Archive for the Category »Primeira Vez «

A terapia

Durante mais de 5 anos fiz psicoterapia com uma psicóloga que vou chamar de Mara (nome fictício). Ela tinha uns 30 anos quando começamos as sessões de terapia sendo que fazíamos duas dessas sessões por semana, sempre pela manhã antes de eu ir trabalhar. Nossas sessões eram terças e quintas-feiras. Mara era uma mulher bonita, morena com pele bem clara, cabelos pretos, seios médios, bunda e quadril na medida certa. Ela também tinha pernas torneadas e pés perfeitos e sempre muito bem cuidados. Suas mãos também eram bonitas.
Eu ficava chateado quando era época de frio porque não podia admirar os lindos pés de Mara sendo que nos dias de calor sempre que possível não perdia a oportunidade de ver seus lindos pés com as unhas pintadas de esmalte claro sempre em sandálias baixas ou médias de tiras finas e delicadas, seus pés me excitavam demais!
Mara atendia numa casa espaçosa localizada no centro da cidade, tinha uma secretária que a ajudava nos agendamentos etc..Apesar da casa onde atendia ser grande Mara trabalhava sozinha e tinha o costume de mudar o ambiente de atendimento vez por outra visto que a casa tinha 3 quartos espaçosos e cada um deles era um consultório com decoração diversa dos demais. Mara atendia das 8 horas da manhã até as 20 horas, a secretária ficava até as 18 horas, após esse horário era Mara quem abria o portão para os pacientes atendidos à noite.
Durante o primeiro ano de terapia Mara se limitou a explorar aspectos básicos do meu cotidiano e personalidade embora algumas vezes questionasse sobre o fato de eu estar sozinho e não ter uma namorada.
Tudo começou a mudar a partir do segundo ano de terapia quando Mara começou a explorar minha sexualidade. Ela começou devagar mas foi se tornando incisiva aos longo das sessões seguintes. Diante da minha resistência em me abrir Mara afirmou que o que eu dissesse ali dentro não sairia dali e que isso era importante para o sucesso da terapia. Mesmo assim não me abri e continuei no meu mundo secreto onde algumas fantasias diferentes povoavam minha mente e compunham o universo dos meus desejos. Mara encerrou a sessão dizendo para eu pensar com carinho em me adrir nas próximas sessões.
Na sessão seguinte como sempre cheguei um pouco antes e fiquei aguardando sentado no sofá da sala de espera. Antes de eu entrar Mara saiu de seu consultório para tratar de algo com a secretária e após me cumprimentar parou ao meu lado. Ela estava usando um vestido estampado que deixava parte de suas belas pernas à mostra e o mais importante era que ela estava usando uma linda sandália baixa de tiras fininhas e delicadas que mostravam seus lindos pés com as unhas pintadas de esmalte bem clarinho. Mara logo voltou para sua sala para finalizar o atendimento e eu seria o próximo.
Logo entrei e mal assentei Mara disse que era “renda”. Disse que não havia entendido e ela falou que o esmalte que estava usando nos pés se chamava “renda” e perguntou se eu havia gostado. Fiquei pasmo! Ela disse para eu ficar tranqüilo e que já havia reparado antes que eu tinha muita fixação por pés femininos porque já havia percebido que eu sempre olhava para os pés dela e isso realmente era verdade.
Mara falou para eu me abrir com ela sobre minhas fantasias sexuais e que o fetiche por pés femininos era apenas a pontinha de um conjunto de fantasias mais completo. Me fiz de desentendido e Mara falou que eu não poderia e nem deveria fugir de uma análise mais profunda de um conjunto de fantasias sexuais que ela tinha certeza que eu tinha. Ela falou ainda que queria e que era dever dela me ajudar, só isso.
Mara perguntou se eu olhava pés de mulher pelas ruas da cidade e eu repondi que fazia isso sempre que possível e que ficava triste quando era época de frio quando quase não se vê mulheres com os pés à mostra. Ela então perguntou se eu tinha vontade de tocar, acariciar e beijar os pés de uma mulher e lhe respondi que isso era o que eu mais sonhava na vida mas nunca havia conseguido fazer. Ela também perguntou se eu tinha preferência por algum tipo de calçado nos pés das mulheres que observava e afirmei que gostava de sandálias baixas ou médias de tiras finas e delicadas mas também gostava de um pé feminino calçando um chinelinho de borracha desses mais delicados.
Mara então resolveu encerrar aquela sessão me garantindo que tudo ficaria entre nós e que eu deveria me abrir mais com ela contando todas as minhas fantasias e que ela sabia que tinha mais coisas para eu contar. Mara então saiu comigo e disse para a secretária marcar duas sessões seguidas para a próxima quinta-feira.
Cheguei para a sessão e Mara já me aguardava. Nesse dia ela usava um sapato fechado apesar do calor. Ela me alfinetou dizendo que eu não poderia ver seus pés para me concentrar no que ela esperava que eu dissesse sobre minhas mais íntimas e secretas fantasias sexuais.
Mara também informou que se eu não me abrisse completamente naquela sessão que ficaria difícil para ela continuar a me atender.
Ela então disse para eu começar a contar o que teria por trás do meu fetiche por pés femininos. Comecei a dizer que morria de vontade de ser dominado por uma mulher, que ela fosse mandona, que me xingasse mas sem ser sem educação. Que me mandasse beijar, acariciar e lamber seus pés. Que me mandasse usar calcinhas e que me comesse com um consolo de borracha mas que tivesse piedade de mim e usasse lubrificante.
Finalmente revelei que tinha o desejo de apanhar na bunda, de cinta, chicote, etc..queria ficar com a bunda bem marcada mesmo, que isso era muito importante para mim.
Contei tudo em detalhes e Mara ficou somente ouvindo minhas revelações.
Não vi o tempo passar e quando me dei conta a sessão dupla havia chegado ao fim. Fui embora mas antes disso Mara disse que seria muito difícil realizar essas minhas fantasias e que eu deveria arrumar uma namorada normal e tentar ser feliz com ela.
Nas sessões seguintes Mara mudou o assunto focando em outras coisas sem mais tocar nas minhas mais loucas fantasias. Reparei também que apesar de ser verão ela não mais usava sandálias, o que me impedia de ver seus lindos pés.
Passaram-se algumas semanas e as sessões transcorriam normalmente até que a secretária de Mara me ligou informando que ela não poderia mais me atender no horário de costume por motivo de força maior e querendo saber se eu teria disponibilidade para fazer sessões nos mesmos dias porém às 20 horas. Não gostei muito pois era um horário ruim apesar de eu ter essa disponibilidade e mesmo assim acabei concordando.
Fizemos então umas 4 ou 5 sessões à noite, era Mara mesmo quem abria e fechava o portão da casa, a secretária ia embora mais cedo.
Cheguei em uma quinta-feira para mais uma sessão noturna. Mara como sempre abriu o portão. Era calor e ela estava usando um vestido e estranhamente seus lindos pés estavam novamente à mostra posto que fazia um tempo que não os via. Ela usava uma sandália média de tiras finas que deixava seus pés bem à mostra.
Mara me conduziu então até o quarto dos fundos da casa, era um consultório também mas nunca havíamos feitos sessões nele, apenas nos outros dois. Nele tinha uma poltrona e um divã, duas janelas que estavam bem fechadas. O chão era de tábua corrida.
Mara disse então que naquele dia faríamos uma sessão prática, diferente. Deu uma calcinha vermelha nas minhas mãos e disse que voltaria em cinco minutos e quando chegasse queria me ver apenas de calcinha e que eu me voltasse para a parede. Ela salientou que era para eu tirar toda a minha roupa inclusive os sapatos. Não acreditei no que estava acontecendo mas fiz o que ela mandou. Logo Mara voltou e me puxou pelos braços, ela então mandou eu me ajoelhar e beijar seus pés. Fiz como ordenado e beijei, acariciei e lambi seus pés, conforme ela mandava e me xingava de putinha e outras coisas. Em certo momento Mara mandou eu parar, Então ela mandou eu me apoiar na poltrona ajoelhado no chão e colocou uma venda de tecido preto em mim. Fiz como ela mandou. Mara então me chamou se sua putinha e delicadamente abaixou a calcinha que eu vestia e disse que ia me fazer sua mulherzinha…logo senti ela lambuzando meu cu com gel e em seguida ela enfiou um e depois dois dedos para abrir caminho para a delícia que viria depois, um consolo de borracha do tamanho e grossura que eu sempre morri de vontade que uma mulher enfiasse em mim. Mara foi colocando devagar até conseguir enfiar tudo e me chamava de sua putinha safada.
Ela fazia movimentos de vai-e-vem aumentando a intensidade até fazer isso de forma frenética. Meu pau estava duríssimo até que não agüentei mais e gozei bastante no chão de tábua corrida. Ela então vendo que eu havia gozado, retirou o consolo e disse que eu precisava de um castigo por gostar dessas coisas, falou que iria me corrigir.
Senti a primeira lambada na minha bunda até que me dei conta de que se tratava de um chicote de couro de múltiplas tiras. Mara batia e me xingava. Não sei quantos golpes ela deu mas senti a dose de dor que eu sempre sonhei. Chegou então o momento que Mara se deu por satisfeita e encerrou o castigo.
Ela mandou eu me vestir e ir embora.
Durante mais de 2 anos alternávamos sessões de terapia com sessões de dominação, até que um dia Mara não mais quis me atender e tudo acabou.

Tenho 44 anos, 1,80m, moreno claro, olhos castanhos e cabelos pretos. Solteiro e sem filhos, nível superior e situação definida, Procuro mulher do Sul de Minas para amizade e realização dessas fantasias com possibilidade de relacionamento sério.
Gentileza escrever para: macalango@yahoo.com.br

Fodendo a finha novinha do meu vizinho

Fodendo a finha novinha do meu vizinho
Oi bom meu nome é Henrique tenho 30 anos hoje , sempre tive vontade de relatar o que aconteceu conigo e com a minha vizinha . Isso aconteceu há mais ou menos ums 3 anos atrás, o nome dela é bruna e adora ser chamada de bruninha , ela com apenas 13 aninhos ja tinha um par de seios que cabem certinho dentro da boca e uma bundinha empinadinha ela é branquinha e vive trocando a cor do cabelo adora usar roupas bem curtinhas só pra provocar que olha pra ela percebe que ela tem uma carinha de menina ingênua mas de ingênua nao tem nada . Certo dia estava em casa e a bruninha chegou pra conversar com minha mãe como eu ja estava falando com minha mãe nao sai fique sentado vendo ela chegar e sentar em uma cadeira bem na minha frente , como de custume ela estaca com um shortinho bem curtinho que quase dava pra ver a popinha da bunda dela na mesna hora eu ja fiquei de pau duro ela percebendo o volume na minha calça colocou os pés na cadeira abrindo as pernas bem de frente pra min , eu fiquei louco de tesão , dava ate pra ver o cantinho da bucetinha branquinha dela ela olhava pra min e olhava pra baixo e eu olhava pra bucetinha dela e pra minha mãe pra ver se ela estava notando alguma coisa ( ainda bem que minha mãe nao sacou nada). Depois disso fui pro meu quarto barter uma pensando nela . E fiquei ppensando como fazer pra comer aquela bucetinha da bruninha foi quando lembrei que todo domingo de manhã eu fico sozinho em casa e foi então que resolvi chamar a bruninha la pra casa no outro fim de semana só pra conversar ela aceitou quando ela tocou o interfone eu abri o portão e puxei ela pra dentro pra ninguém ver na hora vi que ela estava com outro shortinho mais curtinho ainda do que o da semana anterio e uma camisa bem folgada que dava pra ver seus peitos ja fique de pauduro na hora, ela veii me peperguntando por que tinha puxado ela e o que eu queria , sem falar nada encostei ela no portão e beijei aquela boquinha linda ela relutou um pouco falo que nao podia que tinha namorado e tal , eu não queira nem saber do namoradinho dela que ja estava virando corno , ja fui colocando a mão dela por cima do meu short pra ela sentir meu pau mas mãos e falei pra ela que desde a senama passada estava de pau duro pensando mela e fui beijando ela novamente reparei que ela nao tirou a mão do meu pau e foi acariciando meu pau que ficava latejando na mão dela , levei ela pra dento do meu quarto e fui tirando a roupa dela ela nao quis de imediato mas quando coloquei a minha mão ma bucetinha dela ela deu um genidinho tao gostoso que eu não acreditei que ia comer aquela novinha ela ja estava com a calcinha molhada, joguei ela na minha cama e fui deitando por cima dela como ela também estava louca de tesão ela foi tirando a roupa e com um ato que eu nem esperava ela pegou meu pau e colou na boca eu me senti nas nunuvens a novinha parecia bem experiente ela cupava minha rola e olhava pra min com uma carinha de menina ingênua e eu quase gosando, quando ela parou de mamar no meu pau eu logo cai de boca ma bucetinha dela ela gemia sem para e pedia rola eu coloquei o pau todo naquela bucetinha apertadinha enquanto ela gemia alto , coloque ela de quatro e chupei a bucetinha dela que estava toda molhada enquanto eu enfiava cada ven mais forte ficava pensando como comer o cuzinho dela , tentei colocar o dedo varias vezes ela tirava minha mão dequela bundinha empinadinha , ela de quatro aquele cuzinho rozinha bem ali na minha frente e eu nao podendo comer , quando voltei a chupar sua bucetinha aproveitei e chupei o cuzinho dela também , parece que foi a senha pra entre ela arepiou interinha e dice que estava gostoso mas que nunca avia dado o cu aquilo me encheu mais de tesão eu estava preste a comer um cuzinho novinho zerado ela de quarto deu uma olhadinha pra traz e me falou que me daria o cuzinho mas só se eu colocase só a cabecinha eu prometi que sim e que ia colocar bem devagarinho e se doesse era só ela pedir pra eu parar , ja com o cuzinho dela bem molhado eu aproxime a cabeça do meu pau na portinha do cuzinho rosinha dela , sem eu enfiar ela ja estava com as perninha tremendo , eu fiz como o prometido e coloquei so a cabecinha o cuzinho da bruninha era tal apertadinho que minha rola nao tava cabendo direito mas como a vontade de comer aquele cuzinho era tão grande que eu forcei ate meu pau entra quando a cabeça encaixou ela deu um grito e logo um gemido e começou a rebolar na minha rola , ela rebolava e meu pau entrava cada vez mais fundo eu sentindo aquele cuzinho gostoso metia bem forte e ela rebolava e gemia . Não deu tempo de tirar o pau do cuzinho dela gosei la dentro enchi o cuzinho da novinha de porra deitamos abraçados e ela toda feliz falou que aquela cuzinho era só meu e que o namorado dela nunca tinha nen tentado chegar perto do cuzinho dela e adorou que eu fui o primeiro a chupar e comer o cuzinho dela … continuamos a nos ves todos os fins de senama ate que un dia sem eu saber ela levou uma outra amiga dela pra ver eu comer o cuzinho dela mas isso vai ficar para meu procimo conto

trai meu marido fiquei com cu sangrando

Sou uma mulher já madura com meus 40 anos, sou casada a 22 anos sou morena clara corpo ainda em forma no ano passado tive um problema com meu marido e resolvi trai lo ai pensei vou dar pro primeiro homem que me cantar na sexta feira eu sai de casa pra ir na costureira já era a noite quando estava indo embora pra casa encontrei o fabio um amigo do meu marido,ai dei uma carona pra ele conversa vai conversa vem comecei a falar do meu marido pra ele ,ele muito safado logo ja começou a me fazer elogios,de repente ele me deu um beijo na boca e ja levou a mão na minha buceta eu nem tive tempo de reprimilo,saimos e fomos pro motel, assim que chegamos la ele logo me pegou no colo e me jogou na cama e foi dizendo que naquele dia ele iria comer meu cu,eu com 40 anos nunca tinha dado meu cu, ele nao teve piedade de mim me botou de quatro cuspiu no meu cu e foi logo enfiando uma pika enorme no meu cu eu tentei gritar mas ele tapou minha boca enfiou tudo no meu cuzinho virgem eu nem senti prazer só dor quando ele tirou aquela juba do meu cu eu tava toda sangrando fiquei mais de uma semana sem aguentar nem andar direito e meu marido não desconfiou de nada fui trai acabei sendo estrupada.

Minha primeira vez com um casal: foi demais.

Bom amigos estou aqui de novo para contar como foi minha primeira vez com um casal.
Eu sou musico e toquei por muito tempo na noite,porem sempre quando os sábados a noite não me cansava muito eu tocava aos domingos em churrascos etc…
Numa dessas vezes eu fui contratado para tocar numa chacara aqui da minha cidade numa festinha de 10 anos de vida conjugal de um casal muito conhecido por aqui.
Cheguei la por volta das duas da tarde e la já estavam muitos convidados..detalhe..fui sozinho sem banda só com meu violão.
Durante todo churrasco eu percebia o carinho do casal comigo e por muitas vezes a regiane vinha me servir e sempre tirava uma casquinha..as vezes sentando na minha perna e as outras vezes passando a mão no meu peito suado.
Quando foi por volta das 10:00 da noite todos já tinham ido..foi quando de repente o marido da regiane me disse se eu não queria tomar um banho pois eu estava muito exausto e suado..eu precisava mesmo e aceitei.
Foi quando ele me levou até o banheiro que ficava no seu quarto e me disse para ficar a vontade…que agua deliciosa..bom demais.Minha primeira vez com um casal foi demais.
De repente a porta se abre e la vem a regiane vestida apenas com um biquini branco e me disse:nossa você toca muito bem só queria ver se você toca bem um violão como o meu…deslizando as mãos pelo corpo me disse…vem…toca..vem.
Eu já estava nu de pau duro não pensei duas vezes e cai de boca naquela loura…ha..ela é uma loura de cabelos até os ombros de mais ou menos 1,68 de altura e com uns 56 kg…
Foi quando eu a abracei e lhe dei um beijo na boca..que delicia que corpo quente..desci minhas mãos e tirei seu sutiã e comecei a mamar naqueles peitinhos pontudos e rosados…

Escorreguei minha boca beijando sua barriga e com os dentes tirei sua calçinha e meti minha língua naquele clítoris que já saltava fora da rachinha depilada.
Ela colocou uma das pernas no vaso e com as mãos abriu bem a racha e mandou eu chupar..não me fiz de rogado…meti a língua que a tive que segurar a outra perna dela que se apoiava no chão porque ela estava perdendo o equilíbrio.
Fiquei de pé na sua frente e encostei meu pau na entrada daquela grutinha molhada e num golpe só enfiei tudo até o saco bombando muito forte.
Foi quando percebi que ao nosso lado olhando tudo de pertinho estava seu marido que também estava nu e de pau duro.
Como ele já devia estar nos observando a algum tempo nem me importei com a presença dele e continuei bombando com mais força na buceta daquela tarada que a essas alturas dizia:vai mete tudo mete na buceta da sua putinha vai mete…e olhando para o marido dizia..ta vendo que putinha você tem..ta olha como ele fode a buceta da sua mulher olha viado olha vou gozar no pau dele vou gozar aiaiaiaiaia gozeiiiiiii gostou viadinho.

Depois dela gozar sentou-se no vaso e disse:vem cachorro goza na minha boca goza…eu comecei a meter na boca daquela mulher como se estivesse fudendo uma buceta..e com a ajuda das mãozinhas dela foi só porra que entrou garganta adentro daquela putinha.
Para minha surpresa o marido dela se ajoelhou na minha frente e começou a mamar no meu caralho também até deixar ele sem nenhum vestígio de esperma .
Depois fomos pro chuveiro onde o marido não tirava o meu pau da boca…
Eu fiquei brincando com meus dedos no cuzinho da re até ver que ele tava prontinho para levar vara..foi quando o maridinho disse não….vamos pra cama.
Fomos os três para a cama onde eu deitei e a re veio por cima encaixando bem seu corpinho quente no meu..quanto isso o maridinho ficava chupando meu pau e passando no buraquinho do cuzinho da esposa puta.

Ela já não estava aguentando mais e disse: vai seu corno viado deixa eu sentar nessa piroca..vai põe na porta desse rabo de puta põe..o corninho obedeceu e incaixou bem na entrada..ela foi se sentando até ele desaparecer.e ai ficava num sobe e desce como uma femea no cio.
Seu maridinho ficava observando a mulher levar vara no cu enquanto ele ficava passando a língua no meu saco…hum que delicia aquilo!!!
Ela começou a gritar como uma louca e anunciou seu gozo que veio logo e cheio de calor…..ela saciada caiu no meu peito,e olhando para o marido dizia …obrigado amor por esse momento ta eu te amo…mais o corninho para mostrar que aprovava tudo pegou o meu mastro ainda duro e fez um dos melhores boquetes que já tive até hoje..aiaiaiaiaiiaia acabei gozando na boca daquele homem generoso…..que gostoso se sentir desejado pelo casal lindo e maravilhoso…temos muita amizade até hoje mais não repetimos a mesma loucura que eles só fizeram uma vez..foi um acordo entre eles que respeito e muito..pois se for para o bem de um casal eu estarei sempre aqui e prometo sigilo total..
Tenho mais algumas passagens assim como a de um amigo que me deu de presente para a noiva as vésperas do casamento ..mais isso eu conto outra hora..bem amores beijos e até mais..quem quiser pode me adicionar pois sou educado e não faço mais do que o casal permitir.. meu msn pftom@hotmail.com tenho web cam tchau

Dei para meu amigo

Ola eu sou o david e essa historia se passou quando eu e meu amigo fernando tinhamos 14 anos.
Um dia meu amigo foi dormir na minha casa, e eu já tinha bolado tudo, na hora de ir dormir nos fiquemos conversando umas duas horas nada sobre sexo, ate que resolvemos dormir, era um colchão de casal.
Na hora que deitamos parecia que um leu o pensamento do outro eu deitei com a bunda para o lado dele ele percebeu e eu disse boa noite ele também.Dei para meu amigo
Não deu uns dois minutos ele começou a tocar com as pontas dos dedos em minha bunda eu senti e deixei só para ver o que ele fazia, ele começou a tirar minha cueca, pois eu só durmo de cueca, e eu deixei então senti a ponta de seu pinto encostando em minha bunda, ele já foi se virando e me cochando, já viu que eu tinha deixado…
Eu sentindo aquela pica gostosa encostar na minha bunda fiquei so esperando ele enfiar, mas ele não conseguia, seu pau estava inchado e meu cu estava seco até que eu me virei e comecei a chupar seu pau.
Chupei por uns cinco minutos e virei de novo, ele já foi tentando colocar mas não conseguiu até que ele passou cuspo e tentou de novo, desta vez entrou e colocou e entrou tão gostoso e ele me comeu de lado uns cinco minutos até que decidimos que eu ficaria de quatro…
Ele me comeu muito e no final ficou grudado igual a um cachorro em mim, ele gozou eu senti ele enchendo meu cu de porra…
Eu inocente perguntei para ele o que ele tava fazendo e ele falou nada e tirou o pau de dentro de mim,eu virei mas não sabia que ele tinha gozado até que senti uma coisa quente saindo do meu cu arregaçado e sujou um pouco o lençol mas eu lambi e chupei mais um pouco o pau dele e fomos dormir.
No dia seguinte estávamos agindo como se nada tivesse acontecido, agora todas as vezes que eu viajo para a casa dele nos fazemos isso.