Dei meu cu e gostei

Antes de mais nada quero dizer que este conto é totalmente verdadeiro, apenas usarei nomes fictícios para não comprometer ninguém.
Bom, vivi minha infância no interior do ceará, onde morávamos numa cidade relativamente pequena, num bairro de periferia, numa rua onde fiz amizades com muitos coleguinhas. Estudava pela manha e à tarde me juntava aos meus coleguinhas para brincar, cuja brincadeira predilecta era de “esconde-esconde”.
Na época eu tinha apenas 11 anos, não sabia nada de sexo e nem tão pouco tinha nenhuma maldade. Nesse dia fomos brincar numas matas perto de casa, onde tinha duas casas abandonadas. Começamos a brincar de se esconder e Júlio, meu amiguinho que morava de frente a casa em que eu morava, fomos para uma dessas casa, fui no banheiro, subi pela porta e entrei na caixa dágua, nisso, Júlio vendo que eu estava bem escondido, quis também ficar junto comigo, ficamos de pé apenas com a cabeça de fora, olhando por cima o beiral da caixa.
Lá em baixo tinha um casal de jumentos pastando, vimos que o jumento estava com o pau duro querendo subir na jumenta, aquela cena mexeu connosco. Percebia que Júlio se encostava por trás de mim e sentia seu pau duro forçar a minha bunda, mesmo vestidos. Procurei empurra-lo e ele pediu calma dizendo:
– Olha como meu pau está duro!!!! colocando-o para fora do calção.
Fiquei admirado com seu pau que apesar de sua pouca idade, entre 13 para os 14 anos, era grande e grosso, a cabeça avermelhado e bem empinado. Eu era tão ingénuo que disse:
– É grande, é maior que o meu…
Ele então continuou:
” Pega, vai…
E eu peguei ficando um pouco excitado, era macio e duro ao mesmo tempo.
Ele disse:
– Balança vai!
E continuou:
– Assim não!
E me ensinou, eu então fiquei masturbando-o.
Em seguida ele disse:
– Baixa o teu calção e deixa eu comer teu cu?
Eu ingenuamente baixei o calção e disse:
– Come… sem entender o que seria aquilo.
Ele então me virou de costas, abriu minha bunda, colocou seu pau na entrada do meu cu e forçou. Sentir uma dor tremenda e o empurrei, dizendo:
– Não, está doendo! dei meu cu e gostei
Mas ele disse para eu ter calma:
– Deixa eu fazer de novo que eu coloco bem devagarzinho, deixa que eu deixo você comer o meu também.

Aquilo tudo me atraia, estava excitado e achava que era normal até porque vi o jumento enfiando o pau todo na jumenta e achei que ele estava comento o cu dela.
Ele insistiu dizendo:
– Vamos… Eu deixo você ficar no comando você mesmo vai empurrando conforme você aguentar, se doer você para.
Então eu me virei, peguei seu pau e ele disse:
– Espera, deixa eu passar cuspe que fica melhor…
Lubrificou todo seu pau, passou um pouco no meu cu e com a ponta do seu dedo ficou massajando meu cuzinho, enfiava a pontinha do dedo e tirava, fiquei excitado, com o pau duro e peguei novamente seu pau e coloquei no meu cu, forçando um pouco, doía muito, mas ele disse que era só no início, depois passava e eu me acostumaria.
Ele abria minha bunda para facilitar e eu ia forçando minha bunda para traz até que senti a cabeça romper as pregas, doeu um pouco, mas ele disse:
– Só dói a cabeça, depois que ela passar o resto não dói mais!
E fui acreditando no que ele dizia, até que foi entrando e eu gostando, seu pau estava quase todo dentro, sentia meu cu sendo preenchido por aquela rola grossa e grande, minha pregrinhas iam se rompendo, mas era gostoso.
Meu pau também estava duro, ele mandava que eu me curvasse e abrisse mais minhas pernas, ficando todo arreganhado. Por baixo de minha barriga ele pegava no meu pau e ficava me masturbando.
Era gostoso, sentia uma sensação muito boa, sentia seu pau inchar dentro de mim, ele fazia movimentos de “vai e vem” me deixando louco de prazer, nunca havia gozado e ali estava já para explodir dando meu cu sentindo-me uma putinha.
De repente comecei a sentir uns espasmos dentro de mim, ao mesmo tempo em que Júlio dizia:
– hum…vou gozar, hum, hum… vai goza também…
E aumentou o ritmo dos movimentos tanto do meu pau me masturbando quando do seu no meu cu arregaçando com força, diminuiu um pouco e soltou um gemido: haaaaa…
Sentia uma coisa quente invadindo-me por dentro ao mesmo tempo em que eu também gozava, numa das vezes retirou seu pau deixando escorrer um líquido por entre as minhas pernas, tornando a colocar seu pau no meu cu novamente e dizia:
– Ai que gostoso…

Depois perguntou-me:
– Você gostou?
Claro que eu tinha gostado, mas fiquei calado, encabulado e preocupado que ele pudesse dizer aos outros meninos, no que eles pudessem pensar, então disse:
– Júlio, não conta para ninguém, se não eles vão pensar que eu sou viado…
Ele me tranquilizou dizendo:
– Não se preocupe, esse é nosso segredo.
Em seguida vestimos-nos e saímos.
Ao chegar, nossos colegas indagaram:
– Onde vocês estavam?
E respondemos:
– Estávamos bem escondidos e como não conseguiram nos encontrar, resolvemos voltar.
Os dias foram passando e sempre que brincávamos dessa brincadeira Julio me comia, até que viajei para Fortaleza.
Depois aconteceram outras experiências, mas fica para outro conto.
tchat incontri

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
86 comentários
  1. Rgerio diz:

    Ola pessoal, quem nunca brincou com outro menino quando era criança, eu brinquei muito, mas nunca consegui dar meu cuzinho, hoje sou louco para encontrar um homem para realizar essa fantasia de criança.

  2. SANTOS diz:

    tinhamos uma turminha na rua onde sempre brincavamos no campinho, havia um garoto 14 anos de nome Mário era o mais safado, vivia passando a mao na minha bunda e mostrando seu pinto duro por baixo do calçao, com o tempo fui gostando daquilo e batia punhetinha pensando no Mário.
    Sempre que ele me via ja vinha com putaria pra cima de mim e eu gostava.rsrsr.Alguns dias eu que o procurava para tentar ele.
    Um dia fomos ao campinho não havia ninguem ele falou para fazermos troca troca, eu topei, mas so ele me comeu rsrrs. depois outros amigos souberam e tambem me fuderam, assim virei a menininha da rua. Hoje casado 60 anos com 2 filhos, tenho saudades dessa epoca queria poder dar novamente.

  3. marcos diz:

    tenho vontade de dar meu cuzinho tbm.Este conto está fenomenal

  4. Sérgio diz:

    Adorei ver esses contos e me lembro a primeira vez que fui levado para o mato para brincarmos de caverna, com vários meninos. Eles me disseram que iríamos meter. Eu não sabia o que era isso – eu tinha apenas 6 anos de idade, fui criado sozinho, sem irmãos, portanto não sabia nada sobre aquilo. Eles fizeram uma cama com folhas de mamonas que são grandes. Mandaram eu baixar o meu short e depois cada um dos meninos montavam em mim e estucavam seus pintos em meu cu, mas sem penetração. Depois que o último veio e me comeu (também sem penetrar) eu disse a eles que seria a minha vez. No entanto, arranjaram uma desculpa e eu fui embora para casa e contei para minha mãe o que tinha acontecido, porque eu não tinha ideia do que eles tinham feito. Minha mãe desconversou e mandou que eu não fosse mais para o mato sozinho com eles. O pior foi que eles contaram para o dono do armazém onde a gente fazia compras e ele veio me perguntar se eu era mulherzinha ou viado. Fique com muito medo e nunca mais voltei lá sozinho.

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>