Minha cunhada é uma delícia

Tudo começou quando minha cunhada veio juntamente com seu namorado, para a casa dos pais, uma pequena fazenda no interior, ela trabalha e mora sozinha na capital Vitória-ES. Era época de Natal ela veio para as festas de fim de ano. Lá eu moro com minha namorada e seus pais, é namorada mesmo, não somos casados ainda, apenas moro e trabalho lá com eles na roça.
Tudo ia bem, churrasco, cerveja, som alto,etc. Mas numa certa noite quando a bagunça toda já tinha passado, estávamos eu sentado do lado da minha cunhada e na nossa frente o namorado dela e minha namorada, os velhos já haviam ido dormir, passava da meia noite, nós jogávamos dominó, bebíamos vinho, altas gargalhadas estávamos muito animados, de repente senti um pé acariciando minhas pernas por baixo da mesa, quando me dei conta vi que era o pé da minha cunhada, fiquei congelado não tive reacção alguma, continuei jogando normalmente.
Lembro como se fosse ontem a roupa que ela usava um vestidinho curto tomara-que-caia, mostrava todo aquele corpo escultural que ela tem.
Ela é linda é descendente alemã, loira do cabelo comprido, olhos azuis, pele bem clara, quase um e oitenta de altura um mulherão!

Durante o jogo lembro que ela falava coisas excitantes para o namorado dela, ele é um gordo, careca metido a bombadão, mas na verdade só tem barriga, ela por sua vez pegava fogo, de repente ela quis se deitar. Chamou seu namorado pra ir com ela mas ele não se tocou que na verdade mesmo, ela queria sexo, o vinho havia subido a cabeça!
Mas o mané preferiu continuar jogando dominó.
Ela pegou o colchão e o arrumou na sala onde eles estavam dormindo desde que chegaram. Daí acabou que fomos todos pra sala assistir filme, o filme era legal, mas quando olhei minha cunhada e seu namorado, adivinha, estavam dormindo!
Chamei a minha namorada, desliguei a TV e fomos pra cama também, no quarto ao lado, cujo a porta dá directo pra sala, eu dormia em um colchão também, e minha namorada na cama de solteiro. Comecei a criar um clima com ela (minha namorada) mas ela estava meio que com raiva de mim por uma coisa que aconteceu anteriormente, não vem ao caso, ela ficou me ignorando, então me deitei no meu colchão, mas cheio de vontade, sabe?
Minha cunhada é uma delícia
A porta estava meio entre aberta, de onde eu estava dava pra escutar minha cunhada se contorcendo no colchão prá lá e pra cá, e o namorado dela virado pro canto.
Foi quando passei a acreditar em coisas do destino, lembrei dos seus pés me acariciando, mas não tinha mencionado a vocês, leitores, que havia sido sem querer, é ela não teve a intenção de fazer aquilo, ela até falou com os outros na mesa, todos levaram na brincadeira e até fizeram piadinha.
Mas fiquei lá deitado e pensando naquilo e nela, ela não saia da minha cabeça.
Nós dois estávamos na mesma situação, minha cunhada doida querendo, e o namorado dela nada, só roncava. Meu coração começou a bater mais forte, vieram milhares de ideias malucas na minha cabeça, imaginei minha mão deslizando naquele corpo maravilhoso, foi quando não aguentei mais.
Me levantei fui até a sala, ligeiro como um gato, me abaixei bem perto do colchão, levei a mão por baixo do lençol, de repente toquei alguma coisa estava escuro não dava para enxergar direito, mas tive a sensação que era bem o meio da bunda, levei a mão bem por baixo do vestido e puxava-o para cima bem devagarzinho, nossa que bundinha deliciosa, toda durinha meus dedos se enterravam subtilmente naquele reguinho, senti sua calcinha fio dental toda enfiada, sentia os pelinhos parecia estar toda arrepiada, quando eu já tinha um dedo tocando sua xoxota, na vontade louca de despi-la de uma vez fiz um movimento mais brusco para tirar a calcinha de lado, e meter o dedo naquela bucetinha suculenta, ela se contorceu, e deu um gemido…
Na hora eu até pensei que ela estava acordada desde o começo e estava até gostando.
Mas deu tudo errado ela resmungava alguma coisa, me assustei, vi que ela estava se levantando, entrei em pânico meu coração disparou, parecia que ia saltar pela boca, na hora eu pensei: “Onde eu tava com a cabeça”.
Depressa antes que ela acendesse a luz, eu voltei para o quarto, não podia fazer um mínimo ruído, virei pro canto fingindo estar dormindo, e esperei pra ver o que aconteceria dali pra frente.
As luzes se acenderam, ela foi até seu namorado e o cutucou para acorda-lo, ele só rolou pro lado e continuou dormindo, e eu atento a tudo o que se passava naquele momento, percebi que ela se aproximou da porta do quarto onde eu estava espiou pelo vão da porta, se virou e foi até o banheiro, naquela hora eu pensei em ir atrás dela e pedir desculpas, cheguei a me levantar, mas com medo de piorar as coisas, eu hesitei, quando ela já retornava pra sala, do meio do corredor ela me viu lá em pé plantado na porta do quarto, e perguntou:
– Que cara é essa?
E eu todo sem jeito respondi:
– Nada não, é sono!
Disfarcei e fui até o banheiro também, fiquei lá um tempão, pasmo, não conseguia pensar em nada, ela me pediu que na volta apagasse a luz da sala.
Tomei coragem e fui de volta pro quarto, quando cheguei na sala para apagar a luz, me deparei com a cena mais incrível da minha vida, quase não acreditei. Minha cunhada deitada no colchão ao lado do seu namorado de costas para mim com o vestido levantado até os seios, e sem calcinha, fingia estar dormindo, parecia estar escrito: “me fode” no seu rostinho lindo. A vida é generosa demais comigo, foi o que eu pensei naquela hora.
Mais do que depressa eu apaguei a luz, e cuidadosamente fui me aproximando, me deitei com ela, segurei seu queixo, e dei o melhor beijo que consegui naquela boca carnuda, mordi seus lábios bem forte, e comecei a enfiar meu pau naquela bucetona deliciosa, com movimentos bem suaves para não acordar o chifrudo bem do nosso lado, foi uma sensação de alivio, e prazer ao mesmo tempo parecia estar delirando, minha boca enchia de água, deu vontade chupar ela todinha, sussurrei em seu ouvido qual era minha intenção, ela respondeu com uma mordidinha no meu lábio.
Me virei e ficamos numa posição parecida com a Meia Nove, me lambuzei meu rosto todo, ela estava toda molhadinha, e eu fazia questão de engolir aquele caldinho gostoso da xoxota dela.
Quando parecia que não dava pra ficar melhor, na hora que voltei a fudê-la com meu pau duro feito aço eu bombava bem no fundo, dava vontade de enfiar até as bolas, foi quando ela segurou meu pau bem forte com uma de suas mãos, puxou para cima, deslizou-o em toda sua bunda, e colocou devagarzinho em seu cu, pareceu adivinhar que eu estava quase gozando, foi a gota d’água, poucas bombadas e eu enchi seu cuzinho de porra, gozei igual um cavalo, afinal agente não devia demorar muito, estávamos dando sopa pro azar.
Foi uma das melhores coisas que já me aconteceu. Minha cunhada sempre me despertou um tesão enorme por ser um pouco mais velha do que eu, apesar de ter apenas 23 anos. Foi assim que fodi a minha cunhada, aquele tipo de mulherão, amo muito.
Acreditem essa é uma história verídica, algumas modificações eu confesso, mas poucas, de qualquer jeito foi uma delicia de experiência!

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
1 comentario
  1. .eu diz:

    Esse namorado dela e otario menmoo

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>