Sexo Matinal

Mais Um relato Erótico enviado à Coelhinha:

É bem cedo.
Acordo devagar, sinto a perna dela, quente, encostada na minha. Ela de lado, eu me encaixo, conchinha, 22.
É aquele acordar de olhos fechados, sentindo pelo tacto.
Eu nu, ela só de camiseta.
Abraço, a mão sobe aos seios, e vou acordando excitado. O pau encostando na bundinha dela, vai se encaixando, esse contacto de pele excita mais, vai deixando ele mais duro.
Pego ele e coloco direitinho atrás, ao longo da xaninha, a cabecinha lá no ponto. Acaricio os seios, ela vai acordando. Ouço um “hummm” baixinho.
Mexo só o pau, dando aquele “pulso” nele. Ele cutuca, de leve a xaninha. Vou fazendo isso, ficando mais e mais excitado. A minha mão acariciando o seio dela.
Ainda estou de olhos fechados, e ela acordando, mexendo a bundinha. Empina para trás, mexe gostosinho. Vai ficando molhadinha, a cabecinha escorregando nela, pincelando ela, querendo entrar.sexo matinal
Pego ele e ajeito, a cabecinha encaixa, entra um pouco. Ela gosta, empina mais, mexe, rebola devagar.
Entra a cabecinha, delícia.
Os olhos ainda fechados, o corpo todo sentindo. Mexendo, gostoso, ele entrando, ela sentindo, molhada.
Escorrega para dentro, quente, sai um pouco, reboladinha. Ouço aquele gemido baixinho, gostoso, a respiração começa a aumentar o ritmo. Minha esposa acordada, mas de olhos fechados. Os dois ainda no escuro, mas o corpo todo aceso, acordado, que tesão.
Ficamos assim, encaixados, de ladinho metendo gostoso por trás, mas não atrás. Ela mexe mais rápido, empina mais, entra mais. Fica bem dentro, agora só rebolando, sentindo. Ficamos assim nesse ritmo, sentindo tudo de bom que uma penetração tem. Uma entrega, o corpo mexe ao sabor da metida, ao sabor do contacto, ele duro-duro, sentindo ela molhada-molhada, quente, deliciosa.
Eu já quase segurando para não gozar, delirando, sensação doutro mundo.
Ela diz baixinho: “não pode, segura”. A pílula dela foi trocada, é perigoso gozar dentro da xaninha. Ela mexe mais rápido, “segura”, eu seguro, ela respira alto, “ai! ai!…”, ela para, fica sentindo ele, eu sentindo ela me apertando, xaninha pulsando. Ela vai com a mão por trás, pega meu pau e sobe um pouco ele, coloca a cabecinha no buraquinho de trás. Delícia, indescritível – adoro isso. Ela encosta a cabecinha no cuzinho, tudo molhado, escorregando. Força um pouquinho, apertado, entra de leve. Eu forço um pouquinho mais, sinto a pressão, delícia demais.
Pergunto: “tá doendo?”. “Não, tá gostoso”, ela sussurra. Entra mais um pouco, gostoso, quente, apertado. Ela rebola um pouquinho, ele dentro. Minha mão do seio desce na xaninha, sente ela molhadíssima.
Rebola, mete, entra, delírio. De ladinho, por trás e agora atrás.
Cuzinho gostoso, eu digo: “delícia, bundinha gostosa”. Ela geme gostoso, baixinho, “ai… ai…, vai…”.
Eu meto mais, já não aguento, expludo num gozo intenso, gostoso, longo.
“Ahhh, ahh…” – gemo, ela geme, gememos.
Encaixados, ele ainda lá dentro, espamos…
Abraço mais apertado, todo o corpo sente. O ritmo vai diminuindo, a respiração voltando ao normal. Corpo relaxando, se recuperando. Ainda encaixados, meu pau ainda dentro, vai diminuindo.
Paz, silêncio, soneca vem.
Ouve-se barulhos no outro quarto, deve ser o filho acordando.
Soneca, gostosa, agarrada, grudada. É por isso que tanto se fala que é gostoso dormir de conchinha?
Mais barulho – “mãeeeee!”. O filho acorda. O corpo vai acordando.
Levantamos, ela vai ao banheiro.
Mais um dia vai começar.
incontri online

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
4 comentários
  1. lu diz:

    sempre adorei começar o dia aos gemidos, mas depois que começou uma obra ao
    lado de nosso predio fiquei ainda mais empolagada, pois os pedreiros começam a
    trabalhar bem cedinho e o barulho da obra enquanto estou transando me excita
    mto, gosto de entrelaçar meu marido com as pernas ficando com os pés pro ar e
    peço pra ele penetrar aconpanhando o som das marretadas dos pedreiros, minha
    nossa no final dou aquele berro matinal que já virou uma uma coisa banal. Saio
    deliciada de casa. ë otimo

  2. o gostoso diz:

    Achei muito legal, envolvente parabens!!!!

  3. kleber diz:

    Nossa, é maravilhoso uma trepada ao amanhecer tipo 4, 5 da manhã. Dormimos sempre encaixados, ela encosta a bunda em mim e roça, me convidando. Ás vezes acabamos trepando logo ao dormir, mas o que mais gosto é acordar ainda de madrugada e sentir a sua bunda quente, ela dorme sem calcinha e meu pau duro não tem nenhuma dificuldade em entrar na sua raxa gulosa. Ela roça gostoso a bunda em meu pau e aos poucos vai deixando a pica entrar na sua xana molhadinha doida por pica. Minha mulher adora foder e já se acostumou a trepar logo cedo. Ás vezes ela também pega meu pau depois de gozar em sua buceta e vai ajeitando no rabinho e me diz ao ouvido: Ele também quer participar da festa, rsrsrsrs. O que ela adora também é ser chupada e abre as pernas e me pede para chupar seu grelinho gostoso. Não perco tempo e chupo guloso toda a sua xoxotinha com aquele cheiro suave de mijo que eu adoro. Por incrível que pareça, esse conto se parece muito com o que acontece com agente, é como se eu ou ela tivéssemos escrito. Parabêns, adorei

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>