Archive for the Category »Travestis «

Iniciação

Tenho 39 anos sou casado, mas sempre senti vontade de transar com outro homem, sempre tive vontade de me sentir uma mulher na cama.
Entrei várias vezes em um site de bate papo e conversei com várias pessoas, mas nunca tive coragem de sair com outro homem, até que um dia marquei com rapaz que também é casado nos encontramos e fomos dar uma volta em seu carro, paramos num estacionamento ele tirou o pau dele pra fora e disse para que eu o pegasse.
Eu o peguei ele disse para que eu o chupasse nossa que pau gostoso, ele me levou para sua casa me encochou e senti aquele pau gostoso se esfregando em mim, me beijou fui tomar um banho e ele me deu uma calcinha da mulher dele para que eu colocasse.iniciação
Nossa que me senti uma mulher mesmo, ficamos nos esfregando e ele passando as mãos em meu corpo, chupou minha bunda, meu cuzinho e eu o chupei também, parecíamos dois namorados, ele passou um gel em meu rabinho e enfiou um dedo, depois dois dedos nossa eu vi estrelas, ele começou a tentar me penetrar colocando de lado aquela calcinha tipo fio dental cor vinho senti uma dor mas eu queria senti quando cabecinha entrou e dei gemidinho.
Estava adorando me sentindo uma mulherzinha na cama, mas o celular dele tocou e a esposa dele disse que chegaria em casa em mais alguns minutos, então tivemos de parar, fui embora nas nuvens, pena que não o encontrei mais e depois desta data nunca mais o encontrei, mas não esqueço daquele homem que dizia que eu era muito gostoso e que eu estava parecendo um gatinha na vara dele, quero alguém para ter um novo encontro delicioso.
me escrevam e vamos nos encontrar.
e-mail val.abc@hotmail.com

Viadinho dando a Bunda II

A minha vontade de ser putinha de vários homens é muito grande. Vivo me fantasiando como eu seria gostosa se eu fosse uma mulherzinha, pois o corpinho lindo, todo depiladinho, bundinha lisinha, durinha, empinadinha, bronzeadinha com uma linda marquinha e um cusinho apertadinho e guloso por cacete não é qualquer patricinha que tem e deixa muitas mulheres babando. Elas ficam de boca aberta quando vêem a tentação, o pedaço de mau caminho que sou e que enlouquece qualquer homem.

Como eu já estava sem mamar um pau (eu adoro mamar) e rebolar numa rola a uns quinze dias (uma eternidade….), decidi ir a um cinema de público gay e a pessoas chegadas. Eu estava disposta a dar para qualquer um e chupar rola até ficar com a boca dolorida.
Coloquei um shortinho branco super curto para realçar meu rabinho onde estava escrito na traseira: ”vagabunda e safada e no outro lado, cadela no cio”. Como a noite estava fria já fui de sutiã preto sob a blusa, pulseiras rosas com cristais no tornozelo e uma suave camada de batom rosa nos lábios e perfume feminino nos seios e na bundinha. Às 21 horas eu entrava no cine.
Esperei que a vista se adaptasse ao escuro e me dirigi ao dark room.
Vi muitos se chupando e dois estavam levando vara no rabo enquanto mamava os que estavam à volta deles. Os poucos que se aproximavam de mim queria o mesmo que eu: chupar, mamar e levar rola no rabo.

Nossa, eu vi uns caras chupando rola e dando o rabo com gosto, como verdadeiras putas.
O porém é que todos tinham cara de machões, de lobo mau, de comedor, de garanhão, todos fortes, barbudos, cabeludos,…mas ali pareciam verdadeiras putas com uma vara na boca e outra socada no rabo e pedindo mais.
A diferença entre eu e eles é que eu sou bem feminina, bem mulherzinha, super safadinha e gosto de provocar e eles tinha jeito de machões…Jeito, apenas..rsrsrsrsr.
Lá pelas 23 horas na sala onde se exibia filme para o público gay abaixei minha calça (eu sempre fico em pé na última fila) de modo tal que aqueles que estavam encostados na parede pudessem admirar o meu rabo. Olhei para trás com aquele jeitinho de piranha me oferecendo para eles. Todos estavam de pau duro batendo punheta enquanto observavam meu rabo.
Para provocá-los ainda mais fiquei apenas de shortinho e sutiã, encostada na cadeira e forçando o rabo para trás para minha bunda ficar mais saliente e empinadinha.
O homem que estava a minha frente sentado na cadeira virou-se e começou a lamber minha barriga. Ele me lambia igual um cachorrinho. Posicionou-se melhor na cadeira e passou a beijar-me a barriga, enfiava a língua no meu umbigo que me deixava louca de tesão. Virava-me e continuava me lambendo, dando chupões, me mordendo toda. Fez-me inclinar e cravou a língua com gosto no meu cu com tanta força que eu conseguia segurar a língua dele dentro de meu rabo como se estivesse fodendo meu cu com a língua.Viadinho dando a Bunda II
Chamava-me de putinha gostosa, de vagabunda, de piranha safada, biscatinha, cachorra, vadiazinha e eu rebolava ainda mais quando ouvia estes elogios. Mordia minha bunda e dava beijos e chupões. Chupou e mordeu meu rabo com tanta força que deixou marca. Colocou-me frente a ele – já estávamos em pé encostados na parede e então começou a chupar meus peitinhos; os biquinhos enrijeceram e ele começou a mamar igual uma criança faminta. Pedi para ele mamar com mais força, mais pressão como se estivesse com uma mamadeira na boca. Ele fez o que pedi.
Eu fiquei louca. Ele mamava de uma maneira que todos ouviam o barulho da sucção que ele fazia com os lábios em meus peitos. Colocava tudo na boca que parecia querer arrancá-los. Meu pau parecia um pedaço de ferro de tão duro que ficou. Ele enquanto mamava alisava meu rabo, fodia meu cu com os dedos e sempre me chamando de putinha gostosa, de viadinho safado dando a bunda, de mulherzinha dele.
Beijava-me toda e foi descendo…descendo..já segurava meu pau. Colocou a cabeça do meu pau na boca e falou que era uma delícia, que eu tenho um pau gostoso demais (23 cm). Chupava, lambia, tentava engolir tudo maus não conseguia devido à grossura. A esta altura ele já estava de joelhos mamando no meu pau e eu em pé tomando no cu, pois enquanto ele estava mamando, havia outro chupando meu cu e preparando-o para ser arrombado.
O que fodia meu cu falou-me para gozar-mos juntos; ele encheria meu cu de porra e eu encheria de porra a boca daquele que mamava no meu cacete. Aceitei.
Ele me arrombou por uns dez minutos. Eu tomava no cu e ao mesmo tempo era deliciosamente mamado. Disse que não aguentava mais, pois ele tinha um pau muito grande e grosso e que minhas pernas já doíam e eu estava prestes a esporrar na boquinha daquele que fazia do meu pau o picolé mais delicioso.
Ele falou: “goza pelo cu sua puta, vai vagabunda do caralho mexe este rabo para eu encher ele de porra cachorra; toma no cu putinha, é isso que você quer sua piranha, agora vai aguentar tudo, sua cadela. Vou encher seu cu de porra safada”.
Ahhh… puta do caralho, estou gozando neste cu gostoso, sua vagabundazinha”. Quando ele disse isso eu não aguentei mais segurar. Esporrei tudo que pude na boca do safadinho. Gozei tanto na boca dele que enquanto ele chupava eu via a porra escorrer dos cantos de sua boca.Ele lambia tudo; deixou meu pau limpinho. Ele falou que nunca ninguém havia depositado tanta porra na boquinha dele, pois ele quase engasgou com os jatos que iam direto para sua garganta.
Como ele estava de pau duro, eu cai de boca e mamei com vontade. Ele queria gozar na minha bundinha e espalhar a porra sobre ela. Eu deixei.Abaixei mais o shortinho e ele esporrou jatos de porra quente no meu rabo. Dei um tempinho e queria mais. Quando a porra secou, fui para uma sauna.

Quando cheguei à sauna, a primeira coisa que fiz foi tomar um banho para limpar a porra que havia se impregnado no meu rabo e a que tinha escorrido do cu para as pernas.
Vesti uma calcinha pra lá de indecente onde estava escrito “puta no cio” e fui conhecer o local. Ah, eu dobro a toalha de modo tal que ela fique parecendo uma minissaia; deixo bem curtinha mostrando o meu rabinho para provocar ainda mais os homens.
Entrei na sauna a vapor e na seca secando o cacete dos caras. Sai e fui caminhando pelo corredor observando os quartos à direita e à esquerda. Passou um cara ao meu lado, à minha frente e seguiu a diante. Quando cheguei ao fim do corredor, ele passou novamente por mim e entrou no último quarto.Tirou a rola, olhou para mim…Eu entrei e cai de boca na vara dele.
Mamei igual puta sedenta por pica. Fiquei mamando no pau dele por uns vinte minutos e a porta estava aberta. Chegou um outro e ficou nos observando. Convidamos ele e eu passei a mamar dois cacetes ao mesmo tempo.Chupava, mordia, beijava, lambia, passava no rosto, babava. Fiquei de quatro para eles. Não quiseram comer meu rabo. Queriam gozar na minha boca; os dois. Queriam ver-me com a boca cheia de porra. Aceitei. Fiquei de joelhos e comecei a mamar.A porta do quarto estava aberta, era o último quarto do corredor. Continuei a mamar no cacete deles por uns quinze minutos. Eu estava com a metade do pau de um deles na boca, deslizando a língua debaixo da cabeça da rola, quanto senti um jato quente de porra na garganta.Ele segurou meu rosto junto ao seu pau e falou: “continua sua puta vagabunda, vai engolir tudo seu veadinho, vai mostrar para todos aqui a putinha que você é; continua sua piranha, mama tudo. Sua boca está cheia de porra, mas continua mamando até meu pau ficar mole.Assimm, puta.Não engole ainda, nem cospe.Fica de lado para o pessoal assistir tudo.”
Ele tirou o pau da minha boca, o outro enfiou – eu estava com a boca cheia de porra –então ele disse: “mama putinha, mama tudo piranha. Vou encher sua boquinha de porra até você engasgar. Mama sem deixar escorrer nadinha, puta. Vai puta, chupa e mama. Vai beber todo o mingau vagabunda e na frente de todos aqui. Meu pau é sua mamadeira; vou te dar de mamar cachorra.Vai gostosaaaa…hummm..sua cadela, assimm., continua sua puta estou esporrando na sua boca sua vadia.Delícia.Não engole ainda; vire para a porta sua puta.Agora pode engolir tudinho.Isso piranhazinha, engole tudo. Beba sua vitamina preferida, cachorra”. Fiz isso na frente de todos e enquanto eu engolia, eu fazia carinha de safada.Desci e fui me lavar.
Após o banho, subi novamente, como eu queria mais rola, queria me sentir uma puta de zona, me deitei em um dos quartos usando apenas aquela calcinha pra lá de indecente.Fiquei de bunda pra cima e procurava empinar o rabo o máximo possível para realçar o quanto eu sou gostosa.Não demorou cinco minutos, senti um par de mãos alisando e beijando meu rabinho.Senti a língua no meu cu que começou a piscar tentando segurá-la lá dentro.
Deixei a porta aberta de propósito para todos assistirem.Eu, realmente, havia me transformado em uma puta de zona ou pior que puta, pois era eu quem procurava provocar e pedia para fazerem de tudo comigo na frente dos demais. Ele lambia meu cu, enfiava a língua e eu rebolava e os homens iam se ajuntando na porta para verem.Eu continuava deitada de rabo para cima. O rabo na direção da porta, para todos verem.Ele ficou de lado, tirou o cacete-uns 23 cm – grosso e cabeçudo e ordenou: “MAMA SEU VIADINHO. MAMA NA MINHA ROLA NA FRENTE DE TODOS AQUI, VAI SER PUTA PARA TODOS”.
Então comecei a me deliciar naquele pau gostoso que não parava de crescer em minha boca.
Fiz tudo sem encostar um dedo no pau dele.Apenas com a língua e os lábios.Eu deixava o pau dele todo atravessado na minha boca e ficava mordendo, como se fosse um picolé de porra.
Lambia debaixo, nas bolas, engolia tudo.Enfiava a língua no furo da cabeça da rola e ele ficava maluco e a platéia ia a loucura. Mamei no pau dele por uns quarenta minutos até que ele avisou que iria gozar na minha boca.
Coloquei o pau dele na vertical e ficava lambendo de baixo para cima toda a porra que escorria como se fosse um sorvete que estava derretendo; lambia de lado, dava beijinhos apertando a cabeça nos lábios e quando voltei a enfiar a língua no furo da cabecinha da pica a porra começou a jorrar. Foi jorrando e escorrendo pelo pau. Coloquei a língua embaixo e comecei a lamber tudo até ficar com a boca cheia e espumar de tanto que era.
Quando acabei de engolir tudo e deixar o pau limpinho ele se foi.
Eu também sai para tomar outro banho, mas no corredor os caras que estavam assistindo me pegaram ali mesmo.Nem esperei que pedissem. Fui logo ficando de quatro igual uma cadela com ambas as mãos no chão e as pernas abertas para levar rola no cu e mamar ao mesmo tempo.Comecei a mamar um por um e tomar no cu ao mesmo tempo.Chupei, mamei e dei para vinte e cinco (25) caras.Só no cu, contando com os que me comeram mais de uma vez eu levei rola mais de setenta (70) vezes. Gozaram na minha cara umas dez vezes, pois não deu tempo de abrir a boca e engolir. Minha bunda estava toda melada de porra, meu cu ardia, minhas pernas estavam bambas e meu joelho também de tanto que tive de ficar de quatro.Minha boca doía muito e estava inchada de tanto pau que tive de mamar.
Fui tomar um banho e pedi para chamar um táxi, pois não estava conseguindo andar.Nem dentro do carro eu conseguia me sentar direito; sentei de lado.
Mas adorei.Dois dias depois eu já estava no cio novamente, louca de vontade de fazer tudo novamente.

Viadinho dando a bunda na sauna

Já relatei como virei putinha de cinema, quando me vestia de lingeries super sexy e ficava rebolando o rabo dentro do cinema me oferecendo para todos que estivessem a fim de arreganhar meu rabo mais do que já estava, encher meu cu de porra quente e me fazer mamar cacete até escorrer porra nos cantos da minha boquinha de puta…
Tudo na frente de todos e enquanto eu mamava, engolia porra e tomava no cu igual cadela da rua, pois eu dava o rabo de modo tal que quem me comia ficava colado em mim igual cão com cadela…
Ficavam todos dentro do cinema assistindo, com pau duro, esfregando em minha cara, passando as mãos no meu rabo chamando-me de putinha, gostosa, vagabunda, piranha, biscate, vadia, galinha, cadela, boqueteira e perguntando-me: – Você gosta de ser puta, seu veadinho? Gosta de ser mulherzinha? Gosta de ser menininha? Então vai ser mulherzinha de todos aqui, sua vadiazinha.

Assim, fiquei com vontade louca de ser puta na sauna.
Só de imaginar aqueles paus enormes apontando para mim eu fico toda arrepiadinha.
Vesti uma minúscula calcinha com pedrinhas de strasse para chamar atenção, passei esmalte, batom, brilho labial, perfume de puta comprado em sexshop.
Confesso que fiquei gostosa demais.
Ao me trocar, na sauna já havia alguns homens pelados; hummm! Cada pau…
Cada cacete lindo, cada pica deliciosa! Fiz o maior charme para me trocar. Tirei a camisa, ténis e é claro, quando me inclinei para fazer isso, empinei a bundinha para eles verem minha calcinha, fiz de propósito.
Notei que eles se olharam com sorrisos sacana.

Não me importei, fiquei só de calcinha toda socada no rabo, exibindo minha marquinha de bronzeado, minha bundinha empinadinha e muito cobiçada.
Olhei-me no espelho, empinei a bunda para provocá-los, dei um sorriso de safada enquanto olhava para o pau deles.
Dobrei a toalha de modo que ela se transformou em uma minissaia mostrando as bandas de minha bunda toda empinadinha e o fundo da calcinha.Fui para sauna…rebolando.

Os caras foram atrás de mim, todos de pau duro, igual cachorro atrás de cadela. Eles se sentaram e eu fiquei em pé rebolando de modo muito sensual ao ritmo da música.
Embora sensual, eu rebolava de modo muito despudorado, muito obsceno passando a língua nos lábios como se estivesse saboreando o cacete deles.
Eu pensava comigo: sou gostosa demais, qualquer um fica de pau duro quando me vê assim, ninguém resiste a este lindo rabinho que tenho. O perfume de puta que eu usava contagiava o ambiente.
Os caras foram chegando, alisando meu rabo e eu louca para tomar no cu ali mesmo, na frente de todos.
Encostaram a pica no meu rabo e eu rebolava mais ainda. Forçavam o pau e eu cada vez mais louca por cacete.
Um agarrou-me por trás, abaixou minha calcinha, puxou-me de encontro a si, segurando meus peitinhos enquanto me lambia todinha, deixando-me totalmente fora de controle, toda arrepiadinha, ao mesmo tempo em que falava:
– você vai dar o cu como nunca deu putinha gostosa. Vai dar este rabinho lindo para todos aqui. Você gosta de ser puta?
Eu dizia:
– Adooooro.
Então ele falou:
– Sua vagabunda, fica de joelhos sua piranha e comece a mamar no meu cacete. Quero ver você engasgar com tanta porra que terá de engolir.Viadinho dando a bunda na sauna
Enquanto eu, de joelhos, estava mamando no pau dele, veio outro e falou:
– Fica de quatro, piranha. Fica de quatro igual cadela, com as mãos no chão e o rabo empinado, pois quero enfiar no cu vendo você mamar.
Eu fiz o que eles mandavam. Dei o rabo e mamei como se estivesse faminta por porra; eu adoro engolir porra, rsrsrsrsr, adoro o sabor meio amargo e salgadinho..rsrsrsr.
Quando o que fodia minha boca como se fosse um cusinho estava quase gozando, trocou com o que estava me arrombando por trás. O de trás saiu do meu cu e enterrou tudo na minha boca.
Eu mamava e sentia na minha boca o gosto de suor que escorria deles devido a temperatura da sauna.
Ele batia na minha cara com a rola e também apanhava na bunda (alguém sabe dizer porque os homens gostam tanto de bater na cara e na bunda da gente enquanto nos fode?
Eu sei que gosto de apanhar enquanto tomo no cu e chupo..rsrsrsr), pois eu não estava aguentando a grossura do pau me abrindo o cu.
Quando senti que o que fodia minha boca iria gozar, tentei tirar o pau da boca para ele gozar na minha cara, pois o gosto de porra amarga e salgadinha misturada com suor iria me dar ânsia de vómito.
Levei um tapa na cara que deixou marca de dedos em minha face.
Esbofeteou-me novamente e falou:
– Não vai engoli a minha porra porquê, putinha? Vai engolir sim. Vai engolir tudo sua cachorra. Eu quero ver você com a boca cheia de porra sua puta, quero que você engula olhando para mim e de mãos no chão como uma cadelinha, sua vagabundazinha. Você vai ficar linda minha menininha, com a boquinha cheinha de porra. Vou gozar na sua boca e você vai engolir tudo. Mama gostosa… isso mama sua puta do caralho, isso… assim, piranha, continua, oh..delicia..engole puta, engole.

Recebi uns seis jatos de porra quente e muito viscosa na boca.
Continuei mamando apenas na cabeça da pica até ficar tudo limpinho.
Mandou-me abrir a boca e obedeci.
Ele falou:
– Nossa, você está linda demais minha mulherzinha, com a boquinha cheia de leite de seu macho. Humm..Quero que você engula aos poucos.
Assim fiz. Engoli tudo de três goles e passei a língua nos lábios olhando para ele e dando um sorriso sacana de uma autêntica putinha. Ele falou:
– Eu sabia que você gostava de engolir porra sua puta, é sua vitamina preferida, não é?
Eu confirmei que sim. Mas enquanto eu tomava o leitinho dele o outro que me comia o cu, vendo tudo, começou a esporrar dentro de meu rabo.Eu sentia seus jatos quentes de porra me inundando.Ele gritou:
– Sua puta, você é gostosa demais, piranha do caralho. Você fode como ninguém, tesuda.
Voltaram para o local onde estavam os demais que a tudo asssistiam. Mandaram eu ficar de quatro (minha posição predileta).

Vieram três. Um veio por trás e quando a cabeça da rola entrou ele empurrou tudo de uma só vez. Eu via estrela e quase vomitei quando ao mesmo tempo recebi outra rola até o fundo da garganta. Nem deu tempo de pedir para parar, pois quando um enterrou no meu rabo, aquele cujo pau eu mamava, segurou minha cabeça para eu não tirar a boca e falou:
– Fica assim putinha, com tudo na boca enquanto tem o cusinho arregaçado. Você vai gostar vagabunda. Seu viadinho, você é melhor que mulher, você é gostosa demais. Rebola sua bichinha safada. Você tem uma boquinha linda demais para mamar cacete. Agora você vai ser mulherzinha completa, piranhazinha.
Com a pica toda em minha boca, obrigou-me a passar a língua nos seus ovos também. Ele não resistiu. Inundou minha garganta. O pau dele estava todinho na minha boca, meus lábios estavam colados em sua barriga de tanta pica que engoli.
Ele enfiou tão fundo que a porra foi direto para o estômago. Deixou o pau amolecer na minha boca.
O que comia o meu cu, prestes a gozar, arrancou o pau do meu rabo com tanta força que não sei como não fiquei toda cagadinha (porque eu já tomei no cu até cagar), mandou eu abrir a boca, colocar a língua para fora e então gozou. Mandou-me engolir e lamber tudo.
Veio o terceiro e me fez mamar.Pediu-me para inclinar a cabeça para trás e esporrou na minha cara. Não me deixaram limpar a porra que escorria de meu rosto. Falaram que eu ficava mais gostosa assim.
Fiquei ajoelhada sobre a toalha. Os demais que estavam a tudo assistindo (a esta altura a sauna estava repleta de homens) fizeram um circulo e então eu passei a mamar no cacete de todos eles.

Às vezes eu tinha duas picas na boca. Recebia na boca a porra de dois cacetes ao mesmo tempo. Enquanto eu mamava, ao mesmo tempo segurava mais duas picas que seriam as próximas da fila a encherem minha boca de leite. Eu engolia porra misturada com suor.
À medida que iam chegando mais homens eles iam se juntando aos demais para serem boqueteados. Quando saciaram minha sede de porra, me levaram para sala de vídeo. Fui toda melada de porra. Escorria porra nas minhas pernas que vazava de meu cu todo arrombado e muitos gozaram sobre meus peitos e na minha cara.
Na sala de vídeo é que todos viram a coisinha gostosa que eu era.Uma putinha com bundinha empinadinha, bronzeadinha com uma marquinha incrivelmente sexy, toda lisinha. Lábios pequenos e aveludados, próprios para mamar cacete. Um rabo de ninfeta de 17 aninhos. Endoideceram de vez. Para provocá-los pedi que deixassem eu passar batom, pois de tanto mamar precisava retocar os lábios. Comecei a mamar novamente.
A sala estava repleta de homens assistindo e ansiosos esperando a vez deles para se acabarem na minha boquinha e no meu cu que já estava todo ardido.
Um deles abaixou minha calcinha, deu-me um tapa na bunda e ordenou:
– Abre este rabo piranha, se arreganha toda, vai, puta, abre as pernas.
Obedeci. Inclinei-me para a frente, ele colocou a cabeça do caralho e foi empurrando. À medida que entrava, ele falava:
– Aperta o anelzinho puta, quero sentir você mordendo meu pau pelo cu. Chupa pelo cu gostosa.
Quando entrou tudo, obrigou-me a andar na sala na frente de todos e com ele atracado em mim. Os caras se colocaram encostados na parede, todos de pau duro e pediram:
– Venha mamar aqui piranha enquanto você anda levando ferro no cu.
Eu, com o cu todo arreganhado, com a rola socada até o fundo, mamei no pau de todos eles e, é claro, enquanto eu mamava, aquele que estava engatado em meu rabo me fodia como louco.
Alguns gozaram na minha boca umas três vezes comigo nesta posição, tomando no cu igual vaca e mamando.
Fiquei toda ardida. Já não estava podendo fechar as pernas. Saímos da sala e fomos para o quarto.
Eu havia me transformado em uma cadela para eles usarem do jeito que quisessem.
Eram tantos me querendo que no quarto não cabia mais ninguém.

Fiquei de quatro na cama com a carinha de safada voltada para a porta aberta para todos assistirem ao show.
Alguém me pegou por trás e socou com vontade. Senti as bolas baterem na minha bunda.Tinha entrado tudo.
Ele montou em mim como se eu fosse uma égua.
– Rebola sua puta, isto geme, putinha, vou-te arrebentar sua cadela. Quero te ver mamando enquanto eu te arrombo o rabo.
Mama vagabunda, falou outro que enfiou na minha boca. A minha boca era fodida como se fosse um cu de tão tarado que ficaram por mim. Não demorou, senti jatos de porra quente em minhas entranhas ao mesmo tempo em que o outro despejava seu leite em minha boca fazendo-me engolir tudo.
Depois eu me sentei na pica de um de frente para os demais. Vieram alguns com os paus duríssimos e ordenaram:
– Mama, gostosa. Você gosta de tirar leite de pau, então aproveita. Você vai beber tanta porra que irá sentir o gosto por um bom tempo em sua boca. Assim, putinha, passa a língua debaixo da cabeça da rola. Isto lambe, dá beijinhos. Vagabunda, você mama gostoso demais.
O que comia meu cu puxou-me de encontro ao seu pau meu rabo ficou mais empinado e inclinei-me sobre seus peitos. Veio outro por trás e começou a enfiar no buraco onde já havia um pau me rasgando toda.
Tentei sair, mas não consegui, pois o que comia meu cu segurou-me com mais força e fui obrigada a mamar em outros dois.
Falaram:
– Negativo, putinha de rodoviária, vai levar duas rolas no cu e mamar ao mesmo tempo.
Vai ter de aguentar tudo piranha. Vamos arrombar você todinha. Você vai ser uma putinha completa.
Passou cuspe na rola, cuspiu no meu cu e começou o martírio.

Meu rabo foi abrindo, eu queria gritar, mas com duas rolas na boca e levando tapas na cara, pois eu não conseguia rebolar com duas picas no cu e mamar ao mesmo tempo, para deixá-los mais tarados, não tive outra escolha. Tive de aguentar tudo.
Foderam meu cu com gosto.
Gozaram juntos dentro de meu rabo.
Ao falarem que estavam enchendo o cusinho da putinha de porra, aqueles a quem eu mamava também encherem minha boca; cheguei a engasgar.
Pediram para ver minha boca cheia de leite.
Falaram para eu não jogar fora nem engolir.
Vieram mais quatro e disseram:
– Fica assim piranha, tem mais leite para você.

Quando viram acharam lindo e me elogiaram:
– Mas você fica linda demais assim, sua safada. Queremos ver você engolir tudo. Engula sua puta e bem devagar.
Engoli tudo. Quando pensei que havia terminado, vieram mais dois e falaram que queriam e iriam comer meu cú os dois juntos. Falei que já estava toda ardida dolorida e que não aguentaria mais.

Deram-me um tapa na cara e falaram que puta aguenta tudo, que puta é para ser usada, que eu não presto, que só sirvo para dar o cu e chupar cacete, que sou um depósito de porra, que sou uma vagabunda de zona.
– Fica de quatro cadela e comece a mamar.
Sentei na pica e engoli pelo cu até os ovos.Veio o outro tarado e começou a arrombar meu cu que já estava todo aberto.
Tudo isso na frente dos demais que foram se ajuntando e dando o pau para eu mamar.
Um deles gozou no meu cu, o outro tirou do meu cu e gozou na minha boca. Três cobriram meu rosto de puta de porra.
Depois desta surra de pica, tomei gosto pela coisa e passei a gostar de ser puta, me vestir de mulherzinha, dar para vários na frente de outros. Fiquei toda arreganhada. Tomei tanto no cu que não conseguia andar. Mas adorei…Rsrsrsrsr.

Primeira vez com um preto-parte 1

Antes de mais vou-me apresentar porque é a primeira vez que estou aqui:
Sou homem, passivo de Portugal, uso sempre lingerie feminina e tomo hormonas femininas para me tornar cada vez mais uma mulher.
E agora o conto:
Na sexta feira saí do trabalho por volta das sete da noite e fui directamente para casa. Jantei, tomei um bom banho e vesti-me com aquela roupa que eu adoro; roupa de mulher.
Primeiro uma lingerie muito sexy, azul, rendada, composta por um soutien com copas de silicone, umas cuecas de fio dental, e um cinto de ligas, com seis ligueiros que prendia umas meias 7/8, pretas com liga larga. Por cima disto um vestido de lycra, preto, justo, justo e curto.Primeira vez com um preto
Pintei os lábios e as unhas de vermelho vivo e estava a verdadeira puta, pronta para levar com uns caralhos valentes pelo cu acima.
Saí para um bar gay e lesbo, onde eu vou todos os fins de semana, porque lá vão homens á procura de companhia para uma noite bem passada, e eu adoro.
Quando lá cheguei encaminhei-me ao bar, onde pedi a minha bebida habitual. O barmen deu-me a bebida e disse que esta era paga por um senhor que se encontrava do outro lado do balcão. Como bem educada que sou fui ter com ele e, dei-lhe um beijo carinhoso na cara para agradecer.
Ele era negro e bastante entroncado. Tinha mãos grandes, finas, mas muito bem tratadas, muito suaves. Olhou para mim, disse-me que se chamava Edmilsson e põs uma mão por dentro do meu vestido, apalpando-me uma nádega. Ao mesmo tempo disse-me que tinha uma coisa grossa e comprida que achava que eu ia gostar de experimentar.
Conversámos um bocado para nos conhecer-mos melhor, e pouco tempo depois, fomos para casa dele. Entramos em casa, e imediatamente nos dirigimos ao quarto onde ele tirou as calças. Não tinha cuecas, e um bacamerte enorme apareceu á frente dos meus olhos. Sentei-me na cama e ele, não perdendo tempo, meteu-a logo na minha boca. Era muito grossa e quase não cabia, mas não desisti e abri mais a boca para ele a poder enterrar mais fundo. Ele percebeu e empurrou-a para dentro, quase até á garganta. E eu chupava-a com muito gosto, cada vez mais.
Á medida que eu a chupava ela ia ficando cada vez mais grossa e mais dura.
Quando ela ficou verdadeiramente dura, ela tirou-a da minha boca e disse-me que a queria enterrar no meu cu. Como isso era, também o que e mais queria, levantei-me, puxei o vestido para cima, tirei as cuecas e deitei-me na cama de barriga para cima. A cama era alta, e como tal, bastou ele pôr-se de joelhos para a verga ficar da mesma altura que a entrada do meu cuzinho. Pedi-lhe só para não meter com força porque nunca tinha levado com nada tão grosso.
Ele passou KY no meu traseiro e meteu um dedo, depois dois. Rodou-os um bocado dentro para lubrificar e encostou a cabeça da piça ao meu cu. Começou a empurrar e a verga começou a entrar.
A cabeça entrava e fazia com que o meu buraquinho se abrisse cada vez mais. Deu uma estocada mais forte e a cabeça entrou toda. Deixou-se estar assim uns segundos e votou á carga. Mais força e a verga recomeçou a entrar. Cada vez que ela entrava mais eu gemia de prazer.
A dada altura, a minha excitação era tanta, que lhe pedi pra meter tudo de uma vez por todas. Ele puxou um bocado para fora, passou mais um pouco de Ky, agarrou-me nas ancas e disse-me:
“Vou-te rebentar toda, minha puta. Tu é que pediste” e, ao dizer isto, de uma só vez enterrou o caralho todo no meu cu, mesmo até aos colhões. Dei um grito de prazer e pedi-lhe para me foder.
(continua)

Sessão de sexo com o meu cliente travesti

Me chamo Paulo, tenho 39 anos, sou loiro, olhos claros, corpo normal sem barriga, 90 kg.
Estava de plantão num Domingo onde eu trabalho quando chega um Rapaz, para ver um veiculo semi-novo.
Me apresentei, ele disse chamar-se Carlos. Até aí nada de diferente, ate o momento que fomos fazer um teste drive…
Quando passamos por uma avenida que fica perto da loja e é ponto de Travesti, tinha um travesti moreno mas um baita corpão so de calcinha e salto alto eu fiquei olhando…
Foi quando o Carlos perguntou se eu curtia travesti eu disse que não mas gostava de ver pois me exitava muito salto alto e langerie, mas que aquela morena as 3 da manhã com umas cachaças na cabeça fazia fácil ele riu, acertamos o preço do carro ele deixou um sinal e combinamos de levar o carro no mecânico no dia seguinte para uma avaliação.
Na hora marcada encontrei com o Carlos no end do mecânico que aprovou o carro, ele perguntou se eu estava com pressa, disse que não, pois era minha folga e só fui la para atender ele.
Ai passamos em seu apartamento, ele me deu um cheque e uma parte em dinheiro para pagamento do carro e combinamos que iria ate a loja e na volta passaria la para deixar o recibo da loja e seus documento que levei para tirar xerox , ele disse você vem que horas, disse em torno de 1 hora estou de volta.
Quando voltei subi em seu ap ele abriu a porta de roupão pois tinha acabado de tomar banho senti um perfume bom e feminino , ele estava com um chinelo feminino e suas unhas do pé e da mão com base , entrei ele sentou em uma poltrona e eu na outra quando ele cruzou as pernas vi suas pernas bronzeadas e depiladas , suas coxas de fora , ele me ofereceu um suco aceitei.
Quando ele voltou estava com um tamanco de mulher e salto alto ai ele disse que adorava usar…
Eu não sei o que mexeu comigo que fiquei de pau duro vendo seus pezinhos pintadinhos no tamanco, não sabia o que falar, mas ele logo falou gostou,eu balancei a cabeça, ele disse:
– tem mais quer ver?
Eu respondi:
– Quero!!!!
Ele entrou no quarto e voltou com uma sandália de salto alto de cristal vermelha amarrada na perna ate as coxas um corpete vermelho, uma calcinha minúscula vermelha sua pele morena e depilada, ele virou uma bundinha redondinha empinadinha, uma peruca e um batom vermelho, parecia um travesti.<script type="text/javascript" src="http://promo.easy-dating.org/banner/index?site_id=497961&banner_id=1233&default_language=pt&tr4ck=468X60-transexuel1"></script>
Meu pau parecia que iria estourar dentro da calça, ele chegou mais perto puxou minha mão e passou em sua bundinha fazendo eu puxar sua calcinha um pouquinho para mostrar a marquinha de biquini minuscula que tinha…
Não resisti fui alisando aquela bunda arrepiada com meu toque ate tocar em seu cuzinho depiladinho, e sentir seu gemido, ai ele falou:
– Me faz sua putinha vai!
Puxou-me para o quarto, chegando la ele sentou na beira da cama e tirou meu pau para fora e começou a chupar e foi baixando minha calça e cueca ate os pés, chupou enfiou tudo na boca, lambeu ele todinho chupou minhas bolas, pedi para ele parar pois estava a ponto de gozar.
Ai ele enfiou tudo na boca e começou a chupar feito uma puta e alisar meu saco, quando gozei ele continuou engolindo tudo, eu nunca havia sido chupado assim.
Depois ele acabou de tirar minhas roupas, sentei na cama ele começou a rebolar sua bunda em meu peito rosto descia e rebolava em meu pau, tirou o corpete ficando só de calcinha.
A sua pele era macia e cheirosa comecei a beijar suas costas pescoço, e apertar suas tetinhas parecendo dois pêssegos.
Quando ele esfregou sua bunda na minha cara segurei ele pela cintura e comecei a beijar e lamber sua bunda e reguinho ate chegar em seu cuzinho quase virgem, meti a língua ai ele foi ao delírio…
Coloquei ele de 4 na cama e comecei a lamber seu cu ainda de calcinha, puxei para o lado e meti a língua, quando senti ele estremecer em gozo sem tocar em seu pinto.

Demos uma pausa fui ao banheiro dei uma mijada lavei meu pau, ai ele foi ate o banheiro se lavou, colocou um baybydol transparente branco e uma tanguinha aberta atrás.
Deitei na cama ele começou a lamber meus pés e foi subindo ate meu pau, peito e pescoço ele colocou uma camisinha em mim e foi sentando em cima do meu pau.
Começou a rebolar, derramou um pouco de lubrificante em cima dele e começou a rebola com ele no rego ate achar a entrada, e foi forçando quando entrou a cabeça ele parou e começou a rebolar e sentou de uma vez.
Pude ver suas lágrimas nos olhos, ficamos uns 15 minutos assim ate que peguei em sua cintura com força e soquei com vontade, senti ele gozar dentro da calcinha com o pinto mole, senti sua porra quente na minha barriga, quando gozei também.
Ele falou que gozava sendo lambido e fodido no cu e deitou em meu peito, e ficamos assim um tempo com o pau dentro dele ainda, ele começou a travar o cuzinho meu pau começou a ficar duro de novo!!!
Eu falei que queria meter nele de 4, ele foi se lavar e voltou.
Eu fui ate o banheiro, quando voltei ele já estava com uma calcinha preta e uma sandália preta…
Aí eu disse:
– Você tem varias sandalias!!!!
Abri o armário, tinha umas 15, uma mais sexy que a outra e uma gaveta só de langerie.
Puxei ele para me chupar, quando ele pediu que queria sentir minha porra dentro do seu cu sem camisinha.
Coloquei ele de quatro, lambi seu cuzinho e soquei sem dó, ate encher seu cu de porra.
Deitei na cama, quando ele pegou meu pau e limpou com uma toalhinha, ele colocou varias calcinhas para mim varias sandálias….

Ai ele falou que desde o dia que viu eu olhando o travesti ficou imaginado mil loucuras comigo, e sentiu que iria rolar…
Nos tornamos bons amigos e passo la uma vez por semana para comer minha putinha, depois conto mais uma sessão de sexo com o meu cliente travesti…