Traição é bom e eu gosto!!!

Relato erótico da minha amiguinha, menina C.

A história que vou contar agora aconteceu quando eu tinha os meus 17 anos, na verdade não fui eu que traí ninguém nessa altura, pois nem sequer namorava, a traição não foi do meu lado mas sim do lado de quem se envolveu comigo.
Era inicio de Setembro e as aulas ainda não haviam começado, eu e a vóvó estávamos em casa a fazer doces quando o meu telemóvel tocou. Era alguém pedindo a minha companhia, um colega de um homem com quem eu já havia passado uma tarde de sexo…
Identificou-se como sendo o Sr. Ramos.
Para mim o nome era indiferente porque muitos deles nem o nome verdadeiro diziam. Eu também não dizia o meu, uma questão de preservar a identidade.
Eu já percebia isso perfeitamente na altura pois também não queria que ninguém soubesse o que eu fazia…
Quando recebia este tipo de telefonemas e estava perto da minha vóvó, fingia que eram as minhas amigas que estavam a ligar e afastava-me para poder falar à vontade. Assim, saí da cozinha e fui falar com o Sr. Ramos para o meu quarto. Ele falou-me que precisava descarregar o stress e que precisava de companhia para uma noite. Informou-me que essa noite seria passada perto numa casa de praia. Deu-me a direcção e eu disse-lhe quanto ia cobrar.
Ele concordou sem problema nenhum e ficamos de marcar o dia mais tarde.
Com essa idade, e eu morando com a minha vóvó precisava de preparar com antecedência as saídas, dizer que dormia em casa das minhas amigas e combinar com elas, não fosse a minha avó ligar a perguntar por mim.
No dia seguinte, o Sr. Ramos ligou e combinámos encontrar-nos na sexta feira à noite. Marcamos o bar onde ele me ia apanhar e até esse dia não falei mais com ele.
Na sexta-feira, saí de casa e disse à minha avó que ia com a menina S. a uma festa, que íamos chegar tarde e ficaria a dormir em casa dela. A minha avó conhecia bem as minhas amigas, e nesse tipo de coisas nunca foi chatinha, por isso com ela nunca havia problemas de sair, ou ficar fora de casa.
Eram cerca das 19:00 quando o Sr. Ramos apareceu no bar, ele sabia quem eu era, reconheceu-me de imediato, veio ter comigo e convidou-me a beber algo depois de se apresentar.
Vi então que o Sr. Ramos era um homem com cerca de 40/45 anos, talvez mais novo, mas como era relativamente gordinho acho que parecia mais velho. Estava vestido com um fato preto, e uma gravata cinza escura. Apesar de ser gordinho tinha uma cara bonita, um cabelo meio comprido muito preto que puxava para trás dos olhos de vez em quando com a mão…
Saímos do bar passado pouco tempo, e fomos para a casa dele de praia… Quando ele abriu o portão da entrada com o comando fiquei surpreendida… Era uma casa enorme, as luzes acendiam-se conforme passávamos e ele foi parar nas traseiras…
Saímos do carro e entramos em casa, era uma casa recente e lindíssima, mas dava para perceber que não era habitada diariamente.
Fomos para a sala, abriu uma garrafa de um licor qualquer e perguntou-me se queria beber um pouco para descontrair. Eu respondi-lhe que não. Então ele tratou de ir acender a lareira de copo na mão… Naquele momento percebi que ele estava mais nervoso do que eu!!! Se calhar nunca tinha feito uma coisa daquelas, pensei eu.traiçao e bom e eu gosto
Sentei-me no braço de um sofá, tinha um vestidinho preto de alças e umas sandalinhas calçadas. Não usava soutien, as minhas mamas grandes ficavam aconchegadas naquele vestido curto. Tinha uns ganchinhos no cabelo, uma maquilhagem leve na cara mas um batom bem vermelho nos lábios…
O Sr.Ramos olhava para mim com vontade de me agarrar e ao mesmo tempo com medo… Chegou perto de mim e passou uma mão ao de leve pela minha cocha acima até à minha coninha… esfregou os dedos na minha tanga, massajou-a por cima. Depois olhou para mim e disse-me:
- Podes dançar para mim? Adorava ver essas cochas e esse corpo maravilhoso a mostrar-se para mim…

Eu respondi-lhe que sim, e ele foi colocar uma musica bem suave no sistema de som que se espalhava pela sala.
Depois regulou as luzes para uma baixa intensidade e sentou-se numa poltrona afastada da lareira.
A luz do lume era quase mais forte que a luzes espalhadas pelo tecto…
Levantei-me e fui colocar-me em frente à lareira, virei as costas ao meu cliente e comecei a dançar levemente. Passava as mãos por todo o meu corpo, apalpava as minhas mamas por cima do vestido e a pouco e pouco fui baixando as alças e mostrando os bicos duros dos meus seios. Acabei por fazer deslizar o vestido até aos pés, depois afastei-o de mim e continuei a dançar. A minha tanguinha enfiada no meu rabo exposto aos olhares devoradores do Sr. Ramos…
Passado algum tempo a apreciar-me, ele levantou-se e veio ter comigo. Vinha de pau feito, via-se perfeitamente uma rola enorme a tentar furar as calças de tecido. Chegou ao pé de mim e falou baixinho:
- Tenho vontade de beijar a tua boca, de te beijar completamente, mas vou deixar esse batom vermelho para o membro que tenta sair fora das minhas calças…
Nessa altura percebi que ele queria que eu lhe chupasse o caralho com os meus lábios pintados de vermelho, que lhe lambuzasse a piça com batom.
Baixei-me e comecei a desapertar-lhe o cinto, as calças e soltei então o monstro que ele tinha entre as pernas… Um belo caralho, não muito comprido mas bem grosso. Peguei nele com as mãos e comecei a lambe-lo, passava a língua sem o meter na boca e ele ficava cada vez maior… Depois o Sr. Ramos não aguentou, segurou-me as mãos acima da cabeça e fez-me engolir aquele cacete quase completamente. Começou a foder a minha boca e o meu batom vermelho ía-se espalhando pelo seu caralho completamente duro. Era difícil aguentar aquele pénis todo na minha boca, ele então tirou-o para fora e começou a bater com ele nos meus lábios e na minha língua.
Eu tinha noção que estava completamente suja de batom, tal qual o caralho do Sr. Ramos. Passado algum tempo, ele puxou-me para cima e começou a massajar os meus seios, depois despiu-se completamente e foi puxar um poltrona, colocou-a em frente à lareira, e disse-me:
- senta aqui minha coisa boa, vou chupar-te todinha, vais abrir-te completamente para mim…
Eu sentei-me e apoiei as pernas nos braços da poltrona, fiquei completamente aberta para ele. Ele começou a beijar os meus pés, descalçou-me, depois subiu pelas minhas pernas acima e me fez arrepiar toda… Respirava e lambia-me ao de leve as cochas até chegar à minha coninha.
Arredou a minha tanga para o lado e atacou-me a ratinha completamente, molhou-me todinha com saliva, chupava-me o grelo e voltava a lamber-me de baixo para cima, parecia que estava a limpa-la mas logo de seguida voltava a encharca-la com mais saliva… Foi muito bom, comecei a ficar doida e achei que ia gozar completamente com aquele homem desconhecido ali a lambuzar-me a xaninha.
Ele viu que eu estava a gostar, então acalmou, abrandou o ritmo, levantou-se e mandou-me por de quatro. Depois disse-me:
- Vou foder a tua ratinha, vou trair pela primeira vez a minha mulher comendo a tua coninha…
Passou o cacete pelo rego do meu cuzinho abaixo e veio enterra-lo na minha rata completamente molhada, senti aquele caralho grosso a abrir-me a coninha e a foder a minha ratinha. Eu estava a gostar de tudo, apesar de estar a foder com um velho que tinha idade para ser meu pai, mas ele sabia fazer as coisas direitinho… Pousou os dedos exactamente no meu grelinho e começou a coçar-me enquanto me fodia bem fundo. As minhas mamas abanavam com aquelas investidas até que ele agarrou nelas com as duas mãos, prendeu os bicos entre os dedos e começou a foder-me com mais força ainda puxando-me para ele cada vez mais… Sentia a sua barriga gordinha a bater no meu rabo, mas estava mesmo uma delicia!!!!
Não aguentei e soltei-me completamente… deixei-me entregar ao meu cliente, coisa que eu sabia que não devia fazer… vim-me com força enquanto ele me estocava por trás, depois ele abrandou o ritmo e eu aproveitei para parar… virei-me e bati-lhe uma boa punheta nas minhas mamas grandes, onde ele se veio passado pouco tempo. Encheu-as completamente de leite, mas eu fiz questão de limpar os restinhos que tinham ficado na cabeça do seu cacete…
Eu ia perguntar onde era a casa de banho para me arranjar e lavar quando o telemóvel dele tocou, ele foi atender apressadamente e eu percebi que ele falava com a mulher… Afastei-me e fui eu mesma procurar a casa de banho…
Encontrei uma logo ao lado da sala, lavei-me, tirei uma nova tanguinha da minha malinha e vesti-me de novo… Ainda não estava pronta, já o Sr. Ramos batia à porta e chamava por mim aflito:
- Por favor despacha-te, temos de sair daqui rapidamente…
Percebi que algo tinha acontecido. Acabamos por sair de casa a correr e fiquei a saber que a mulher dele estava naquele momento a dirigir-se para lá, e ele que no inicio se queria vingar dela por algum motivo agora parecia um cachorrinho arrependido!!!
Eu acabei por ficar irritada, detestava esse tipo de situações, parecia mesmo que ele gostava da mulher!!! Então para quê tudo aquilo??? Acabei por lhe dar uma lição, eu uma menina de 17 anos, acabei chantageando o Sr. Ramos. Em vez de me pagar o combinado, pagou muito mais que isso a troco de eu não contar à sua mulher o que se tinha passado. Afinal de contas eu sabia onde era a sua casa de praia, facilmente a podia encontrar…
Esse dia acabei com o bolso recheado e a dormir em casa da minha amiguinha, menina S.
Espero que o Sr. Ramos continue até hoje muito feliz com a esposa, afinal de contas eu também fiquei feliz com o dinheiro extra que ganhei nesse dia… Por isso é que eu digo que traição é bom e eu gosto!!!
Beijinho da menina C. :)
incontri online

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
2 comentários
  1. Sonhinha diz:

    Se isso é um conto erótico mesmo real então você é espertinha mesmo, fodeu bem o cara e deu uma boa lição para ele!!!!
    Uma putinha muito espertinha… e ainda mistura sexo com prazer… com trabalho…

  2. Sheron diz:

    Hum adorei essa história… quero fazer tb… sheron-sexy@hotmail.com para msn, quem quiser vamos conversar… bjs.

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>