Só para uma noite de sexo

Estávamos em Janeiro, sempre detestei essa altura do ano… Estava frio e não apetecia muito andar na rua, resolvi passar o sábado todo em casa, na Internet a navegar por sites ao acaso… (nestas alturas o que gosto mesmo de fazer é meter-me na cama com uma bela companhia e roçar a minha ratinha até mais não….) Entrei numa rede social e adicionei alguém no msn (naquelas contas que temos sempre para umas aventuras e besteiras).
O rapaz, não tinha rosto, ou seja não tinha fotos no seu perfil e como tal não fazia a mínima ideia de quem era, se era feio, bonito, gordo ou magro, mas também isso não me incomodava, a minha única foto, no meu perfil também não era uma foto real minha, era uma imagem de uma diabinha… portanto estávamos no mesmo pé…. sem saber nada, um do outro….
O meu perfil dizia que tinha 30 anos e no dele dizia 28…. nunca saberei se era verdade, até porque se eu na realidade tinha 22 ele também podia perfeitamente estar a mentir…
Começamos a conversar de coisas banais, nenhum dos dois quis saber grande coisa sobre o outro… não houve pedidos de identificação, de fotografias nem de web cams ligadas…. e assim a conversa evoluiu até ao sexo… e quando estamos incógnitos é muito mais fácil nos libertarmos… até que a dada altura ele me disse: o que achavas se alguém te propusesse encontrar-se contigo só para uma noite de sexo??
A Coelhinha pediu para ele se explicar melhor…. e o Sr.XXX (de quem ainda não sei o nome) propôs-me assim uma noite de sexo , num hotel a meu gosto, com uma simples condição: Não nos poderíamos ver…. íamos foder completamente no escuro….
Quando li aquilo comecei a ficar inquieta, é que a proposta agradava-me imenso, mas era complicado ir encontrar-me com um desconhecido e foder com ele sem saber a minima coisa a seu respeito….
No entanto passado uma meia hora de conversa e discussões foi precisamente esse o motivo que me levou a aceitar a proposta… o desconhecido e a sensação de só sentir sem nunca ver…. 😉
Telefonei à menina A. uma amiguinha minha que trabalhava na recepção do Hotel XXX no Porto. Falei com ela, contei-lhe em linhas gerais o que pretendia fazer… Queria que ela estivesse na recepção no dia marcado, afinal de contas ía ter um encontro completamente às escuras!!!!!
O dia foi combinado pela internet, indiquei-lhe o hotel que pretendia e ele assentiu. Disse-me que ia chegar primeiro, esperando-me já no quarto quando eu chegasse… Concordei, pois assim já saberia pelo menos se devia subir ou não, afinal de contas a minha amiga ia atende-lo na recepção.so para uma noite de sexo
Quando passado cerca de uma semana entrei no Hotel, vestia um casaco de cabedal quase até aos pés, calçava umas botas, e por baixo trazia somente umas meias, (daquelas que eu adoro, que são meias e cinto de ligas ao mesmo tempo) nada de sutien, nada de fios, nada de anéis, absolutamente mais nada….
Dirigi-me à recepção, a menina A. olhou-me e riu-se, disse-me que tinha indicações de uma menina que ia chegar e que devia mandar para o quarto XX, claro que a menina era aqui a Coelhinha…. 😉
Fiquei apreensiva na hora de subir, mas a menina A. disse-me a brincar se eu não fosse iria ela mesmo no meu lugar, e que não tivesse problema porque se o interior fosse como o pacote eu não me ia arrepender…. :)
Subi, passei a chave na porta do quarto, ela destrancou e eu entrei… estava completamente ás escuras, fechei a porta atrás de mim e não sabia para onde me dirigir… ele já conhecia o quarto, mas eu não!!!
Nesse momento ele disse baixinho: tem calma, eu vou buscar-te, e quando dei conta fui tocada num braço e agarrada pela mão…. o Sr.XXX dirigiu-me para um sofá e disse-me: podes tirar a roupa se quiseres…
Enquanto tirava o meu casaco e me descalçava completamente ás escuras pensava em como seria o dono daquela voz rouca e suave ao mesmo tempo…
Quando me virei e empanquei nele a primeira vez percebi que era alto, as minhas mãos tocaram na sua cintura e o meu rosto ficava perto do seu peito, passei as mãos ao de leve pelo seu corpo, e ele fez o mesmo no meu, depois agarrou-me pela cinta pegou-me ao colo e eu entrelacei-me nele, transportou-me de vagar para algum lado, deu alguns passos e parou… pousou-me de leve na cama, eu estendi-me rendida aquele desconhecido e ele começou a beijar-me o corpo todo, começou mesmo nos meus pés, por cima das meias, percorreu as minhas pernas e veio pousar um beijo mesmo na minha ratinha…. era o máximo estar a sentir tudo ao limite, sem ver, sem ter a noção do que viria a seguir….
Aproximou a cara do meu ouvido e disse baixinho: não te vejo, e tu não me vês, mas consigo sentir o desejo da tua coninha…
Agarrou-me as mamas com as duas mãos e começou a lambe-las, chupou os meus biquinhos rijos e mordia-me, depois de repente levava a mão molhada (provavelmente na própria boca) à minha coninha e enterrava os dedos por ela a dentro… ficava ali naqueles movimentos de vai-vem enquanto me coçava o grelinho e me dizia ao ouvido que me ia foder todinha….
Passado algum tempo, levantei-me e tentei apalpar o seu caralho, quando o encontrei, ele estava enorme, era uma rola muito grossa nas minhas mãos…. adorei tocar-lhe, adorei abocar aquele pedaço de carne enorme, enterrei-o bem até ao fundo, o mais que pude na minha garganta, ele agarrou a minha cabeça e começou a foder a minha boquinha….
Em menos de nada estávamos num valente 69, e eu de cona completamente aberta em cima da cara dele a ser esfregada por aquela língua magnifica…. comecei a imaginar o que seria estar a ver-me a um espelho a ser assim lambida de quatro…. não aguentei e vim-me bem na sua boca, ficando com a coninha totalmente molhada…. é que ser chupada e lambida daquela maneira não era fácil segurar-me….
Depois fui “arrastada” pela sua mão, fez com que me pusesse de pé e dirigiu-me ao que eu imaginava ser uma parede, mas que afinal, depois de tocar percebi ser um espelho enorme, daqueles que revestem os guarda fatos…. virou-me de costas e colou-me contra ele, e eu ali com as pernas ainda a tremer do valente orgasmo que tinha tido encostava as minhas maminhas naquele espelho frio, que me fazia de novo os biquinhos duros….
O Sr.XXX atrás de mim, dizia-me: agora vais levar nessa coninha, vou enterrar-to bem fundo nessa rata molhada e vais gozar outra vez…
Senti-o rasgar o papel de um preservativo, e não sei bem como colocou-o às escuras rapidamente, porque em menos de nada enfiou o caralho pela minha cona a dentro…
Começou a foder-me com força, dava estocadas cada vez mais fortes e eu comecei a gemer que nem uma cadela, ele obrigou-me a empinar o meu rabinho e agarrou-me as mamas para me foder com mais força ainda… passado algum tempo começou a bater-me no rabo enquanto me dizia: agora minha linda vais-te vir de novo enquanto tentas imaginar o que verias nesse espelho se houvesse luz cá dentro…
Levei os dedos ao meu grelinho e comecei a coça-lo enquanto era fodida por aquele desconhecido invisível e imaginei….. imaginei loiros, morenos, velhos, padres, camionistas,…. enfim imaginei um monte de caras para ele que naquele momento não tinha nenhuma….
Comecei a ficar louca de novo e não me aguentei muito mais… o segundo orgasmo veio ainda mais forte que o primeiro fazendo-me soltar um valente: háaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa fodaseeeeeeeeeeeeeeeee……
Segundos depois ele saiu de dentro de mim, ouvi-o sacar o preservativo rapidamente e veio-se bem em cima das minhas costas e do meu cuzinho….
Depois pediu-me para ficar no quarto, e tomar um banho, que ele sairia na frente…. e a Coelhinha assim fez… ele vestiu-se na escuridão total e quando o senti dirigir-se à porta disse-lhe: Obrigada, senhor das mil e uma caras…. Ele respondeu-me: Se calhar escolhi mal a pessoa… se nos víssemos talvez gostássemos ainda mais….
Quando abriu a porta e eu vi a luz bater-lhe, mesmo de costas deu para perceber que era um menino e tanto, a cara essa nunca a vi….
Mais tarde, vim a saber pela menina A. que afinal ela conhecia o Sr.XXX de vista, e sabia que era enfermeiro no Hospital X nos arredores do Porto.
A Coelhinha não quis saber mais nada, a experiencia tinha sido fantástica e saber quem ele era iria estragar tudo completamente….
Passado uns meses estive nesse hospital a visitar alguém, e em cada enfermeiro jovem que passava, a Coelhinha olhava a tentar imaginar qual daquelas bocas teria levado o meu liquido quentinho…. 😉

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
9 comentários
  1. malaquias diz:

    Mais um bom conto! Parabéns! 😀

  2. malaquias diz:

    É um assunto que gosto particularmente. Sou uma pessoa de mente aberta, que quando está no acto própriamente dito, não gosta de tabus!

    :)

  3. malaquias diz:

    Acredita que, também tenho umas boas histórias, veridicas..

  4. Mr. Ray diz:

    vc conta muito bem suas histórias…

    essa aí então, foi a melhor de todas que já li!!!

    espero que continue escrevendo…

    abraços.

  5. figura diz:

    iai coelhinha quando e que vai da certo ni

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>