Seres pequenos na Buceta

Estava eu em meu quarto com dois problemas: insónia e tesão. Fazia um calor do caralho e deixei as janelas abertas, já que moro num sobrado e, beleza. Impossível alguém me ver pelada na cama me masturbando com Tabby (meu ursinho de pelúcia). Que tesão do caralho!
De repente, por uma das janelas do meu quarto entra, assim bruscamente um mini disco voador, semelhante a um mamão, te liga?

Que fantástico! Ele bateu bem no espelho da penteadeira e parece que se espatifou. Meu tesão era tão grande que nem sequer me assustei. Acreditem se quiser e, se puderem acreditar: de dentro daquele disquinho voador saiu dois lindos boysinhos que, felizmente sobreviveram. Imaginem boys milicos do exército, mas em miniaturas. Capturei aquelas lindas miniaturas e medi: 28 cm, pode? Menores do que uma régua, certo?Seres pequenos na Buceta
Um deles era lourinho e o outro moreninho. Um mais lindo do que o outro, meu! Tinham medo de mim, é claro. Rasguei suas roupas sexys com minhas unhas e eles estavam morrendo de medo e vergonha de mim. Que físicos atraentes! Uma delícia de corpos em miniaturas.
Eu, pelada e com a xana estupidamente molhada de tanto tesão resolvi me divertir um pouco com eles. Com meus pés segurei o lourinho e enfiei o moreninho de cabeça na minha boceta. Me masturbei legal, depois meti o moreninho até ao fundo… Cacete! Acho que fiz besteira! O boysinho engoliu meu orgasmo e estava quase morrendo afogado. Foda-se!
Fiz o mesmo processo com o lourinho e pensei: “Como são frágeis!” O lourinho até desmaiou.
Dei um banho nos dois debaixo do chuveiro e finalmente voltaram ao normal.
Pensei que meu orgasmo tinha matado os dois! Ao mesmo tempo fiquei revoltada com a fragilidade dos dois que os coloquei dentro dos meus ténis batidões…

– Meus ténis estão bem quentes boysinhos do espaço. Frio vocês não vão passar.
Eles falavam qualquer coisa um para o outro mas eu não entendia porra nenhuma!
Imaginei até que estivessem pedindo socorro, sei lá. Inacreditável! Ficaram quentinhos dentro dos meus ténis, meu!
Judiei um pouco deles por puro prazer e sacanagem mesmo. Calcei um dos meus ténis mas cuidei para não machucá-los. Tirei eles de lá de dentro e esfreguei minha xana hiper molhada em seus corpinhos…
– Vocês são meus, sabiam?
Que gozada deliciosa! Deixei eles bem molhadinhos com meu orgasmo. Na sequência, usando um dos cadarços dos meus ténis amarrei os dois num dos pés da penteadeira e, finalmente adormeci. Meia hora depois acordei e brinquei com eles mais um pouquinho.
Mais um orgasmo delicioso! Pensei: “Eles agora são meus prisioneiros e posso fodê-los a hora em que eu bem quiser”.
Fechei a janela do meu quarto para ter a certeza de que durante a noite eles não fossem fugir e finalmente adormeci. Até então, eu já estava satisfeita.

No dia seguinte, que decepção! A janela do meu quarto estava aberta! Sumiram disquinho e minhas miniaturas! Mas, como?! Eu não sonhei isso! Tenho certeza e prova disso está no espelho da penteadeira quebrado! Meu cadarço fora do ténis, as janelas abertas. Que ódio! Como conseguiram arrumar aquele disquinho espatifado, abrir a janela e fugirem! Odeio tudo o que é pequeno, agora. Seres pequenos, nunca mais.

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>