Sexo pela noite dentro

Tudo começou quando numa noite de sábado as 0h de madrugada saia das bombas de combustível, parei na roulotte para comprar um hambúrguer, e assim fui interpelado por uma gatona, toda grandona quando subia no carro, teceu elogios sobre mim e perguntou se eu não estava afim de dar uma volta, logo que vi as pernas dela grossas a brilharem na noite, aceitei de imediato, sorte ou azar embarquei naquilo não perdia por nada.
Fomos a uma praça nocturna onde consumimos algumas cervejas e conversamos sobre o assunto do sexo ocasional, enquanto isso a minha mente só pensava em agarra-la, e o meu pau já estava Durão, fomos a vários motéis, encontramos tudo cheio…
Enquanto conduzia ela amassa geava o meu pau por cima das minhas duras jeans, e o meu pau já estava todo molhado, parei o carro no portão de uma vivenda abandonada à beira da praia, fomos ao banco de trás e começamos a nos acariciar, surpreendi-me com a tesão dela porque pegou na minha mão colocou a cueca de lado(estava de uma mini saia)e colocou na vagina, que eu encontrei toda molhada. Enterrei um dedo e ela delirando pediu para colocar os dois.Sexo pela noite dentro
Estava a sair tanto esperma daquela buçeta que ate dava para encher uma chávena, de repente ela atira-me para o banco, e naquele espaço apertado, ela fica em frente de mim de quatro, ela desaperta minha calça ,e mete com mestria o grosso caralho na sua boca, eu delirei de prazer pois ela sabia o que fazia, nesta altura procuro com as mão a rata dela e enfio novamente os dedos, tiro a cueca dela, desaperto a blusa, faço subir a saia ate a cintura, a coloco de quatro, naquele banco, a penetro de traz e ela delirou de prazer…
Puxei o cabelo dela enquanto remava com muita força, ate ela gritar de prazer e dor ao mesmo tempo, estava muito quente dentro do carro, sai e porque ela tinha temor de sair, com a porta aberta deitou de costa no banco e abriu-se toda para mim…
Ver aquelas pernas compridas e grossas me enlouqueceram a penetrei mais uma vez e senti que o meu caralho chegou ate ao fundo daquela buçeta cremosa pois ela gemeu, comecei com movimentos lentos, e fui acelerando enquanto as minhas mãos pegavam nos mamilos, sentia que estava a me vir, então a agarrei no pescoço enquanto praguejava, e lhe dava galhetinhas na cara, e ela suada pedia para a foder e a estragar a vagina dela porque era toda minha, chamei-a de puta e me vim com um grito enorme de leão, ai como foi bom…
Nesta altura surgiu uma luz de carro na nossa direcção, dei a volta entrei meti a boxer, e antes mesmo de chegar ao nosso alcance, arranquei o carro, enquanto conduzia ela passou para o banco de frente e tirou o caralho ja mole, e colocou ate aos colhões na boca ficou quentinho e foi chupando e ele foi crescendo, quando chegamos ao portão dela eram três da manha, ela levantou a saia, eu voltei o banco pra traz e baixei e ela sentou no meu caralho novamente e começou a cavalgar com tanta força, confesso que ate doía a bexiga, mas essa eu conto na próxima porque apareceu o pai dela…..

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>