Eu amo um padre

Bom eu sou uma bela moca tive poucos namorados para os meus 20 anos.
A minha mãe sempre foi religiosa me forçando a ser também.
Há cerca de 2 anos foi mandado um novo padre para a minha cidade para substituir o padre que falecera, eu esperava um senhor com idade avançada, barrigudo e feio.
Pois bem, o novo padre era exactamente o contrário. Era um belo moreno, corpo sarado mas escondido pela batina, pouco mais de 30 anos e muito simpático.
Quando cheguei para a missa a primeira vez, vi aquele homem que sorrindo vinha me cumprimentar, eu gelei e perdi as palavras…
Fiquei excitada a missa inteira, tentando me conter e prestar atenção na missa, mas era mais forte do que eu… Eu soube naquele momento que eu teria aquele homem custasse o que custasse. Sonhei com ele a noite inteira e acordava toda melada.
eu amo um padre
E assim prosseguiu alguns meses… eu me masturbava pensando nele e como conquista-lo, pois ele se mostrava fiel à igreja e ao voto de castidade… Mas quando o diabo quer também acontece, e eu daria uma ajudinha!
Certa vez fui indicada para ser professora de catecismo, claro que eu aceitei na hora… ficaria bem mais perto do meu padre.
Todas as tardes de segunda estavamos lá os dois dando aula, comecei a me insinuar, a ficar bem próxima dele, mas sabia esperar o momento certo para ele não escapar.
Depois de quase um ano, esse dia finalmente chegou, após uma festa para arrecadar dinheiro para a reforma da igreja.
A festa terminou por volta da 1h da manhã e eu me ofereci para ajudar a arrumar a bagunça. A minha mãe concordou em me deixar sozinha, pois afinal de contas eu estava com o padre… nada de mal me podia acontecer, pensava ela.
Depois de recolhermos todo o lixo e arrumar a desordem, as duas beatas que também estavam connosco foram embora e eu e o padre fomos à casa paroquial levar algumas coisas. Em seguida ele me levaria para casa.
Já na casa paroquial notei que aquela era a minha chance.
Aproximei-me da cadeira onde ele estava sentado, cheguei junto do rosto dele insinuando que iria beija-lo, ele resistiu, mas era tão grande o meu tesão que eu o segurei e o beijei com todo o meu desejo e sem ser retribuída. De repente ele me empurrou e disse que nunca esperaria isso de mim.
Como eu já havia sido descoberta, confessei o meu amor guardado, as minhas fantasias. Ele me pediu para o esquecer mas já era tarde, eu já havia engolido o meu orgulho…
Comecei a agir como uma verdadeira puta, implorando o amor daquele homem.
De repente arranquei a minha blusa, dando minha ultima cartada… Notei que ele estava excitado, aproximei-me dele novamente, agarrei-o com força e beijei de novo aquela boca gostosa, mas desta vez fui beijada de volta com a mesma vontade.
Ele finalmente se entregava… Começou a beijar os meus peitos com vontade, chupava com força, mamava feito um bezerro…

Tirei o pau dele e comecei a chupar, ele era imenso e grosso… Depois ele me penetrou com toda a força, me chamava de maldita, lucifer, meretriz e mais um monte de nomes que só os padres sabem falar…
Ao falar aquilo ainda me deixava mais excitada, feito uma cadela… Eu nunca havia dado gostoso daquele jeito. Fiquei de 4 e ele soube exactamente o que fazer, me fodia intensamente, e eu sentia dor e prazer enquanto ele me excomungava.
A nossa trepada durou duas horas… Depois fui embora, ele nunca mais quis transar comigo, quase não nos falamos e ele foge de mim feito o diabo da cruz.
Doí-me muito ser rejeitada, pois eu o amo, e o aceito de qualquer forma… Espero vir a ter mais contos para aqui contar um dia…
incontri online

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>