando acabei os exercícios, tomei o mesmo caminho que o casal havia tomado e começo a ouvir uns ruídos.
De imediato sinto uma excitação a apoderar-se de mim e vejo, um pouco à frente, o casal.
Estava ela com as calças em baixo, cuecas pelos joelhos, com as mãos apoiadas num pinheiro e ele, com a braguilha aberta, comia-a por trás.
Fiquei escondido, não muito bem escondido, porque a excitação fez com que arriscasse e comecei a bater uma punheta.

Vou-me aproximando lentamente e noto que o tipo repara em mim e não diz nada. Contos eróticos reais - Foder ao ar livre
Continuo a masturbar-me e ele fica a olhar para mim, parecendo deliciado com a situação.
Aproximo-me mais uma vez e pergunto se posso participar.
O homem num gemido responde-me que sim.
Aproximo-me e meto-me entre a mulher e a árvore onde ela se segurava, isto enquanto ele continua a penetra-la.
Tiro-lhe o kay-kay, desaperto-lhe o soutien e chupo-lhe aquelas mamas descaídas com grande vontade, depois abaixo-me e chupo e passo a minha língua pelo clitóris da mulher, tendo o pénis do seu marido/namorado ali bem perto.
Ela geme, parece estar a adorar, ele a mesma coisa.
Com o meu dedo indicador, desvio o pénis do namorado da cona dela para a minha boca e, pela primeira vez, estou a mamar um pau!!!!
Adorei, é o melhor sabor do mundo!!!!!!!!!!!!!!!!
Eles ficam ambos muito excitados e parecem vir-se ao mesmo tempo. Ele jorra para dentro da minha boca e eu adorei, acho que nunca me havia sentido tão excitado.
Pensei que ia acabar por ali, mas o homem diz para eu passar para a posição dele e a foder até me vir.
Foi o que fiz: adorei enfiar o meu pénis naquela cona tão molhada, entrou mesmo bem, tão macio.

Ela gemeu e pareceu adorar, surpreendida mais uma vez.
Ele ia-lhe dizendo coisas como:
– “gostas de foder esse pau, sua puta?”
Ela dizia que sim, que era uma puta, uma porca e eu acabei por me vir dentro dela.
Mal acabei, o marido/namorado dela corre para ela e lambe a minha esporra que escorria da cona dela.

Eu resolvi ir-me embora, pois achei que já não fazia nada por ali.
Adorei a situação, principalmente porque foi algo completamente imprevisto e fiz coisas que nunca havia feito.

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
1 comentario
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>