Tornando me Corno – Parte 1

Mais um dos relatos eróticos enviados à Coelhinha:

Me chamo Júlio e tenho uma linda namorada chamada Camila. Ela é linda. Morena, 1.70m, 56kg bem distribuídos por um lindo corpinho
todo malhado de academia. Por onde ela passa, sempre percebo a atenção dos homens voltadas para ela. Não posso culpa-los. Se estivesse
no lugar deles também faria o mesmo.

Camila sempre foi meio mandona e acostumada a ter as coisas do seu jeito. Nunca fui de discutir e questionar os desejos dela, pois me
achava um cara privilegiado em tê-la como minha namorada. Ela sempre me dizia que eu era o cara certo para cuidar dela. E que estava
contente em me ter ao seu lado.
As vezes achava ela mandona demais, sempre decidindo tudo que fazíamos. Mas sabia que ela era daquele jeito e eu até que gostava de
cumprir suas ordens. Ela decidia tudo: Onde íamos, com que pessoas, horários, etc. As vezes ela até decidia para mim que roupa eu deveria
vestir em certas ocasiões. Sem nunca acatar suas decisões, eu sempre acabava obedecendo minha bela Princesa. Sempre fui um cara calmo
e tranquilo e me achava com muita sorte ter uma mulher daquelas do meu lado.fodendo minha mulher
Num certo final de semana, Camila decidiu fazer um almoço em sua casa e me chamou para ir mais cedo para preparar as coisas, já que seus pais tinham ido viajar e a empregada estava de folga naquele dia. Dizia que seria um almoço especial e que talvez um amigo dela da época da faculdade aparecesse por lá também.
Achei estranho ela nunca ter mencionado esse amigo antes mas achei que não era o momento de perguntar nada. Em outra ocasião eu conversaria com ela.
Cheguei na casa dela por volta das 10:00, conforme ela tinha mandado. Chegando lá ela me abraçou e me beijou, dizendo que eu era super prestativo para ela e que eu sabia muito bem cuidar das coisas que ela precisava. Me sentia realizado quando ouvia minha Princesa dizer aquelas coisas para mim. Era a pessoa mais importante do mundo para ela e isso me deixava orgulhoso.
Antes de ir para o banho para começar a se arrumar, Camila me passou uma lista de algumas coisas que faltavam para comprar e disse que tudo aquilo precisava estar pronto em 1 hora no máximo, pois seu convidado estava chegando. Fiz as compras e depois fui para a cozinha terminar os últimos detalhes de nosso almoço.
Quando ela saiu do banho e foi até a cozinha verificar se estava tudo em ordem, não pude acreditar no que vi. Ela estava vestida somente de calcinha e uma camisa longa, sem sutiã por baixo. Fiquei de pau duro só de vê-la daquele jeito, praticamente nua e toda perfumada.
Quando cheguei perto dela para lhe dar um beijo, ela me segura e diz:
– “Não amor! Isso não é hora. Nosso convidado daqui a pouco está aqui. Devemos nos comportar e dar um bom exemplo, você não acha?”
Fazendo uma cara de decepção e ao mesmo tempo muita vontade, concordo com ela, dizendo:
– “Claro amor. Você está certa. Quem sabe depois do almoço ficamos mais a vontade né?”
Ela rindo, diz para mim:
– “Se você se comportar como um bom menino hoje, quem sabe mais tarde.”fodendo minha mulher
Sem me deixar dizer mais nada, ela me dá uma ordem inesperada.
“Amor, acho que já está na hora de você vestir o Avental. Não quero que nosso convidado veja você de qualquer jeito.”
Com cara de espanto, pergunto a ela:
– “Avental? Mas…..”
Sem terminar a frase, ela me corta e diz logo em seguida.
– “Claro amor. Quero que você fique bem alinhado e seja cordial com nosso convidado. Não quero que ele te veja todo desarrumado. Você quer?”
– “Não mais…”
– “Amor não discuta, por favor! Você sabe que eu não gosto de ser contrariada, não sabe?”
– “Sim amor, mais…”
– “Nada de mais! Agora veste o Avental e me traga um drink na sala. Vou ficar lá assistindo TV e aguardando o Carlos chegar. Entendido?”
– “Claro, amor”
– “Óptimo. Estou na sala aguardando meu drink. Não demora.”
Não querendo discordar e nem decepcionar minha Princesa, eu visto o Avental da empregada, para a alegria dela. Quando entro na sala com seu drink em uma bandeja ela muda o tom de voz, dessa vez falando bem mais calma e sorridente comigo.
– “Que lindo amor! Você se encaixou perfeitamente nesse avental. Acho que você nasceu para essas coisas, sabia? Nossa, ficou bom mesmo. Estou orgulhosa de você agora!”
Ela termina a frase dando uma risadinha bem safada para mim. No fundo ela sabe que eu não posso resistir aos seus desejos.
Volto para a cozinha e continuo com o almoço.
A campainha toca. Não poderia ser outra pessoa a não ser Carlos, o amigo tão esperado dela. Volto para a sala e vejo minha namorada ir até a porta vestida daquele jeito, pronta para excitar qualquer homem que a visse. Pensei em chama-la antes para perguntar se ela não iria se trocar mas não deu tempo.
Ao abrir a porta, minha namorada dá um grito de surpresa e alegria ao ver seu amigo Carlos.
– “Oi Carlinhos!!! Quanto tempo meu amor! Nossa, pensei que nunca mais ia te ver.”
– “E aí gata ! Nossa, você continua maravilhosa como sempre hein !”
Os dois se abraçam sensualmente. Vejo a mão de Carlos descendo pelo corpo de minha namorada, sentindo ela completamente grudada em seu corpo.
Ela, por sua vez, fica na ponta dos pés com seus braços ao redor dele, abraçando-o com os olhos fechados me parecendo que não queria mais sair
dali.

Finalmente quando voltam a si, Camila pega em sua mão e pede a ele para entrar. Nisso, eu volto para a cozinha e aguardo Camila me chamar.
– “Entra amor. Quero que você conheça o Júlio, meu namorado.”
– “Tem certeza de que não vai ter nenhum problema?”. Ele pergunta.
– “Imagina paixão!!! O Júlio adora conhecer meus amigos. Nunca escondi nada dele. E você sabe que nós temos uma amizade especial né? Quero dividir isso com ele. Fica tranquilo.”
– “Ok. Vamos nessa!”
De repente, escuto a voz da minha amada me chamar.
– “Querido, vem para a sala. Quero te apresentar meu amigo Carlos”.
– “Oi amor. Já estou indo”.
Quando entro na sala, me deparo com Carlos, seu amigo dos tempos da Faculdade. Moreno alto, corpo atlético e muito saudável. O tipo de cara que qualquer menina gostaria de sair por aí.
Me aproximo dele vestindo avental e fico imaginando o que ele pensaria de mim naquele estado.
– “Olá Júlio. A Camila me falou muito de você. É um prazer conhece-lo.”
– “Olá. Muito prazer. A Camila sempre me disse que tinha vontade de rever os amigos da Faculdade. Principalmente você.”
“Pois é. Eu e a Camila sempre fomos muito amigos. Você é um cara de sorte por ter uma mulher tão bonita ao seu lado.”
– “Obrigado.”
Camila interrompe a conversa e pergunta se seu amigo está à vontade?
– “Você está com fome? Quer beber alguma coisa?”
– “Eu aceito uma cerveja.”
– “Claro, porque não?”
Dito isso, Camila olha para mim e diz… “Querido….. traga uma cerveja pro Carlos e outro drink pra mim.”
– “Claro querida.”
Antes de sair, percebi minha namorada sorrindo e olhando para Carlos, com ar de quem estava no total comando da situação.
Os dois deram um breve sorriso e sentaram no sofá.
Fui para a cozinha preparar suas bebidas. Na minha cabeça haviam muitas perguntas que precisavam ser respondidas por minha namorada.
Mas achava que ali não era o momento. Eu tinha receio de que pudesse estragar esse almoço que ela aguardava há tanto tempo e poderia ficar brava comigo na frente de nosso convidado. Seria uma enorme vergonha para mim.

Depois de preparado o drink de minha amada e a cerveja do Carlos, me dirijo até a sala, para servi-los. Sempre vestindo o avental que minha querida Princesa fazia questão que eu vestisse, ficava pensando o que Carlos poderia estar imaginando ao me ver vestido daquela forma, servindo eles como se fosse a empregada da casa. E não o verdadeiro namorado de Camila.
Carlos agradeceu a cerveja e não tirava os olhos do corpo de Camila. Camila estava sentada no sofá de frente para ele, com a camisa semi-aberta e seus seios enormes quase para fora da camisa. Suas pernas torneadas e coxas grossas estavam quase que totalmente visíveis a ele. Conversavam muito e matavam as saudades da época da Faculdade. Não conseguia participar de nada pois não conhecia Camila naquela época e não me sentia à vontade para interromper. Fiquei presenciando a conversa deles, sem falar nada.
“Querido…. você nem imagina… mas o Carlos era o garanhão da Faculdade. rs. Todas as meninas queriam ficar com ele. Você acredita?”
Camila disse isso para mim, mas sem tirar os olhos de Carlos, que já estava se sentindo constrangido com minha presença ali.
Carlos responde timidamente para ela:
– “Que nada. Você está exagerando.”
– “hahahah. Pode falar a verdade Carlos. Você sabe muito bem do que eu estou falando.” Camila responde, ainda sem tirar os olhos de Carlos, que ficava cada vez mais constrangido com minha presença. Camila continua:
– “Nem sei como eu consegui namorar você naquela época. A concorrência era bem grande. rs”
Fiquei surpreso com a declaração, pois não fazia ideia de que Carlos já tinha sido namorado dela. Carlos ficou vermelho ao ouvir aquilo, mas de alguma forma ele começou a entrar no papo dela.
“Eu é que não sei como consegui namorar você naquela época. Você era uma das mais lindas da Faculdade.”
Camila percebeu que o papo estava começando a esquentar e que minha presença ali não era bem-vinda. De repente ela vira para mim e diz:
– “Querido… você já terminou de preparar nosso almoço?”
– “Sim querida. Já está tudo pronto como você pediu.”
– “Esqueci de perguntar ao Carlos se ele já está com fome. E então Carlitcho? Já está com fome?”
– “Ainda não. Costumo almoçar um pouco mais tarde. Espero que não seja problema para vocês.”
– “Mas é claro que não!” – Camila responde. “Podemos almoçar a hora que você quiser. Você é o convidado, você decide. Fique tranquilo.”
Carlitcho!? Jamais pensei que minha namorada fosse ter tanta intimidade com alguém assim. Principalmente na minha frente. Sentindo que minha presença ali não estava deixando nosso convidado à vontade, Camila dá um jeito de se livrar de mim.
– “Querido, vc fez aquela sobremesa maravilhosa que eu adoro?”
– “Não amor. Você não me disse nada.”
– “Então faz o seguinte…. vai para cozinha e começa a fazer.”
– “Mas amor… aquela sobremesa demora até ficar pronta. Vai levar mais de 1 hora.”
– “Ué… você não ouvir o Carlos dizer que não está com fome agora?”
– “Sim, ouvi mais…”
– “Sem mais nem menos ! Você não quer deixar nosso convidado sem sobremesa né?”
– “Claro que não amor.”
– “Muito bem. Portanto… mãos à obra querido. Já para a cozinha! E só volte quando estiver tudo pronto.”
– “Claro querida.”
Com a cara de espanto de Carlos, ele agora não tinha dúvidas de quem comandava nosso relacionamento. Minha própria namorada, na sua frente, semi-nua, me fazia de empregada doméstica e me humilhava.
Fui para a cozinha preparar sua sobremesa predilecta enquanto os dois ficaram na sala, sozinhos e mais à vontade do que nunca.
Enquanto preparava nossa sobremesa, comecei a escutar alguns risos de Camila, acompanhados de pequenos suspiros.
De início pensei que não fosse nada e resolvi continuar com meus afazeres. Enquanto fazia nossa sobremesa, não me saia da cabeça todas as perguntas que eu precisava fazer à ela.
Por que ela estava tão estranha comigo? Por que não me deixava ficar junto com eles na sala? Será que ela estava zangada comigo por algum motivo?
Passados uns 30 minutos, me dei conta de que não escutava mais vozes e nem risadas vindo da sala. Resolvi dar uma espiada bem de leve para eles não me verem. Foi aí que tive uma grande e inesperada surpresa.
Camila tinha tirado a camisa e estava só de calcinha, sentada no colo de Carlos de frente para ele. Ele estava sem camisa, com as duas mãos acariciando aquele bumbum maravilhoso de minha namorada. Os dois se beijavam e gemiam loucamente. Ela abraçava ele desesperadamente e quase não deixava ele respirar.
Quando ela parava de beijar sua boca, ele abocanhava seus seios, deixando ela mais louca ainda. Colocava uma das mãos para dentro da calcinha dela, e puxava o corpo dela de encontro ao seu. Camila estava louca de tesão. Nunca tinha visto ela se entregar tanto a um homem daquele jeito.
– “Ai meu amor….. que saudades dessa boca maravilhosa e desse corpo que tanto me fez falta !”fodendo minha mulher
– “Você continua o mesmo tesão de sempre minha Linda. Hoje quero você de todas as formas.”
Vendo todo aquele fogo entre os dois e ouvindo aquelas coisas…. confesso que não sabia o que fazer. Fiquei sem acção. Por um momento pensei que o Carlos tinha se aproveitado da situação para pegar minha Camila. Mas percebi que não era só ele que queria aquilo.
Camila estava em transe ! Naquele instante, nenhum dos dois deveria saber sequer onde estavam. Nada mais importava. Somente aquele momento de prazer que há muito tempo não acontecia.
Quando Camila se levantou de seu colo e começou a tirar a calcinha, decidi entrar na sala e tirar satisfações.
– “O QUE É ISSO CAMILA?! O que está acontecendo aqui?”
Camila olha para mim com um sorriso malicioso, ainda em transe com todo aquele tesão que envolvia o seu corpo, e diz para mim calmamente:
– “Me desculpe querido. Mas acho que você precisa saber de uma coisa…”

…….. Continua na Parte 2

Autor: Moreno_bxl@yahoo.com.br
Personagens: (Fictícios)
Namorada: Camila
Namorado: Júlio
Amigo da Faculdade: Carlos
incontri online

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
2 comentários
  1. carina diz:

    ONDE ESTÁ A SEGUNDA PARTE?

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>