Archive for the Category »Incesto «

A melhor trepada.

Minha 1º fodinha, foi com minha irmã 2 anos mais velha, eu tinha uns 10 anos, e fizemos várias vezes por algum tempo, até crescermos mas continuamos bons amigos.
Hoje ela é casada e tem filhos.
Domingo passado eu estava tomando umas cervejinhas mais ela e seu marido e batendo uns papos e la pelas tantas ele foi dormir e ficamos só eu e ela na sala e ela estava falando de uma amiga que ela dizia ser meia maluquinha e que gostava de ser fotgrafada nua, de repente, minha irmã começou a chorar e eu perguntei o por quê e ela falou que ficaria com vergonha se me contasse mas acabou contando que tinha tido uma experiência sexual fora do casamento e falou alguns detalhes, tipo que tinha sido com um cara amigo da maluquinha e estava arrependida. A melhor trepada.
Gente, eu fiquei sem saber se estava solidário ou com tesão, mas decidi dizer-lhe que me desculpasse pois não havia motivos para ter vergonha, aí ela parou de chorar e até sorriu. o seu sorriso vez com que eu me levantasse e chamei ela até o corredor da cozinha e ela ficou pertinho de mim e eu mostrei pra ela que estava de pau duro, ela pegou no meu pau por cima da minha bermuda e disse:
Menino como tu é caralhudo daí que tirei o pau pra fora e peguei novamente mão dela e coloquei no meu pau, ela se abaixou eu deu um beijo bem na cabeça do pau e eu baixei novamente sua cabeça e coloquei meu pau na sua boca e ela deu uma chupada rapidinha, depois foi até a porta da sala, olhou pra ver se o marido não estava acordado, voltou me puxou pelo pescoço e me deu um tremendo beijo na boca. Acabou que fui embora cheio de tesão.
No dia seguinte 2º feira eu estava de folga e ainda não era 8 horas, tocou meu interfone, era ela e assim que ela entrou no meu apart eu a abracei e nos beijamos eu segurei na sua bunda e apertei de encontro comigo e quase sem dizermos nada, eu a sentei no sofá da sala, levantei seu vestido, baixei sua calcinha e vi uma buceta linda com uns pelinhos loiros e enroladinhos.
Dei uma lambidas jóias na bucetinha e tirei o casete pra fora, ela arreganhou as pernas e eu empurrei o bichão todo na buceta linda e gostasa da minha doce e linda irmazinha e fudemos gostoso no sofá até eu finalmente gozar.
Depois fomos para o meu quarto tirei toda sua roupa e ficamos nus, ela sentou na cama eu fiquei de pé na sua frente, ela pegou meu cacete e chupou pra caramba e em seguida abriu novamente as pernas, jogou seu corpo pra tras e segurando meu cacete, trouxe até sua buceta que engoliu de uma só vez todinho, me abraçou e falou se eu queria gozar dentro e mesmo sem eu responder, ela completou dizendo que queria que meu pau ejaculasse dentro.
Gente, sem brincadeira, eu ejaculei 4 vezes dentro da sua buceta sem tirar o pau de dentro. Foi a melhor trepada que dei até hoje, com certeza.

Fodo minhas duas filhas

Olá para todos.
O meu nome é Fernando, sou casado, pai de 2 filhas adultas, hoje uma com 23 anos e a outra com 21.
A mais velha se chama Fátima e a mais nova Flávia. Sempre fui um óptimo pai e esposo, nunca deixei faltar nada em casa.
Minha esposa é médica e trabalha para o estado, moramos em Manaus-Am.
Eu sempre cuidei das meninas mais que a mãe delas, pois ela sendo médica, trabalha no interior do estado e só vem de 3 em 3 meses na capital Manaus.

Bem, sempre que eu ia dar banho nas meninas para levar na escola, a Fátima era a que eu banhava por último, dei banho nelas até aos 12 ou 13 anos de idade.
A mais velha, Fátima, gostava de tomar banho comigo, pois quando eu começava a lavar a xaninha dela notava que ela fechava os olhos e diversas vezes prendia a minha mão entre suas pernas. Aquilo foi me despertando uma curiosidade de saber se a minha filha gostava da minha mão na sua xana, então comecei a bolinar um pouco mais na xana dela na hora do banho e não deu outra, a minha filha chegou até a gozar na minha mão, isso lá pelos 11 anos dela, a outra nem se interessava por mim.Fodo minhas duas filhas
Terminava o banho eu a secava arrumava e ela ia assistir desenho na tv até a hora de sair para a escola, nesse intervalo eu ficava com a Fátima no banheiro e comecei a gostar também da sacanagem com a minha filha pequena, aos 13 anos, ela já começando a nascer pelinhos na buceta e já totalmente acostumada com as siriricas que eu batia na xana dela, gozando e delirando de manhã e de tarde, eu só não tinha coragem de meter a pomba nela, diga-se de passagem, a minha pomba mede uns 25cm de tamanho por uns 7cm de largura, mas ela já pegava, alisava, chupava, lambia, só não chegávamos ao ponto final que era meter a pomba na buceta dela.
A primeira vez que ela pegou no meu pau, ela tinha quase 12 anos, já tinha os peitinhos começando a aparecer, comecei a lamber de leve os biquinhos dos peitinhos dela e ela adorava, quando eu pedi pra ela pegar no meu pau ela nem titubeou, pegou, alisou e falou que era grande e grosso, quando eu disse que um dia eu ia meter na xana dela ela me falou que não ia caber na xana dela, e ficou alisando a cabeça do meu pau, então tudo foi melhorando, depois de pegar ela começou a dar uma lambidinha, depois uma chupadinha na cabeça, a cabeça do meu pau mal entrava na boca dela mas ela gostava.
Então o tempo foi passando, quando deixei de dar banho nela foi porque a irmã dela a Flávia quase pega a gente na putaria dentro do banheiro, ela estava chupando o meu pau, eu estava quase gozando na boca dela.
Então resolvemos ir parando, ela concordou, passei a dar banho só na Flávia e comecei a despertar o interesse na minha outra filha e ela começou a gostar também, aconteceu a mesma coisa, ficamos só na putaria de esfregar e chupar um ao outro até os 13 anos da Flávia.

Dei uma parada total com a duas, mas de vez em quando dava uma agarrada em uma, agarrava a outra, mas sem sacanagem, e uma não sabia da outra, era o nosso segredo.
Quando a Fátima já tinha 19 anos começou a namorar com o meu consentimento e a Flávia começou de novo a se manifestar pro meu lado quando a gente ficava sozinhos em casa à noite.
Então uma bela noite começamos a nos agarrar na sala de casa, ela já bem grandinha, tinha um corpão, já bem mulher, começamos a nos beijar e não deu outra deitei em cima dela, abri suas pernas, tirei a minha e a roupa dela, fui logo colocando a minha pica na entrada da xana dela, ela estranhou, fez careta mas aceitou e a minha pica foi entrando até o fim, ela gemia de dor e de prazer até que gozou, e gozou, e gozou chegando a gritar de prazer, então eu dei a primeira gozada dentro daquela bucetinha novinha, enchi ela com a minha gala, gozei umas 3 vezes sem tirar o pau de dentro.
Quando levantamos ela disse que não podia fechar as pernas que a buceta tava toda ardida, tomamos um belo banho e fomos esperar a irmã dela voltar da faculdade com o namorado. E assim continuamos, toda noite eu comia a Flávia. Começamos a variar as posições e ela adorava, gemia e me dizia que era a mulher mais feliz do mundo.
Quando a mãe delas estava na cidade a gente se comportava direito e não deixava suspeitas do que realmente estava acontecendo. Com o tempo passando tudo foi melhorando entre nós dois.

Depois comecei a come também a Fátima, a irmã mais velha, comecei a comer as duas. Bem, mais isso eu vou contar mais tarde.
Fiquem tranquiloos, pois agora eu fodo minhas duas filhas e a mãe delas. Até mais.

Incesto

Um dia eu e minha irmã estávamos assistindo um filme, daí ela deitou com a cabeça no meu pau, e começai a conversa sobre sexo com ela mas na brincadeira comecei a alizar suas costas e ela pediu para que eu acariciasse suas costas com mais força, foi ai que eu aproveitei para mudar de posição e ficar atrás dela então comecei a alisar não só as costa mais como tentei passar nos seus peitos e por incrível que pareça ela deixou.
Então encaixei meu pau nela por cima da roupa e fiquei fazendo movimentos de sexo, encaixei que nem uma colher!!
Então a partir daí comecei a chamar ela para assistir filme comigo! Porno é claro e ela era bobinha!!
Mas um dia ela foi tomar banho e eu falei pra ela deixar eu entrar no banheiro que eu ia fazer a barba enquanto ela tomava banho mais foi ai que ela abriu a porta!((aqui em casa tem 3 banheiros se ela não quisesse iria mandar eu ir em outro))ela estava nua com sua bocetinha linda!!e ela tem um bundão e um seios durinho, ai ela não fechou o boxe e esperou eu tirar a cueca, lógico que meu pau estava duro foi ai que ela ficou olhando paralisada!
Eu ainda dei uma três bombadas bem devagar falando que o meu pau estava com muiito tesão..ai eu fiz a barba e ela terminou o banho, ai eu olhei para ver ela se enxugando, eu falei: “vem cá”
Ela veio bem pertinho ai eu peguei ela, já nós 2 pelados e só esfreguei na buceta dela só por cima não enfiei só para deixar ela com tesão!
Depois desse dia ela começou a assistir filme no meu quarto..e eu só deitava de cueca e falava se quiser pode acariciar meu pau e ela todo dia ficava batendo bem gostoso pegando na cabeça até o saco e foi assim por vários dias até o dia que coincidiu de meus pais saírem de novo e fiquei só eu e ela.
Ela foi tomar banho e novamente eu pedi pra entrar, mas desta vez eu falei assim irmã deixa eu entrar e ela falo já esta aberta e quando abri vi ela se esfregando de costas com aquela bunda indescritível! eu entrei e fui tomar banho com ela e achei estranho ela não pegar no meu pau!Incesto
Acho que se assustou porque nos éramos virgens!
Mas quando ela passou o shampoo e fechou o olho eu peguei ela por trás!
Eu sou bem mais alto do que ela mas eu peguei ela de jeito e ela ficou quietinha ai eu comecei só a passar a mão esperando ela tirar o shampoo!

Depois que ela terminou eu ajoelhei e comecei a chupar sua bucetinha virgem e ela mordia os lábios de tanto tesão foi ai que eu fiquei ali chupando por um 5 minutos ate ela começar a se torcer, depois eu peguei ela e levei para o meu quarto que tem a cama de casal e levei no meu colo chupando os seus seios, quando deitamos na cama eu chupei mas ela falou: “agora e minha vez” e deitou em cima de mim chupando com se fosse um sorvete derretendo de baixo pra cima de cima pra baixo eu falei: “onde você aprendeu isso?” ela falou nos vídeos que nós assistíamos!
Então foi a hora de nós 2 perdermos a virgindade, quando eu comecei a enfiar a cabeça e tirar enfiar a cabeça e tirar só para deixar com muito tesão!
Depois de ela começar a se torcer eu enfiei devagarinho e começamos uma transa muito gostosa uma transa proibida enquanto enfia chupava seus peitos deliciosos, quando deu aquela vontande de gozar eu gozei no lençol e claro estavamos sem camisinha!!
Para deixar mais gostoso eu chupei ela ainda mais ate ela gozar também!
Depois fomos e tomamos outro banho e ficamos ali juntos e eu só chupava seus peitos.
O dia acabou, dormimos juntos de novo na minha cama e ela só esfragava a mão!…
Passaram se os dias e não nos tocamos mais e não transamos porque sabíamos que era perigoso, até o dia que acidentalmente ela foi durmir na minha cama.
Ai eu pensei será que ela não quer mais, mas quando ela dormiu eu tirei a minha roupa e tirei a camisa dela sem ela ver! e abracei ela com força e ela acordou, e nisso ela me lascou um beijo e mandou eu chupar seus seios que no caso já era muiito maior do que a primeira vez porque ficamos muiito tempo sem se tocar, então nesse dia arriscamos muito mais porque meu pai estava em casa foi ai, e já no quarto já fizemos a penetração e ela falou em fazer posições coisas novas! então fizemos varias posições ela ficava de 4, kikava no meu pau posso descrever essa a NOITE maravilhosa ate que ela falou que precisava fazer um anal já que ela perdeu a virgindade comigo queria fazer tudo comigo e ela tinha ciumes e também muito medo de eu fazer coisas com outras meninas !
Então pus ela de 4 e comecei a chupar seu ânus… ela e muito limpinha e tem uma higiene de dar inveja!
Então chupava como se fosse a ultima gota do deserto! ate ela relaxar, ai eu comecei a tocar com meu pénis ate enfiar a cabeça e tirar ate conseguir enfiar o meu pau inteiro, ela gemia mordendo a fronha porque meus pais estavam em casa e foi ai que eu gozei dentro do ânus dela… e ficou lisinho porque eu não tinha parado de bombar e eu bombava forte muito forte no seu ânus e meu pau perecia uma rocha de tão duro mesmo depois de gozar eu continuava depois fizemos espanhola e tudo terminou com um lindo boquete gozando na boca dela!
Foi lindo! Depois disso ela ficava com ciumes, até ela chamar 2 colegas de sala super gostosas para dar pra mim!
Eram locas em mim, bebemos muiito nessa noite e fizemos muito sexo. Foi uma noite maravilhosa onde sempre que podemos reunimos para fazer de novo!
Posso dizer que sou um cara de sorte! Alem de ter uma irmã que é gostosa ela tem duas colegas maravilhosas!
É muita sorte pra um so rapaz.
Eu tenho 17 anos e minha irmã tem 16!
Hoje não só faço com elas como com as minhas colegas de sala mas sem minha irmã saber porque senão já era!ahha
obrigado quando rolar mais alguma coisa eu conto pra vocês !e meninas que me quiserem no msn! e só deixar os comentários aii!!
Contos eróticos reais, o melhor blogue!

Enrabada pelo irmão

Olá, meu nome é Daiane, tenho 21 anos, sou morena clara, com uma bunda empinada e seios bem firmes.
O que vou contar agora aconteceu há uns dois meses. Eu não moro mais com meus pais, então fui passar
uma semana em que eu estava de folga (trabalho como secretária), na casa deles.
Na casa moravam meus pais e meu irmão Diego, 16 anos, bem malhado (ele joga futebol).
Durante o dia, ficávamos só eu e meu irmão em casa, já que meus pais saíam para trabalhar e só voltavam
ao anoitecer. Eu dormia no mesmo quarto de quando eu morava lá, só de calcinha e sutiã, mas com a porta aberta.
Nunca tivemos vergonha uns dos outros lá.

Todo dia quando eu acordava, sentia que minha bunda estava “colando”, como se alguém tivesse passado
algo melado nela. Isso aconteceu em 3 dias seguidos, até que eu resolvi descobrir o que estava acontecendo
e coloquei uma câmara que eu tinha, escondida no guarda roupa e deixei ele um pouco aberto, para filmar o que
acontecia e fui dormir. Quando acordei no outro dia, reparei que estava melada de novo, então tranquei a porta
do meu quarto e liguei a câmera no meu notebook, pra ver o que era aquele melado em mim. Depois de assistir
fiquei chocada: meu irmão entrava no meu quarto e se masturbava em cima de mim! No fim, ele gozava na minha
bunda, acho que pra mim não acordar.Enrabada pelo irmão
Passei o dia inteiro pensando naquilo. No começo, fiquei revoltada que ele fizesse aquilo, mas depois de
assistir o vídeo mais algumas vezes naquela manhã, acabei sentindo tesão. Quando anoiteceu, fui tomar um banho
e me masturbei pensando em meu irmão. Antes de dormir, coloquei uma calcinha fio dental bem sexy e me deitei.
Mas só fingi que dormia, queria ver o meu querido irmãozinho em acção. Depois de uma meia hora que meus pais
tinham ido dormir, meu irmão espiou na porta para ver se eu estava acordada. Fingi que estava dormindo, mas não
deitei de bruço, como costumava. Dessa vez deitei de barriga para cima, para ver se ele faria alguma coisa.
Ele se aproximou, já com o seu pau duro, mas ainda de cueca, e cheirou minha boceta. Depois tirou ele pra fora e eu olhei com os olhos o mínimo possível abertos e vi: meu irmão era bem dotado para a idade: uns 19 cm de pica, eu acho, e bem grossa. Eu estava solteira, e fazia um bom tempo que não via um pau tão de perto. Fiquei
encatada!
Ele começou a bater uma punheta, enquanto cheirava minha boceta (que à essa altura já cheirava a boceta
molhada, de tanto tesão que eu estava sentindo). Ele ficou louco ao sentir aquele cheiro e começou a se punhetar
com mais vontade. Quando ia gozar, se aproximou dos meu peitos e gozou, ma lambuzando toda. Eu fingi que dormia todo esse tempo, então ele achou que eu não ia perceber e saiu do quarto sem me limpar.

No dia seguinte, assim que acordei, fui assistir ao vídeo da noite anterior, e me masturbei algumas vezes.
Depois tomei um banho e desci para o café, levando minha câmera. Resolvi que ia chantagear ele, eu estava louca pra ser comida por ele, aquele pau grosso… Como eu tava muito tempo sem, resolvi não perder tempo, chamei ele pra assistir tv comigo depois do café e já fui direto ao assunto:
– Olha Di (era assim que eu o chamava), eu tenho uma gravação bem legal na minha câmera. – falei, ligando ela na tv e colocando o vídeo.
Na hora que ele começou a ver o que era, ficou branco. Ele não teve coragem de me olhar no rosto.
Então eu falei:
– Legal esse “filminho”, não é, Di? – falei, com voz de safada.
Ele não respondeu. Ficou calado, olhando para a tv.
– Eu vou mostrar isso para a mamãe e para o papai, a não ser que você faça uma coisa por mim…
– O que você quer? – ele perguntou, ainda sem me olhar.
– Quero que você faça comigo tudo o que imaginou enquanto batia aquela punheta!
Nós discutimos um pouco, ele não queria, então deitei minha cabeça no colo dele e comecei a acariciar a pica dele por cima so short e reparei que ele estava sem cueca. Logo ele ficou duro e, como eu percebi que ele não ia fazer nada, enfiei minha mão dentro do short e comecei a pegar e massagear aquele membro grosso, que crescia a cada movimento da minha mão. Um pouco depois, ouvi ele gemer baixinho, então comecei a punhetá-lo sem tirar o pinto dele de dentro do short.
Quando ele gozou, deu um gemido alto e eu senti a porra quente do meu irmão escorrer entre os meus dedos. Só parei quando ele se levantou e foi para o banheiro.
Mais tarde, resolvi que era hora de me satisfazer também. Depois do almoço, ficamos na mesa, conversando, como se nada tivesse acontecido. Então nós nos levantamos e fomos para o sofá, assistir um filme. Eu nem lembro qual era o filme, porque na hora que ele sentou no sofá, eu já deitei de novo a cabeça no colo dele e coloquei a mão dentro do short.
Ele demorou um pouco mais para ficar duro, mas, quando ficou, parecia ainda mais excitado do que de manhã, então eu não perdi tempo: fiquei ajoelhada no sofá, tirei o pau dele pra fora (que parecia ainda maior, agora que eu o via de dia), e caí de boca.
O pau dele era uma delícia! Parecia doce, eu chupava com vontade, ia para suas bolas, voltava para o pau…
De repente ele colocou as mãos na minha cabeça e empurrou para baixo, me obrigando a engolir aquele cacetão. Eu engoli feito uma puta e continuei chupando com gosto, até que a pica dele começou a latejar, e eu senti que logo ele
iria gozar. Aí então eu parei de chupar e levantei a cabeça, olhando pra ele com cara de safada. Ele tentou me beijar, mas eu não deixei, uma coisa era fazer sexo com o meu irmão, outra era beijá-lo (sempre considerei o beijo mais íntimo do que o sexo).
Fiquei de quatro em cima do sofá e ele começou a me chupar. Ele não tinha muita prática nisso, mas até que estava bem gostoso. Deixei ele me chupar até eu gozar, então pedi:
– Mete em mim, Di! Enfia essa pica grossa na minha boceta!
Ele colocou sem dó, tudo de uma vez. Eu gritei de prazer, e ele começou a bombar com muita força. Eu gemia feito uma cadela. Mas durou pouco, logo ele falou que iria gozar, e eu deixei ele gozar dentro de mim mesmo.
Depois que ele gozou, chamei ele pra tomar um banho. Lá eu comecei a chupar o pau dele de novo, que logo ficou duro feito uma rocha.
Dessa vez parecia que ele ia demorar a gozar, então nós terminamos o banho e voltamos para o sofá. Eu fiquei de quatro de novo e ele me chupava. Ele começou a enfiar um dedo no meu cu, dois, três… Até que eu falei:
– Quer comer o meu cuzinho, Di?
E, sem esperar esposta, me ajoelhei na frente dele e comecei a chupar ele de novo. Deixei o pau dele bem babado e fiquei de quatro de novo. Ele veio por trás de mim e começou a enfiar no meu cuzinho. Eu era bem apertada, nunca tinha dado o cu pra um pinto muito grosso.
Ele enfiou inteiro, parecia que eu estava sendo rasgada.

Depois que eu acostumei com aquela jeba dentro de mim, comecei a rebolar. Ele metia com força, tirando e colocando de
novo as vezes. Eu enlouqueci, gemia tanto que acho que até os vizinhos ouviam meus gritos. Mas eu não ligava, estava
sendo enrabada com gosto pelo meu próprio irmão! Depois de mais ou menos uma hora, ele anunciou o gozo, então
eu me ajoelhei na frente dele e disse:
– Eu quero tomar o seu leitinho, Di! Goza na minha boca, vai!
Então ele começou a se masturbar, mas eu não queria assim; peguei o pau dele e comecei a chupar e punhetar
ele, até que gozou. Aquela porra quente na minha língua me deixou louca! Eu sugava tudo, e mesmo depois dele ter gozado, eu continuei chupando, na esperança de que ficasse duro de novo. Mas não deu tempo, ouvimos o portão
abrir e cada um foi pro seu quarto!

Depois disso, eu fazia questão de ser enrabada pelo meu irmãozinho todas as noites e nos dias em que eu fiquei lá!
Na próxima vez eu conto como dei pra ele e pros meus dois primos de uma vez só! Espero que tenham gostado.
Meu e-mail pra quem quiser me conhecer melhor: daiane.gostosaa@hotmail.com
Acc homens e mulheres!

Comido pelo irmão

Antes de mais nada, vou-me apresentar…. Sou Homem, uso sempre lingerie feminina por baixo da minha roupa e não dispenso NUNCA uma verga bem enterrada no cuzinho….
Agora o conto erótico como sempre, em Português.

Isto passou-se á cerca de um mês (mais coisa, menos coisa).
Como faço muitas vezes por semana, fui a casa da minha mãe, para lhe fazer uma visita, visto que ela mora sozinha.
Quando lá cheguei, ela não estava, por isso, fui ao quarto de costura para ir buscar um par de calças que lhe tinha pedido para me arranjar, visto que ela é costureira.Comido pelo irmão
Mal entrei no quarto, vi, que em cima da cama, estava um vestido lindo, azul de seda brilhante. peguei nele para lhe sentir o toque, mas claro que, depois de pegar nele, e porque estava sozinha me casa, tinha de o experimentar.
Tirei então, a minha roupa toda, ficando só com a lingerie; cuecas de fio dental pretas, de renda, soutien com copas de silicone e uns collants côr da pele, muito brilhantes.
Vesti então aquele vestido lindo, com muito cuidado para não estragar, e senti que este me ficava mesmo justinho, mesmo como eu gosto.
Para me ver melhor com aquilo, fui a outro quarto onde tem um espelho enorme. Saí do quarto de costura para ir para o outro quarto e, quando saí para meu espanto, dei de caras com o meu irmão que tinha ido fazer exactamnete a mesma coisa que eu: visitar a minha mãe.
Olhei-o nos olhos e ele olhou-me de cima para baixo. O soutien com as copas de silicone, que na camisa não se notava, no vestido notava-se, e muito bem. As minhas ancas largas das hormonas evidenciavam-se no vestido justo, assim como as minhas coxas largas e grossas, que eram já parecidas com as de uma mulher. Tentei sair dali como se nada se passasse, mas claro que não consegui.
Ele agarrou-me num dos braços e disse-me:
“Já desconfiava que tu eras virada para o lado das mulheres, mas não te imaginava tão boa. Agora, para eu me calar, vais ter que fazer o que eu quiser” e ao memso tempo, levou-me para um quarto.
Entramos, e ele fechou a portya atrás dele.

Eu disse-lhe que fazia o que ele queria, mas não poderia ser naquele momento, nem ali, pois a nossa mãe podia chegar a qualquer altura, ao que el respondeu que não haveria problema porque ela sabia que eu era uma puta e que gostava de levar no cu. Ao dizer isto, desapertou as calças que cairam para o chão seguidas das cuecas.
A piça dele era muito grossa, e estava murcha. Eu sentei-me na cama para tentar acalmar a situação e ele, sem mais nada aproximou-se de mim, e com a verga na mão disse:”Põe-na dura, chupa-a toda” e apontou a verga á minha boca.
Eu não queria fazer isto, afinal era o meu irmão que estava ali á minha frente, mas por outro lado, aquela verga estava-me a deixar louca de tesão, por isso, timidamente, e como quem não quer a coisa, abri a boca, esperando que ele fizesse o que fez, meteu-a na minha boca. COmecei a chupar á medida que ele metia e tirava.
A verga começava a aumentar o tamanho e a grossura dentro da minha boca.
A minha excitação começava a aumentar e eu começava a perder a timidez. Agora já não era ele que andava para trás e para a frente, já era eu que chupava aquela verga maravilhosa com muita fome.
Ele chamava-me puta, que nunca tinha duvidado da puta que eu era, e que me queria enrabar bem forte e fundo, e isso era o que eu queria também. E a piça estava agora enorme, grossa e quente. Eu metia-a o mais fundo possivel na boca, mesmo até á garganta.
Passado de um bocado, ele tirou a verga da minha boca, levantou-me, tirou-me o vestido, porque não era meu, e ele não o queria estragar, e fez-me pôr de quatro em cima da cama. Passou manteiga no meu cu, encostou a cabeça da verga e começou a enterrar.
O meu cu está já muito aberto de muitas piças terem entrado lá, mas esta custou um bocado a entrar. A cabeça entrou um pouco, mas com uita dificuldade, por isso ele puxou-a para fora, passou mais um pouco de manteiga, e voltou á carga. Desta vez a piça entrou maravilhosamente bem. Deslizou para dentro do meu cu mesmo até os colhões, e de uma vez só. Agarrou-me nas ancas e começou-me a foder. Batia fundo e forte e chamava-me nomes porcos ao mesmo tempo que me fodia.
Eu dizia-lhe para rebentar o cu ao maninho bicha e para me espancar. Ele enrabava-me fundo e forte e dava-me palmadas no traseiro.
Infelizmente ele não aguentou muito tempo, porque passado cerca de dez minutos a encavar-me ele começou a gemer e disse que me ia engravidar.
Meteu a piça bem para dentro do meu cu e começou-se a esporrar. A cada esporradela que ele dava ele empurrava a verga para dentro do meu cu.
Quando acabou, tirou a verga do meu cu meteu-a outra vez na minha boca para eu a limpar.
Lambia toda, engoli a espoora que saiu dela e deixei-a toda muito limpa.
Ele vestiu-se, olhou para mim, e disse:
” A partir de hoje és a minha puta sempre que eu quiser…” e saiu do quarto.