Fantasia de sexo a três

Quem é que nunca pensou em fazer sexo a três? Aposto que quase ninguém!!!
A Coelhinha pensou nisso durante muito tempo, masturbava-me a imaginar dois gaijos a comerem-me todinha, ou uma gaija a lamber-me enquanto eu comia um bGrande fodaelo caralho… Efim, mil e uma formas de sexo a três…
Tanto pensei e fantasiei, que tive de passar da teoria à pratica. E a minha primeira vez, começou com um convite…
O Sr. L, era menino de aventuras, muita erva e muito álcool começam a deixar as pessoas sem opção, e ele era assim, começava a não saber mais o que fazer, um dia após uma noite de copos, ele propôs-me estar com ele e com uma amiga… Na altura não levei aquilo muito a sério, até porque pensava eu que ele estaria a brincar. Mais tarde voltou a tocar no mesmo assunto, e a Coelhinha meteu-se assim numa nova aventura…
Primeiro quis saber quem era a menina, vi as fotos que o Sr. L me mostrou e a conversa começou a agradar-me ;) A menina S. tinha cabelo comprido pretinho, era morenina, não muito alta mas com umas curvinhas abundantes, umas maminhas de adolescente mas um cuzinho redondo feito bolinha de queijo Limiano. :)
Estava tudo combinado para uma sexta-feira à noite, eu era esperada em casa do Sr. L. Os dois já estariam juntos, e eu chegaria quando a festa estava a começar…
Toda a gente deve achar que está preparado para um espectáculo destes, mas não é bem assim… é como entrar num barco sem saber onde nos leva… apesar de ter sido uma das razões que mais me entusiasmou, foder sem saber como hehehehe ;)
Quem me abriu a porta foi a menina S. Vestia apenas um cinto de ligas que prendia a umas meias pretas rendadas, e calçava umas botas bem altas com um salto em agulha, trazia as maminhas de fora, com madeixas de cabelo a cobri-las aqui e ali…
Confesso que não resisti!!! Agarrei-a pela cintura puxei-a para mim e beijei aquela boca gostosa.
A minha fantasia nada tinha a ver com o momento…trazia uma sainha ao xadrez bem curtinha, uns sapatos altos e uma camisa de botões aberta ate aos seios… a minha tanga era um fio só, passava desde o rabinho até à coninha, e aquele fio já chegara molhado ao destino só dos pensamentos que tive durante o caminho!
Ao contrario do que esperava, o Sr.L não se encontrava no quarto, mas sim numa pequena sala, o sofá cama tinha sido aberto, e estava coberto por um lençol branco, tinhamos velas de cheiro e pétalas de rosa espalhadas por todo o lado… Parecia mais um encontro romântico, mas não foi isso que aconteceu…
Ele estava sentado numa cadeira, de boxers vestidos e com um frasco de óleo na mão… Fez um sinal à menina S. e começaram a despir-me entre beijos e caricias. Ela mordiscava o meu rabo enquanto ele me esfregava óleo na coninha. As minhas mamas ficavam durinhas, e a minha ratinha começava a latejar. Deitaram-me na cama, o Sr. L já sem boxers, enfiou o caralho na minha boca e fez-me chupar-lho demoradamente enquanto a menina S. explorava a minha coninha, fazia deslizar os dedos pelas bordinhas da minha rata depois introduzia os dedinhos e explorava-a interiormente. O Sr. L pos-me de quatro e começou a socar-me com força até  sentir as suas bolinhas a baterem em mim de vez em quando, os meus marmelos eram agora sugados por aquela boquinha gostosa da menina S. De repente, deparei-me com a sua ratinha na minha frente pronta a ser lambida, baixei-me mais expondo o meu rabinho ao Sr. L e comecei a lamber aquele grelinho. Soprava-lhe e lambia-o alternadamente, ela começou a ficar molhadinha e pediu-me: Põe-me os dedos no cuzinho!!!…. E eu obedeci, lambi os meus dedos, e com eles cheinhos de saliva comecei a forçar a entrada naquele cu apertadinho. Nesta altura o Sr.L decidiu que estava na hora de mudar de sitio, saiu de dentro de mim e introduziu de novo o caralho na minha boquinha, lambi-o sofregamente enquanto ele me ordenava: Lambe minha vaquinha, vou estroncar o cuzinho da tua parceira!!! E assim fez, virou-a de lado, encostou a cabecinha naquele reguinho e começou a forçar a entrada das traseiras da menina S. Ela gritava baixinho, e eu para lhe aliviar o incomodo/prazer sugava-lhe os biquinhos das maminhas já duros. Quando o Sr. L se conseguiu movimentar dentro daquele rabinho, toca de foder a valer, tirava a piça para fora cuspia-lhe no buraquinho e metia de novo… nesta altura já eu me masturbava e quase me vim a ver a situação…
O Sr. L deve ter achado que devíamos comer as duas com o caralho teso dele, quase pronto a vir-se, mandou-nos por de quatro uma em cima da outra, e toca de comer, ora a minha coninha, ora a dela…até que acabei por me vir primeiro… soltei um grito de prazer, gemi que nem uma louca… o Sr. L descontrolou-se e acabou por deitar todo o leitinho nos nossos rabos que escorria para o lençol…
A menina S. acabou por explodir com o Sr. L a coçar-lhe aquele grelinho, e comigo a trincar e a puxar os biquinhos dos marmelinhos dela como se fossem elásticos…
Depois disto nunca mais vi a menina S. ao contrario do Sr.L com quem partilhei muitas aventuras, mas quase aposto que eles já eram bem batidos nestas histórias de sexo a três… ;)

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>