Viadinho dando a bunda na sauna

Já relatei como virei putinha de cinema, quando me vestia de lingeries super sexy e ficava rebolando o rabo dentro do cinema me oferecendo para todos que estivessem a fim de arreganhar meu rabo mais do que já estava, encher meu cu de porra quente e me fazer mamar cacete até escorrer porra nos cantos da minha boquinha de puta…
Tudo na frente de todos e enquanto eu mamava, engolia porra e tomava no cu igual cadela da rua, pois eu dava o rabo de modo tal que quem me comia ficava colado em mim igual cão com cadela…
Ficavam todos dentro do cinema assistindo, com pau duro, esfregando em minha cara, passando as mãos no meu rabo chamando-me de putinha, gostosa, vagabunda, piranha, biscate, vadia, galinha, cadela, boqueteira e perguntando-me: – Você gosta de ser puta, seu veadinho? Gosta de ser mulherzinha? Gosta de ser menininha? Então vai ser mulherzinha de todos aqui, sua vadiazinha.

Assim, fiquei com vontade louca de ser puta na sauna.
Só de imaginar aqueles paus enormes apontando para mim eu fico toda arrepiadinha.
Vesti uma minúscula calcinha com pedrinhas de strasse para chamar atenção, passei esmalte, batom, brilho labial, perfume de puta comprado em sexshop.
Confesso que fiquei gostosa demais.
Ao me trocar, na sauna já havia alguns homens pelados; hummm! Cada pau…
Cada cacete lindo, cada pica deliciosa! Fiz o maior charme para me trocar. Tirei a camisa, ténis e é claro, quando me inclinei para fazer isso, empinei a bundinha para eles verem minha calcinha, fiz de propósito.
Notei que eles se olharam com sorrisos sacana.

Não me importei, fiquei só de calcinha toda socada no rabo, exibindo minha marquinha de bronzeado, minha bundinha empinadinha e muito cobiçada.
Olhei-me no espelho, empinei a bunda para provocá-los, dei um sorriso de safada enquanto olhava para o pau deles.
Dobrei a toalha de modo que ela se transformou em uma minissaia mostrando as bandas de minha bunda toda empinadinha e o fundo da calcinha.Fui para sauna…rebolando.

Os caras foram atrás de mim, todos de pau duro, igual cachorro atrás de cadela. Eles se sentaram e eu fiquei em pé rebolando de modo muito sensual ao ritmo da música.
Embora sensual, eu rebolava de modo muito despudorado, muito obsceno passando a língua nos lábios como se estivesse saboreando o cacete deles.
Eu pensava comigo: sou gostosa demais, qualquer um fica de pau duro quando me vê assim, ninguém resiste a este lindo rabinho que tenho. O perfume de puta que eu usava contagiava o ambiente.
Os caras foram chegando, alisando meu rabo e eu louca para tomar no cu ali mesmo, na frente de todos.
Encostaram a pica no meu rabo e eu rebolava mais ainda. Forçavam o pau e eu cada vez mais louca por cacete.
Um agarrou-me por trás, abaixou minha calcinha, puxou-me de encontro a si, segurando meus peitinhos enquanto me lambia todinha, deixando-me totalmente fora de controle, toda arrepiadinha, ao mesmo tempo em que falava:
– você vai dar o cu como nunca deu putinha gostosa. Vai dar este rabinho lindo para todos aqui. Você gosta de ser puta?
Eu dizia:
– Adooooro.
Então ele falou:
– Sua vagabunda, fica de joelhos sua piranha e comece a mamar no meu cacete. Quero ver você engasgar com tanta porra que terá de engolir.Viadinho dando a bunda na sauna
Enquanto eu, de joelhos, estava mamando no pau dele, veio outro e falou:
– Fica de quatro, piranha. Fica de quatro igual cadela, com as mãos no chão e o rabo empinado, pois quero enfiar no cu vendo você mamar.
Eu fiz o que eles mandavam. Dei o rabo e mamei como se estivesse faminta por porra; eu adoro engolir porra, rsrsrsrsr, adoro o sabor meio amargo e salgadinho..rsrsrsr.
Quando o que fodia minha boca como se fosse um cusinho estava quase gozando, trocou com o que estava me arrombando por trás. O de trás saiu do meu cu e enterrou tudo na minha boca.
Eu mamava e sentia na minha boca o gosto de suor que escorria deles devido a temperatura da sauna.
Ele batia na minha cara com a rola e também apanhava na bunda (alguém sabe dizer porque os homens gostam tanto de bater na cara e na bunda da gente enquanto nos fode?
Eu sei que gosto de apanhar enquanto tomo no cu e chupo..rsrsrsr), pois eu não estava aguentando a grossura do pau me abrindo o cu.
Quando senti que o que fodia minha boca iria gozar, tentei tirar o pau da boca para ele gozar na minha cara, pois o gosto de porra amarga e salgadinha misturada com suor iria me dar ânsia de vómito.
Levei um tapa na cara que deixou marca de dedos em minha face.
Esbofeteou-me novamente e falou:
– Não vai engoli a minha porra porquê, putinha? Vai engolir sim. Vai engolir tudo sua cachorra. Eu quero ver você com a boca cheia de porra sua puta, quero que você engula olhando para mim e de mãos no chão como uma cadelinha, sua vagabundazinha. Você vai ficar linda minha menininha, com a boquinha cheinha de porra. Vou gozar na sua boca e você vai engolir tudo. Mama gostosa… isso mama sua puta do caralho, isso… assim, piranha, continua, oh..delicia..engole puta, engole.

Recebi uns seis jatos de porra quente e muito viscosa na boca.
Continuei mamando apenas na cabeça da pica até ficar tudo limpinho.
Mandou-me abrir a boca e obedeci.
Ele falou:
– Nossa, você está linda demais minha mulherzinha, com a boquinha cheia de leite de seu macho. Humm..Quero que você engula aos poucos.
Assim fiz. Engoli tudo de três goles e passei a língua nos lábios olhando para ele e dando um sorriso sacana de uma autêntica putinha. Ele falou:
– Eu sabia que você gostava de engolir porra sua puta, é sua vitamina preferida, não é?
Eu confirmei que sim. Mas enquanto eu tomava o leitinho dele o outro que me comia o cu, vendo tudo, começou a esporrar dentro de meu rabo.Eu sentia seus jatos quentes de porra me inundando.Ele gritou:
– Sua puta, você é gostosa demais, piranha do caralho. Você fode como ninguém, tesuda.
Voltaram para o local onde estavam os demais que a tudo asssistiam. Mandaram eu ficar de quatro (minha posição predileta).

Vieram três. Um veio por trás e quando a cabeça da rola entrou ele empurrou tudo de uma só vez. Eu via estrela e quase vomitei quando ao mesmo tempo recebi outra rola até o fundo da garganta. Nem deu tempo de pedir para parar, pois quando um enterrou no meu rabo, aquele cujo pau eu mamava, segurou minha cabeça para eu não tirar a boca e falou:
– Fica assim putinha, com tudo na boca enquanto tem o cusinho arregaçado. Você vai gostar vagabunda. Seu viadinho, você é melhor que mulher, você é gostosa demais. Rebola sua bichinha safada. Você tem uma boquinha linda demais para mamar cacete. Agora você vai ser mulherzinha completa, piranhazinha.
Com a pica toda em minha boca, obrigou-me a passar a língua nos seus ovos também. Ele não resistiu. Inundou minha garganta. O pau dele estava todinho na minha boca, meus lábios estavam colados em sua barriga de tanta pica que engoli.
Ele enfiou tão fundo que a porra foi direto para o estômago. Deixou o pau amolecer na minha boca.
O que comia o meu cu, prestes a gozar, arrancou o pau do meu rabo com tanta força que não sei como não fiquei toda cagadinha (porque eu já tomei no cu até cagar), mandou eu abrir a boca, colocar a língua para fora e então gozou. Mandou-me engolir e lamber tudo.
Veio o terceiro e me fez mamar.Pediu-me para inclinar a cabeça para trás e esporrou na minha cara. Não me deixaram limpar a porra que escorria de meu rosto. Falaram que eu ficava mais gostosa assim.
Fiquei ajoelhada sobre a toalha. Os demais que estavam a tudo assistindo (a esta altura a sauna estava repleta de homens) fizeram um circulo e então eu passei a mamar no cacete de todos eles.

Às vezes eu tinha duas picas na boca. Recebia na boca a porra de dois cacetes ao mesmo tempo. Enquanto eu mamava, ao mesmo tempo segurava mais duas picas que seriam as próximas da fila a encherem minha boca de leite. Eu engolia porra misturada com suor.
À medida que iam chegando mais homens eles iam se juntando aos demais para serem boqueteados. Quando saciaram minha sede de porra, me levaram para sala de vídeo. Fui toda melada de porra. Escorria porra nas minhas pernas que vazava de meu cu todo arrombado e muitos gozaram sobre meus peitos e na minha cara.
Na sala de vídeo é que todos viram a coisinha gostosa que eu era.Uma putinha com bundinha empinadinha, bronzeadinha com uma marquinha incrivelmente sexy, toda lisinha. Lábios pequenos e aveludados, próprios para mamar cacete. Um rabo de ninfeta de 17 aninhos. Endoideceram de vez. Para provocá-los pedi que deixassem eu passar batom, pois de tanto mamar precisava retocar os lábios. Comecei a mamar novamente.
A sala estava repleta de homens assistindo e ansiosos esperando a vez deles para se acabarem na minha boquinha e no meu cu que já estava todo ardido.
Um deles abaixou minha calcinha, deu-me um tapa na bunda e ordenou:
– Abre este rabo piranha, se arreganha toda, vai, puta, abre as pernas.
Obedeci. Inclinei-me para a frente, ele colocou a cabeça do caralho e foi empurrando. À medida que entrava, ele falava:
– Aperta o anelzinho puta, quero sentir você mordendo meu pau pelo cu. Chupa pelo cu gostosa.
Quando entrou tudo, obrigou-me a andar na sala na frente de todos e com ele atracado em mim. Os caras se colocaram encostados na parede, todos de pau duro e pediram:
– Venha mamar aqui piranha enquanto você anda levando ferro no cu.
Eu, com o cu todo arreganhado, com a rola socada até o fundo, mamei no pau de todos eles e, é claro, enquanto eu mamava, aquele que estava engatado em meu rabo me fodia como louco.
Alguns gozaram na minha boca umas três vezes comigo nesta posição, tomando no cu igual vaca e mamando.
Fiquei toda ardida. Já não estava podendo fechar as pernas. Saímos da sala e fomos para o quarto.
Eu havia me transformado em uma cadela para eles usarem do jeito que quisessem.
Eram tantos me querendo que no quarto não cabia mais ninguém.

Fiquei de quatro na cama com a carinha de safada voltada para a porta aberta para todos assistirem ao show.
Alguém me pegou por trás e socou com vontade. Senti as bolas baterem na minha bunda.Tinha entrado tudo.
Ele montou em mim como se eu fosse uma égua.
– Rebola sua puta, isto geme, putinha, vou-te arrebentar sua cadela. Quero te ver mamando enquanto eu te arrombo o rabo.
Mama vagabunda, falou outro que enfiou na minha boca. A minha boca era fodida como se fosse um cu de tão tarado que ficaram por mim. Não demorou, senti jatos de porra quente em minhas entranhas ao mesmo tempo em que o outro despejava seu leite em minha boca fazendo-me engolir tudo.
Depois eu me sentei na pica de um de frente para os demais. Vieram alguns com os paus duríssimos e ordenaram:
– Mama, gostosa. Você gosta de tirar leite de pau, então aproveita. Você vai beber tanta porra que irá sentir o gosto por um bom tempo em sua boca. Assim, putinha, passa a língua debaixo da cabeça da rola. Isto lambe, dá beijinhos. Vagabunda, você mama gostoso demais.
O que comia meu cu puxou-me de encontro ao seu pau meu rabo ficou mais empinado e inclinei-me sobre seus peitos. Veio outro por trás e começou a enfiar no buraco onde já havia um pau me rasgando toda.
Tentei sair, mas não consegui, pois o que comia meu cu segurou-me com mais força e fui obrigada a mamar em outros dois.
Falaram:
– Negativo, putinha de rodoviária, vai levar duas rolas no cu e mamar ao mesmo tempo.
Vai ter de aguentar tudo piranha. Vamos arrombar você todinha. Você vai ser uma putinha completa.
Passou cuspe na rola, cuspiu no meu cu e começou o martírio.

Meu rabo foi abrindo, eu queria gritar, mas com duas rolas na boca e levando tapas na cara, pois eu não conseguia rebolar com duas picas no cu e mamar ao mesmo tempo, para deixá-los mais tarados, não tive outra escolha. Tive de aguentar tudo.
Foderam meu cu com gosto.
Gozaram juntos dentro de meu rabo.
Ao falarem que estavam enchendo o cusinho da putinha de porra, aqueles a quem eu mamava também encherem minha boca; cheguei a engasgar.
Pediram para ver minha boca cheia de leite.
Falaram para eu não jogar fora nem engolir.
Vieram mais quatro e disseram:
– Fica assim piranha, tem mais leite para você.

Quando viram acharam lindo e me elogiaram:
– Mas você fica linda demais assim, sua safada. Queremos ver você engolir tudo. Engula sua puta e bem devagar.
Engoli tudo. Quando pensei que havia terminado, vieram mais dois e falaram que queriam e iriam comer meu cú os dois juntos. Falei que já estava toda ardida dolorida e que não aguentaria mais.

Deram-me um tapa na cara e falaram que puta aguenta tudo, que puta é para ser usada, que eu não presto, que só sirvo para dar o cu e chupar cacete, que sou um depósito de porra, que sou uma vagabunda de zona.
– Fica de quatro cadela e comece a mamar.
Sentei na pica e engoli pelo cu até os ovos.Veio o outro tarado e começou a arrombar meu cu que já estava todo aberto.
Tudo isso na frente dos demais que foram se ajuntando e dando o pau para eu mamar.
Um deles gozou no meu cu, o outro tirou do meu cu e gozou na minha boca. Três cobriram meu rosto de puta de porra.
Depois desta surra de pica, tomei gosto pela coisa e passei a gostar de ser puta, me vestir de mulherzinha, dar para vários na frente de outros. Fiquei toda arreganhada. Tomei tanto no cu que não conseguia andar. Mas adorei…Rsrsrsrsr.

Podes seguir todas as respostas a este artigo subscrevendo gratuitamente a RSS 2.0 feed. Também podes deixar um comentário, ou enviar um trackback através do seu site.
1 comentario
  1. PETER diz:

    Olá Princesa,fiquei de pca dura gata..mande un aviso onde posso encontrar vc,tenho uma Rola 20 x 10 e bastante porra para encher sua boca e seu Rabo Gata..meu e-mail
    poetaruizdiaz@gmail.com
    as gatas que quiser provar minha ROLA.ENTREM EM CONTATO.
    beijos.
    peter

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar as tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>